O ano de 2018 começou com o pé direito aqui no Ler é Bom, Vai! Conseguimos renovar nossa parceria com a Editora HarperCollins Brasil, uma de nossas favoritas! Para celebrar, a HCB me enviou um livro, que só pela arte da capa já captou minha atenção. O Mau Exemplo de Cameron Post revela sua temática logo de cara. Com um belo desenho na capa, o arco-íris se destaca em meio as figuras em tom pastel. Nossa protagonista é uma jovem em plena fase de descobertas, vivendo em uma sociedade pra lá de tradicional. Não é preciso procurar muito a fundo na internet para encontrarmos casos parecidos em nosso dia a dia. Ao ler a história, tive a sensação de estar ouvindo um depoimento real, sobre uma pessoa real. Este pode ter sido o livro de estreia de Emily M. Danforth, mas a autora não poderia ter começado melhor.

Sinopse

“Quando os pais de Cameron Post morrem em um acidente de carro, a primeira coisa que ela sente é alívio. Alívio que eles nunca vão precisar saber que, algumas horas antes, ela estava beijando uma menina. Mas o alívio não dura, e Cam é forçada a morar com sua tia ultraconservadora e sua bem-intencionada mas antiquada avó. Ela sabe que, daqui em diante, tudo será diferente. Sobreviver nessa pequena cidade rural de Montana exige que Cam finja ser igual a todo mundo e evite assuntos indelicados. Até que Coley Taylor chega à cidade. Ela e Cam forjam uma amizade intensa, que parece deixar espaço para algo mais. Mas assim que isso começa a parecer possível, a religiosa tia Ruth decide que é hora de “consertar” sua sobrinha, a mandando para um acampamento que deve “curar” sua homossexualidade.”

O Livro

O que poderia ter sido a melhor fase da vida de Cameron, se transformou em seu pior pesadelo. Morando com os pais e a avó, ela só queria ir para a escola e curtir com os amigos. Como toda menina, ela tem uma melhor amiga inseparável, Irene. Um belo dia, durante uma brincadeira, a menina desafia Cameron a beijá-la. Inocente como era, ela aceita. O resultado do beijo surpreende a garota, que descobre ali, gostar de meninas. No começo ela fica confusa, mas com o passar do tempo, percebe que é isso mesmo que quer. Para piorar a confusão, é nesse momento que Cameron recebe o pior telefonema de sua vida. Seu mundo vira de cabeça para baixo com a notícia da morte dos pais.

Órfã, Cameron passa a morar com a avó e com sua tia Ruth. A menina tem cada vez mais certeza de sua opção sexual, assim como sabe que será julgada pela sociedade. A intolerância chega mais cedo do que ela imagina, pois sua tia se torna uma cristã fervorosa, disposta a seguir todas as doutrinas da igreja. Quando Irene vai embora, Cameron se vê sozinha e encontra consolo numa nova amizade. Coley Taylor é uma garota do interior, de cabelos loiros e um namorado perfeito. Elas rapidamente se tornam melhores amigas e passam boa parte do tempo juntas. Não demora para Cameron se apaixonar pela menina, e para sua surpresa, começa a ser correspondida.

Quando Coley resolve contar aos pais o que anda fazendo com Cameron, tudo começa a dar errado. A homossexualidade dela vai contra os princípios cristãos e Ruth decide tentar concertar sua sobrinha. Sim, concertar. Ela é enviada para a Promessa de Deus, uma espécie de acampamento para jovens pecadores. Lá, tentam reverter a sexualidade de Cameron e aproximá-la de Deus. E então começa a história de O Mau Exemplo de Cameron Post.

Divulgação/HarperCollins

O Que Achamos?

O mais impressionante de O Mau Exemplo de Cameron Post, é o quão real o livro é. Muitas das ações dos personagens são bizarras e absurdas, mas estão longe de serem fictícias. Existem muitas Ruths espalhadas pelo mundo, assim como pessoas que acreditam na “cura gay”. Quantos jovens não tiram vida todos os anos por medo e/ou não aguentarem mais viver sob tanto julgamento? Cameron sofre muito apenas por “quebrar” a tradição de ser heterossexual. Como explicar as doutrinas religiosas de aceitação, paixão ao próximo, quando tentam curar uma pessoa que não está doente? Pensamentos religiosos radicais permeiam em nossa sociedade e nos remetem a idade da pedra. Quando pensamos estar evoluindo, lemos o livro de Emily M. Danforth e nos damos conta do quão atrasados estamos.

A autora nos faz pensar a cada capítulo. Não demora para estarmos torcendo por Cameron e sua felicidade. Confesso que tive vontade de entrar no livro só parar falar umas palavras com Coley Taylor. Há quem diga que por ser ambientado nos anos 90, as coisas estão diferentes nos dias de hoje. Ah como estão enganados! Estamos em 2018 e ainda temos de ir as ruas lutar por reconhecimento e aceitação. Ainda são necessárias passeatas e protestos LGBT pelo mundo, pois ainda temos muitas tias Ruth por aí. Fiquei extremamente feliz de ler O Mau Exemplo de Cameron Post, pois me deu esperança de que ainda poderemos viver em uma sociedade em que Cameron seja aceita. Assim como muitos outros. Emily M. Danforth iniciou seu trabalho no mundo literário com o pé direito.

Comentários

Notícias relacionadas