Mulher Maravilha é o filme que a DC – e nós – precisávamos

Finalmente, depois tantos erros e tropeços, a DC lançou algo digno de nota máxima. Após a péssima recepção de Batman vs Superman e Esquadrão Suicida, quando a empresa anunciou o filme solo de Mulher-Maravilha todos ficamos apreensivos, mesmo com todos os indícios possíveis de que algo bom iria sair. Felizmente, para a alegria geral da nação, assim como a protagonista representou na história uma salvação para o que estava praticamente perdido, a nova produção é a luz no fim do túnel obscuro de filmes recentes da DC. Em meio a um cardápio de filmes de heróis, e digo me referindo aos do gênero masculino, Mulher-Maravilha veio para desconstruir toda e qualquer opinião remanescente sobre um possível sexo frágil.

Seja no mundo das séries ou dos filmes, poucas são as vezes onde vemos um artigo diferente precedendo o nome do herói. Entretanto, o fato da protagonista da vez ser uma mulher não deveria ser assim tão digno de destaque, apenas algo rotineiro e presente no cotidiano como tantos outros. E é exatamente isso que a diretora Patty Jenkins tenta mostrar a todos com a trama, seja por meio das inúmeras cenas de ação da personagem ou pela descrença dos homens em relação a guerreira que está em sua frente. Em uma época onde mulheres “serviam” para cuidar da casa e dos filhos, ter uma que não apenas fosse para guerra como também acabasse com ela, é em suas devidas proporções um reflexo do que ainda enfrentamos na sociedade. Jenkins não precisou apelar para argumentos feministas e/ou piegas em sua produção, pois Diana Prince fala por si só em cada momento onde segue seu instinto, seja ele aprovado ou não pelo público masculino a seu redor.

Um dos diversos pontos positivos do filme é a independência em relação aos quadrinhos, o que acaba por agradar todos os públicos. Os fãs aficcionados pela história de Diana terão seus ideais retratados na tela da melhor forma possível, respeitando o material original e apenas melhorando-o. Ao mesmo tempo, quem ainda não conhecia nada da heroína além do tradicional símbolo e das roupas vermelhas e azuis, terá a chance de ver a criança crescendo e sendo treinada na ilha Themyscira – muito bem representada pelo lugar paradisíaco escolhido nas filmagens – até sua chegada ao “mundo real”, em Londres. A excelente escolha de cenário e os gráficos maravilhosos são acompanhados por uma uma trilha sonora de arrepiar todos os fios de cabelo. Temos desde o clássico tema da personagem composto por Hans Zimmer, e que corroborou para a formação da imagem da Mulher-Maravilha em Batman vs Superman, até uma música composta pela Sia, ou seja, nada que pudesse deixar a desejar!

O filme possuí diversos elementos chave que juntos formaram a bela produção final, mas não podemos deixar de citar a responsável por tudo isso ao lado da diretora. O que falar da beleza estonteante de Gal Gadot? Com trejeitos delicados e ao mesmo tempo intensos e precisos, ela atribui a personagem as expressões no momento certo. Gadot é uma grande guerreira nas cenas de batalhas e explosões; enquanto sabe ser a mulher digna de olhares, elegante e poderosa em um vestido longo. Diana é ingênua e passa a conhecer o mundo pelos olhos de Steve Trevor (Chris Pine), provocando muitas risadas no público e dando o tom de comédia necessário para não se tornar algo bobo. A jovem israelense de 32 anos encarou um papel já interpretado por Lynda Carter e não deixou o peso do nome atrapalhar. Sua atuação é sem sobra de dúvida o maior acerto do filme e serviu de lição para todos que criticaram sua escalação. Que seja nossa Mulher-Maravilha por um bom tempo!

Por mais que todos os holofotes estejam virados para a heroína, não podemos deixar de dar os devidos créditos a seus colegas de elenco. A química entre Chris Pine e Gal Gadot é para romântico nenhum botar defeito, fazendo dele o parceiro ideal para os impulsos de Diana. São entre os dois os momentos de diversão e carinho que servem para amenizar o clima tenso das cenas de ação, e até mesmo quem não é fã de romance se pegará torcendo pelo casal.

Os personagens mais vazios de Mulher-Maravilha são os vilões. Mesmo sendo interpretados por atores de enorme talento, os mesmos não conseguem mostrar tudo aquilo que são capazes e vivem figuras um tanto infantis. Elena Anaya é a Dra. Isabel Maru, ou Doutora Veneno, e mais parece uma cientista louca de um filme de comédia; Danny Huston vive o famoso ditador e general alemão Erich Ludendorff, temido desde os minutos iniciais do filme, mas que não provoca medo nenhum em quem está assistindo.

O verdadeiro vilão é revelado apenas nos minutos finais, por mais que pequenas dicas dêem a entender quem ele é desde o início. David Thewlis abandonou o lado mocinho do Professor Lupin na saga Harry Potter, para viver Ares, o deus da guerra segundo a Mitologia Grega. Ao lado de Gal Gadot, ele protagoniza os momentos de maior ação e efeitos especiais de todo o filme, principalmente quando assume a forma monstruosa do Deus. Entretanto, mesmo com todo o talento já conhecido de Thewlis, Ares não consegue se tornar um vilão emblemático e memorável em um filme da DC, proporcionando ainda mais destaque ao casal principal.

Em suma, Mulher-Maravilha é o filme da heroína que todos precisávamos – principalmente a DC -, surgindo em uma época onde outros semelhantes não emplacaram tanto quanto prometido. Gal Gadot é a nossa nova Mulher-Maravilha e espera-se que permaneça no papel pelo máximo de tempo possível. Com uma trilha sonora invejável, efeitos especiais e visuais adequados para as cenas de ação e um roteiro para fã nenhum botar defeito, a produção merece todas as críticas positivas que vem recebendo pelo mundo. Em um universo rodeado por heróis do sexo masculino foi a do feminino que sobressaiu, já caracterizando a nova história da DC como memorável e necessária nos dias de hoje. Palmas para a Mulher-Maravilha.

 

Cinco motivos para assistir Mulher-Maravilha

É real! Temos uma heroína em filme solo no cinema! Enquanto seus pares na chamada “Trindade da DC”, Batman e Super Homem já haviam sido retratados em diversos filmes ao longo dos anos, a Mulher-Maravilha tinha sido apenas protagonista de uma série de TV nos anos 70, estrelada por Lynda Carter. Para ficar em pé de igualdade com seus companheiros de Liga da Justiça, finalmente, a DC/Warner trouxe às telas a origem da princesa das Amazonas, Diana.

E Mulher-Maravilha, não é só o primeiro filme solo de uma heroína, é também o primeiro filme de super herói a ser dirigido por uma mulher, Patty Jenkins. Jenkins nos traz uma história clássica, para apresentar Diana e seu universo a um grande público com uma narrativa que remete ao cinema antigo, com toques de leveza, sem deixar de lado as grandes cenas de ação.

Abaixo, citamos alguns pontos especiais da produção, que podem fazer você querer correr para o cinema e assistir ao mais novo filme da DC! Confira:

  • Empoderamento
(Divulgação/Warner)

É imensurável o valor de sentir-se representada. Como já dito, este é o primeiro filme solo de uma heroína e por mais que Diana seja uma deusa, é uma figura feminina em destaque. A presença de Diana nesse universo passa a mensagem da necessária igualdade de gênero em mundo machista, que historicamente subjugou (e subjuga) a mulher. Como a princesa foi criada em outro ambiente, fica evidente que ela não se coloca em lugar de inferioridade, muito pelo contrário, suas ações demonstram que ela se vê como igual.

É importante ressaltar que não há uma sexualização da personagem, mesmo na construção de seu romance com Steve Trevor (Chris Pine). Uma mulher que não precisa usar sua ~sensualidade~ para conseguir o que quer é um grande avanço na retratação das heroínas (sejam super ou não) femininas.

Outro destaque é Themyscira, a ilha na qual Diana cresceu é retratada como um local de mulheres fortes e guerreiras. Mesmo superprotegida pela rainha Hipólita (Connie Nielsen), sua mãe, a princesa encontra a força e agilidade no treinamento de sua tia Antíope (Robin Wright).

  • Cenas de luta

Que lindas coreografias!!! Em especial, fiquei boquiaberta com o treinamento e cenas em Themyscira. São sequências de lutas que empolgam, dosadas ao longo do filme. É nítido ver que Diana Prince (sobrenome adquirido em nosso mundo rs) é forte e ágil, sem parecer artificial. Mesmo quando as lutas passam para o universo místico dos heróis, ainda é convincente.

  • Trilha Sonora

Sobe o som! Para acompanhar as ótimas sequências de lutas coreografadas, uma trilha sonora certeira. Com o passar do longa, já dá para saber quando uma grande cena de ação vai começar, é na hora que toca a música!

  • Mensagem

Esperança! Mesmo em meio à Primeira Guerra Mundial, Diana consegue enxergar na humanidade muito mais do que o egoísmo e potencial para destruição. Ao finalizar a história, a princesa das Amazonas, percebe que mesmo em meio ao caos, o amor (não estou falando de romance) ainda pode vencer.

Ressalto a empatia de Diana, uma mulher que se compadece das pessoas, muito mais dos que estão acostumados com a dor e sofrimento. E ela não só se compadece, mas decide fazer algo significativo à respeito.

  • Gal Gadot
(Divulgação/Warner)

Que mulher!! Ex-miss, ex-recruta do exército Israel, ex-modelo e ex-estudante de Direito, e agora: para sempre Mulher-Maravilha. Gal Gadot consegue passar força, suavidade, agilidade, empatia… Tudo o que é pedido ao longo do filme. Ela toma conta da tela e faz muito bonito, se você ainda não tinha ficado convencido em BvS, com certeza Mulher-Maravilha firma a atriz como a principal super heroína da DC.

Coringa e Darkseid são destaque em novos trailers de Injustice 2

Os dois últimos gameplay trailers de Injustice 2 trazem como destaque o Coringa e Darkseid e detalham os movimentos dos vilões. Primeiro, o Príncipe Palhaço do Crime:

Se levarmos em conta os acontecimentos do primeiro game, a presença do Coringa é bem curiosa. Depois temos como destaque o regente de Apokolips:

Darkseid é considerado um dos mais importantes vilões do Superman. Ainda não está claro se o personagem será apenas um conteúdo de DLC, ou se ele terá alguma relevância na trama do game.

Injustice 2 sai em 16 de maio para Playstation 4, Xbox One e PC.

Jovens Titãs vai ganhar série em live-action para serviço de streaming da DC

Foi anunciado hoje (25) que o produtor das séries da DC no The CW, Greg Berlanti e Akiva Goldsman, estão juntado forças para uma série em formato live-action dos Jovens Titãs (Teen Titans), chamada Titans.

A nova série deverá ser lançada em uma plataforma digital (estilo Netflix) centrada exclusivamente nos títulos da DC e tem estreia para 2018.

Titans já havia recebido a encomenda de um piloto pelo canal TNT em 2014 com o roteiro de Akiva Goldsman juntamente com Marc Haimes. Depois de vários problemas, o canal decidiu não seguir em frente com o projeto.

Na série, Dick Grayson ressurge das sombras e se torna líder de um novo time de heróis que inclui Estelar, Ravena e outros.

Injustice 2 | Brainiac mostra todo o seu poder em novo gameplay

Depois de ser confirmado como a possível grande ameaça de Injustice 2, Brainiac ganhou um gameplay mostrando seus golpes:

Brainiac é um dos mais importantes vilões do Superman e ganhou bastante destaque devido aos desenhos do Homem de Aço e a série animada da Liga da Justiça.

Injustice 2 chega em 16 de maio para Playstation 4 e Xbox One.

DC anuncia novo selo de quadrinhos

A DC anunciou um novo selo de quadrinhos que se chamará Dark Matter. A proposta se resume em trabalhar com duplas criativas de ponta, que criarão novos personagens para a editora. A primeira publicação chamada Dark Nights: Metal, será uma saga do Batman trazendo Scott Snyder nos roteiros e Greg Capullo na arte e será o começo do novo selo. Além de iniciar essa nova fase em agosto, a saga também trará nos personagens.

Nos próximos meses teremos: Sideways nas artes de Kenneth Rocafort e roteiro de Dan DiDio com Justin JordanThe Silencer de John Romita Jr. e Dan Abnett, que explora uma assassina mortal que quer fugir de seu passado. Já em outubro teremos Immortal Men, de Jim Lee e James Tynion IV, a trama da HQ mostrará uma guerra envolvendo cinco entidades irmãs que existem desde os primórdios do tempo.

Ainda no mês de outubro, será lançada a HQ Damage, de Tony S. Daniel e Robert Venditti, que conta a história de um soldado dos EUA com a habilidade de se transformar em um monstro em períodos de uma hora, percebendo que seu poder pode ajudar a pátria. Em dezembro, é a vez de New Challengers, de Andy Kubert e Scott Snyder, uma espécie de continuação dos Challengers of the Unknown, um grupo quase esquecido dentro da DC que investiga mistérios que não podem ser compreendidos pela lógica tradicional humana.

 

Batman e Flash investigam os segredos de Rebirth em crossover

Com o lançamento do crossover The Button entre Batman e Flash, algumas peças do quebra-cabeça de Rebirth já começaram e se encaixar. Cuidado com os SPOILERS. Curiosamente, The Button começa justamente de onde o one-shot de Rebirth acabou, com Batman e Flash tentando descobrir a origem do botton que surgiu na batcaverna.

Depois de alguma investigação, Batman coloca, acidentalmente, o botton perto da máscara do Pirata Psíquico, criando uma fagulha que abriu uma fenda entre mundos. Por um momento, Batman ficou frente a frente com seu pai, o Batman do Universo Flashpoint:

Entretanto, Thomas Wayne logo desaparece e uma outra importante figura de Flashpoint aparece. Eobard Thawne, o Flash Reverso que estava morto desde o fim de Ponto de Ignição surge para Batman:

Apesar da tentativa de Batman de segurar o vilão até a chegada de Flash, Thawne consegue pegar o botton e desaparecer, voltando alguns segundos depois queimando em agonia e dizendo que viu deus:

Ao que tudo indica, o Flah Reverso se encontrou com o Dr. Manhattan, o deus que criou a realidade dos Novos 52. Mais respostas devem vir em The Flash #21, que sai na quarta-feira nos EUA.

Injustice 2 | Brainiac é a ameaça de novo trailer

A quinta parte do trailer Alainaças Despedaçadas mostra que Brainiac será uma das ameaças que os heróis enfrentarão em Injustice 2:

Brainiac é um dos mais importantes vilões do Superman e ganhou bastante destaque devido aos desenhos do Homem de Aço e a série animada da Liga da Justiça.

Injustice 2 chega em 16 de maio para Playstation e Xbox One.

Hera Venenosa é destaque no novo trailer de Injustice 2

O último trailer de gameplay de Injustice 2 mostrou todo o poder da Hera Venenosa:

Hera também fará parte da Sociedade do Gorila Grodd, que quer acabar com os heróis depois da derrota de Superman no primeiro game. Hera Venenosa ou Pamela Lillian Isley é uma das mais antigas vilãs do Batman, que ganhou bastante notoriedade devido aos filmes, animações e os games da série Arkham.

Injustice 2 chega em 16 de maio para Playstation 4 e Xbox One.

Novo trailer de Injustice 2 se foca em Flash

Depois de alguns trailer dando destaque aos vilões de Injustice 2, a NetherRealm divulgou um trailer focado no gameplay do Flash:

O estilo de jogo do Velocista Escarlate é obviamente focado em sua absurda velociadade, que permite o personagem viajar no tempo e manipulá-lo como bem entender.

Injustice 2 sai em 16 de maio para Playstation 4 e Xbox One.

Datena aparece em HQ da DC Comics

O apresentador José Luiz Datena foi homenageado pelo desenhista Will Conrad, que é o atual ilustrador da revista do Capitão Átomo. Confira na galeria as “ibagens”:

Na prévia da HQ, Datena se chama Todd é o âncora do Jornal, que entrevista o Capitão Átomo depois do desaparecimento do herói durante anos. Datena gostou da homenagem e inclusive agradeceu Will em seu programa:

Datena reage ao vivo à homenagem feita pela DC Comics!''Você proporcionou um dos momentos de maior emoçao da cerreira deste velho jornalista.'' – Datena.

Dikirim oleh Will DcManiacos pada 6 April 2017

A HQ chamada Fall and Rise of  Captain Atom saiu nos EUA na quarta-feira e conta com roteiros de Cary Bates e com a arte do próprio Will Conrad.

Injustice 2 | Novo trailer foca no plano de Grodd

O novo trailer de Injustice 2 destaca o plano de Grodd para unir os vilões e derrotar de vez seus opositores. Confira:

O grupo de Grodd é chamado de Sociedade e é integrado por: Bane, Mulher-Leopardo, Mulher-Gato, Capitão Frio, Pistoleiro, Espantalho e outros vilões. Parece que o plano do Gorila é preencher o vazio que foi deixado no mundo após a queda do regime do Superman.

Injustice 2 sai em 16 de maio para Playstation 4 e Xbox One.

Mulher-Gato mostra todo o seu poder em novo trailer de Injustice 2

A Mulher-Gato é o destaque do novo trailer de Injustice 2. A anti-heroína já era destaque no primeiro game e agora ela mostra mais uma vez todo o seu repertório:

Injustice 2 continua a trama do primeiro game, que mostrou o Superman como o ditador do mundo e dividiu heróis e vilões em duas facções: uma liderada por Kal-El e outra pelo Batman. O game estará disponível para PlayStation 4 e Xbox One a partir de 16 de maio, totalmente em português.

Injustice 2 | Vilões são o destaque do novo trailer

O novo trailer de Injustice 2 chamado Como é bom ser mau destaca alguns vilões do game. Grodd, Bane, Capitão Frio e Espantalho mostram todo o seu repertório de golpes:

Injustice 2 continua a trama do primeiro game, que mostrou o Superman como o ditador do mundo e dividiu heróis e vilões em duas facções: uma liderada por Kal-El e outra pelo Batman. O game estará disponível para PlayStation 4 e Xbox One a partir de 16 de maio, totalmente em português.