Ele - Quando Ryan Conheceu James

Depois de ler os livros de romance erótico de E.L. James, prometi que não o faria novamente. Afinal, me identifiquei bastante com os personagens de Christian e Anastasia e não queria perder o encanto. Vale lembrar que a história nada mais é do que um romance intenso, e o que me faz amá-la certamente não são as cenas de sexo. Para mim, são apenas uma forma de torná-la diferente de muitos outros romances. Embora tenha feito tal promessa, há muito não lia um livro do gênero. E certamente precisava de algo que me tirasse do mundo fictício de distopias adolescentes. Quando a Editora Paralela lançou Ele – Quando Ryan Conheceu James, resolvi dar uma chance após ler a sinopse.

Ao mesmo tempo em que mataria a saudade do gênero, estaria conhecendo uma nova vertente do mesmo. Tal novidade deve-se ao fato que esta é uma história sobre um romance gay e até hoje, não tive a chance ler um conto erótico entre dois homens. Principalmente com as características do livro em questão e de seus personagens. Mesmo que seja pequeno, com cerca de 250 páginas, Ele – Quando Ryan Conheceu James demorou apenas 4 horas para ser lido. Pois é, não consegui largá-lo até terminar o último capítulo. E não é atoa que decidi trazê-lo ao Ler é Bom, Vai! o mais rápido possível.

Sinopse

James Canning nunca descobriu como perdeu seu melhor e mais próximo amigo. Quatro anos atrás, seu tatuado, destemido e impulsivo companheiro desde a infância simplesmente cortou contato. O que aconteceu na última noite daquele acampamento de verão, quando tinham apenas 18 anos, não muda uma verdade simples: Jamie sente saudade de Wes. O maior arrependimento de Ryan Wesley é ter convencido seu amigo extremamente hétero a participar de uma aposta que testou os limites da amizade deles. Agora, prestes a se enfrentarem nos times de hóquei da faculdade, ele finalmente terá a oportunidade de se desculpar. Mas, só de olhar para o seu antigo crush, Wes percebe que ainda não conseguiu superar sua paixão adolescente. 

Ele - Quando Ryan Conheceu James
Divulgação/Editora Paralela

O Livro

Ryan Wesley tem a vida que todo adolescente de sua idade gostaria de ter. Bonito, tatuado, extremamente popular e muito talentoso, tem o futuro garantido dentro de um rinque de hóquei. Ele está prestes a iniciar sua carreira profissional em Toronto, tendo alguns jogos pela frente apenas. Entretanto, não imaginava que um simples campeonato iria perturbá-lo tanto. A razão para isso? A grande estrela de um dos times adversários, o goleiro James Canning. No passado, Wes e Jamie eram melhores amigos. Iam a um acampamento de hóquei todo ano, e era lá inclusive, que tinham a chance de se ver. Enquanto o acampamento rolava por 6 semanas, os dois tinham os melhores momentos de suas vidas. Mas quando Wes fez uma aposta e seu amigo não recusou, a amizade não demorou para ir por água abaixo. Wes descobriu que realmente estava apaixonado por Jamie Cunning.

Wes seguiu com seu estilo brincalhão e pouco tempo depois de perder o melhor amigo, se assumiu gay para a família. Jamie por sua vez, seguiu seu caminho e continuou jogando hóquei, sem nunca ter entendido o motivo do fim da amizade. Os dois jogam nos times da universidade e são os melhores jogadores. Jamie é goleiro e Wes atacante, então é possível imaginar a pressão sob os dois garotos.

Ele – Quando Ryan Conheceu James

A possibilidade de rever o melhor amigo e ter de enfrentá-lo na final do campeonato deixa Wes desesperado. Ele sabe que errou e quer tentar se reaproximar de Jamie, mas não sabe o que fazer. Depois de tantos anos sem contato, tudo o que ele quer é que as coisas voltem ao normal. Ele ainda é apaixonado pelo amigo, sabendo todavia, que limites precisam ser respeitados. Afinal James é hétero. O que Wes não imaginava, porém, era que o antigo companheiro de acampamento também quisesse sua companhia de volta. Mas será que apenas uma amizade será suficiente? O primeiro encontro dos dois diz que não!

Apenas pela capa é possível saber que algo mais forte surge entre os dois amigos. Como já mencionamos, James é hétero – ou pelo menos achava ser – e precisa lidar com uma série de sentimentos confusos. Mas principalmente, precisa aprender a lidar com um certo tesão que nunca achou que fosse sentir.

“Me sinto o mesmo de sempre. Mas ter passado a noite com um homem não deveria me fazer sentir diferente? Tipo gay? Tenho vontade de rir. O que é se sentir gay? E, porra, fico surpreso ao perceber que estou com o pau duro. E não é um simples caso de ereção matinal. É por causa do Wes, porque fiquei pensando no que rolou ontem à noite.”

Ele - Quando Ryan Conheceu James
Divulgação/Editora Paralela

O Que Achamos?

Há muito tempo um romance não mexia tanto comigo quando Ele – Quando Ryan Conheceu James. E não, não estou falando isso por conta das partes de sexo, afinal, o livro é muito mais do que isso. O único defeito que consegui encontrar foi a facilidade com que tudo aconteceu. Ryan estava apaixonado pelo melhor amigo hétero. Enquanto isso, James tinha um relacionamento aberto com Holly, uma menina de sua turma da faculdade. Por uma espécie de milagre, eles se reencontram, se apaixonam e todos ao seu redor aceitam tudo numa boa. Isso sem mencionar o fato de quem ambos tem sucesso profissional, até mesmo quando Wes revela ao diretor do time que é gay. Infelizmente sabemos que não é bem assim que as coisas funcionam.

Mas deixando isso de lado, Ele – Quando Ryan Conheceu James é realmente bom. Mesmo que tenha poucas páginas, foi impressionante o fato de que simplesmente não consegui largá-lo. No verso da capa inclusive, há um comentário de Colleen Hoover sobre a história e o que mais achei engraçado foram as palavras escolhidas pela autora:

“Li este livro em uma sentada só”

Quando acabei de ler, percebi que estava com saudades do começo do livro. Isso realmente não acontecia há muito tempo! Por mais que o desfecho da trama seja aceitável, não há como não torcermos para ler mais. A carga emocional por trás do relacionamento de Ryan e James é intensa, ao mesmo tempo que transborda amor. É bonito ver o relacionamento se desenvolver e quando finalmente engata, me peguei comemorando. A pegada erótica é realmente forte e por consequência, as cenas são bem detalhadas. Caso você tenha problema com isso, não recomendo que leia Ele – Quando Ryan Conheceu James. Mas não podemos esquecer também, que estamos falando de dois adolescentes cheios de hormônio a flor da pele. O sexo faz parte de qualquer relação e aqui não é diferente.

  • Muito Bom
4
Sending
User Review
0 (0 votes)

Comentários

Notícias relacionadas