O Ódio que Você Semeia

Já se passaram quase dois anos desde que o livro de hoje foi lançado. Embora tenha chegado as livrarias em fevereiro de 2017, seu conteúdo não poderia ser mais atual. Vivemos em uma sociedade guiada pelo ódio, pela intolerância e pelo preconceito. E mesmo que estejamos em pleno século XXI, pessoas ainda são pré-julgadas pela cor da pele, pela opção sexual ou pela religião que decidiram seguir. Em meio a tantos sentimentos ruins, trago para o Ler é Bom, Vai! de hoje o livro O Ódio que Você Semeia.

Publicado no Brasil pela Editora Galera Record, a obra ganhou uma adaptação para os cinemas no final de 2018.

Sinopse

Uma história juvenil repleta de choques de realidade. Um livro necessário em tempos tão cruéis e extremos. Starr aprendeu com os pais, ainda muito nova, como uma pessoa negra deve se comportar na frente de um policial. Quando ela e seu amigo, Khalil, são parados por uma viatura, tudo o que Starr espera é que Khalil também conheça essas regras. Um movimento errado, uma suposição e os tiros disparam. De repente o amigo de infância da garota está no chão, coberto de sangue. Morto.

O ódio que você semeia

O Ódio que Você Semeia

O Ódio que Você Semeia é, decerto, um livro que provoca indignação. Seja pelo conteúdo fictício ou pelo fato de que não é nem um pouco fictício, as páginas nos deixam com ódio. Nos deixam com vontade de sair por aí gritando a plenos pulmões que isso está errado! Sobretudo após a morte de Khalil, entramos na pele de Starr e entendemos cada sentimento sentido por ela.

Diariamente ao redor do mundo, milhares de Khalil são mortos sem a menor razão aparente. Vivendo no Brasil, chega a não ser mais novidade nos telejornais ver o rosto de um jovem morto pela cor da pele.

O livro de Angie Thomas nos traz uma versão literária disso, com a finalidade de trazer ao público o sentimento de indignação. Através de uma escrita informal e fácil, Thomas tornou sua obra acessível a um público das mais diversas idades. Não é preciso ter algo conhecimento linguístico para entender a história, pelo contrário. Está tudo ali, estampado nas páginas. E não há pudor naquilo que está escrito. Com toda a certeza, O Ódio que Você Semeia traz verdades.

O Ódio que Você Semeia

A História

Conforme já foi falado, a história por trás de O Ódio que Você Semeia gira ao redor de Starr. A menina mora com a família em uma cidade na periferia, marcada pela divisão de gangues e pelo crime. Desde pequena, escutou do pai Maverick as regras de sobrevivência para uma jovem negra. Sempre deixar as mãos visíveis e nunca responder policiais estão entre elas.

Enquanto boa parte dos jovens de seu bairro frequentam a escola local, Starr estuda em uma instituição a 40 minutos de distância. Inesperadamente em pleno século XXI, ela e mais um colega são os únicos dois negros na escola. Para se integrar, Starr cria quase uma personagem dentro das paredes do colégio. Não usa casacos grandes e deixa suas roupas de basquete exclusivamente para quadra. E a cima de tudo, não fala sobre o lugar em que mora.

Em O Ódio que Você Semeia, Starr namora Chris, um menino branco completamente apaixonado por ela. O medo e o racismo estão tão intrínsecos na sociedade, que a menina se importa mais com a diferença de cor do que o namorado. Ela tem medo dos julgamentos e do que as pessoas dirão ao vê-la de mãos dadas com Chris.

"O

Khalil

Fazia anos desde que Starr e seu melhor amigo, Khalil, se falaram pela última vez. Apesar de tanto tempo, quando se esbarram uma festa tudo volta ao normal. Até o momento em que um tiro é ouvido e eles vão embora do local. Quando são parados pela polícia, Starr relembra dos ensinamentos de seu pai. Entretanto, a cor da pele dos dois os torna mais perigosos pela visão do policial. Três balas foram o suficiente para apagar uma vida.

Khalil foi silenciado, mas vamos nos juntar e fazer com que nossas vozes sejam ouvidas em seu nome.

O medo que cresce na protagonista é enorme, e sua voz simplesmente não consegue sair. É preciso que Starr crie uma coragem monumental para bater de frente com a sociedade racista. E demora, mas em O Ódio que Você Semeia, ela cria.

A morte de Khalil foi o estopim para uma série de problemas que vinha surgindo. Angie Thomas nos apresenta então, tramas paralelas ao assunto central, que acabam por convergir em um único tópico. Até que ponto precisamos ficar calados? Ter a ficção expondo a dureza da realidade é um mal necessário, mas de vital importância. Muitas vezes precisamos de um empurrão, assim como Starr, para falar.

O Ódio que Você Semeia

Starr

A menina é uma daquelas protagonistas que temos orgulho. Ela é cheia de medos, de inseguranças que a tornam o mais real possível. Interpretada no cinema por Amandla Stenberg, Starr não poderia ter suas características interpretadas por pessoa melhor. A jovem engraçada do começo do filme se transforma a medida que os problemas vão surgindo. E é visível tais reviravoltas no rosto de Stenberg.
Em O Ódio que Você Semeia, Starr vive diariamente sua dupla realidade entre o bairro pobre e a escola rica. Ela teme ser descoberta como a menina que vive no gueto e namora um dos rapazes mais adoráveis da escola. Após perder o melhor amigo, porém, o olhar da protagonista se expande e ela passa a perceber quem realmente está do seu lado.

Ter coragem não quer dizer que você não esteja com medo, Starr. Quer dizer que você segue em frente apesar de estar com medo.

  • Excelente
5

Excelente

O Ódio que Você Semeia é a cima de tudo, um livro necessário. Em meio a uma sociedade intolerante, torna-se um material imporante.

Comentários

Notícias relacionadas