Embora tenha sido lançado em outubro, demorei para ler Como Parar o Tempo. O motivo? A sinopse não havia me atraído inicialmente. Eis que em 2018 tomei a decisão de ignorar sinopses e seguir com a leitura. E foi o que fiz após descobrir a citação de Neil Gaiman – um dos meus favoritos – na capa. O desenho presente nela também me chamou a atenção. O que antes parecia confuso, começou a fazer sentido quando a história foi se desenvolvendo. Os ensinamentos presentes no livro de Matt Haig são desses que levaremos para sempre. E é por isso que Como Parar o Tempo, publicado pela HarperCollins, veio para o Ler é Bom, Vai!

Sinopse

Tom Hazard esconde um segredo perigoso. Ele pode aparentar ser um quarentão normal, mas por causa de uma estranha condição está vivo há séculos. Sempre trocando a identidade para se manter a salvo, ele encontra o disfarce perfeito trabalhando como professor de História em Londres. Assim, pode trazer suas experiências do passado como fatos vivos. Pode manipular as histórias para seus alunos. Pode levar uma vida normal. Tom só não pode se esquecer da primeira regra. Aquela sobre paixão… Como parar o tempo é um romance doce e envolvente sobre como se perder e se encontrar na própria história. É sobre as certezas da mudança dos tempos e o tempo que a vida leva para nos ensinar como vivê-la.

O Livro

Tom Hazard está entre muitos no mundo que possui uma estranha condição. Apesar de parecer ter por volta dos 40 anos, ele nasceu em 1541. Com 477 anos, já presenciou os mais diversos e terríveis acontecimentos, além de conhecer grandes nomes da arte e da literatura, como Shakespeare. Com o passar dos anos, descobriu a Sociedade Albatroz. Formada por membros com a mesma condição de Tom, a sociedade tenta ajudar a todos – desde que sigam suas regras. E a primeira delas é não se apaixonar.

Por conta de seu trabalho para a sociedade, Tom tem de recrutar seus semelhantes. Com medo de que sua condição seja exposta ao mundo, ele tenta convencê-los a permanecer no anonimato. Enquanto o faz, ele procura pela filha Marion, perdida com o passar dos anos e que herdou a habilidade do pai. É durante suas buscas que Tom vai parar em Londres, onde torna-se professor de história. Quando conhece Camille, uma bela professora de francês, respeitar a primeira regra pode ser mais difícil do que pensava.

Divulgação/HarperCollins

O Que Achamos?

Como Parar o Tempo é encantador. Um livro cheio de ensinamentos e lições que levaremos para a vida. Para muitos, ter a habilidade de se tornar imortal pode ser um sonho. Basta ler poucas palavras de Tom para perceber que não é bem assim. Ele viu o grande amor de sua vida morrer diante de seus olhos e não pode fazer nada. Nunca pode cultivar amizades normais, apenas com membros da Sociedade Albatroz. Enquanto Tom vivia para sempre, o mundo passava diante de seus olhos. A narrativa melancólica acompanha sua vida e ele, mesmo que sem querer, nos ensina muito. Será que aproveitamos o tempo da maneira certa e com as pessoas certas?

Mesmo após tendo vivo tanto, o vocabulário do livro é simples. Para melhor compreendermos a história, o autor nos leva para o passado e para o presente entre os capítulos. A passagem em que Tom fala de Rose, a única mulher que amou na vida, é muito bonita. Quando Matt nos leva de volta para o momento em que os dois se conheceram, tudo se encaixa melhor. Mas não estamos diante de um romance entre épocas não, isso é apenas um capítulo. Quando Camille surge, o fato de estarem vivendo nos tempos atuais, faz com tudo aconteça mais rapidamente. Não é preciso muito para entendermos que eles estão se apaixonando.

Como Parar o Tempo também merece os créditos pelas informações de história. O autor cita Shakespeare, Scott e Zelda Fitzgerald e muitos outros. Ele menciona a terrível época da Peste Negra e das Grandes Navegações. Mesmo que não sejam 100% verídicos, tais dados são essenciais para moldarmos a história. Um grande trabalho de Matt Haig, sem dúvidas.

Comentários

Notícias relacionadas