Aquaman parece estar corrigindo o maior problema do Universo Estendido DC. É claro que o Universo Estendido DC tem muitas questões – direção errática, uma abordagem reacionária de pós-produção, um conjunto de executivos em constante mudança – mas o mais prejudicial de todos é sua imagem: marketing, relações públicas e percepção. Felizmente, parece que o próximo filme pode estar consertando isso, retomando a narrativa e permitindo que os cineastas se concentrem nos filmes em si.

Agora, Aquaman está passando por refilmagens. Você está perdoado por não saber disso, já que quase nada foi anunciado e o diretor James Wan preferiu focar na entrada de Randall Park (A Entrevista) no elenco do que em falar sobre as refilmagens. Normalmente, um filme da DC adicionar um personagem totalmente novo em refilmagens deixaria a internet em pavorosa, mas em um único tweet Wan já acabou com quaisquer preocupações que os fãs pudessem ter.

Vale a pena notar que refilmagens não são inerentemente uma coisa ruim – elas são feitas para consertar um filme, não estragá-lo. De fato, este é o mais recente passo em uma jornada tempestuosa, mas bem administrada, para Aquaman, que sugere que – finalmente – o Universo Estendido DC está indo pelo caminho correto.

O problema de relações públicas do Universo Estendido DC

A DC Films tem sido ruim em termos de comunicação. A popularidade dos filmes – ou a falta dela – não é importante, na verdade, quando a narrativa está contra eles. Mesmo que Liga da Justiça não tivesse sido lançado como um filme de dois diretores, ela ainda teria tido dois anos de repercussão negativa. Claro, parte do problema é que as escolhas criativas são, claramente, ousadas – tanto Esquadrão Suicida como Liga da Justiça tiveram refilmagens e reedições tardias com o objetivo de alterar fundamentalmente os projetos – mas eles não tentaram de verdade mudar as narrativas.

Todo o conhecimento do que se passa nos bastidores desses filmes vem de reportagens da imprensa sobre as quais o estúdio não tem controle e raramente há algum esforço para resolver a propagação de notícias equivocadas ou ruins até que todo mundo já esteja sabendo. Isso permite com que versões extremas do que quer que seja a verdade se espalhem e prejudiquem a marca. É um contraste com a forma de produção da Lucasfilm, por exemplo, – os problemas em Rogue One: Uma História Star Wars ficaram escondidos e recebemos apenas comentários vagos do diretor, a mesma coisa acontece com Solo: Uma História Star Wars, cuja mudança de direção não causou alarde e passaram a imagem de que Ron Howard é um cara legal e que está tudo bem.

Mesmo depois da Liga da Justiça, as coisas continuam obscuras para a DC. Existem três futuros filmes do Universo Estendido DC confirmados – Aquaman, Shazam e Mulher-Maravilha 2 – mas dezenas de outros projetos estão em desenvolvimento e estão em pé de igualdade em muitos aspectos. Por exemplo, mesmo que nunca tenha havido nenhum anúncio oficial do filme de origem do Coringa estrelado por Joaquin Phoenix (Ela), com todas as informações provenientes de relatórios espalhados mídia, o tratamento tem sido quase o mesmo que Mulher-Maravilha 2 tem recebido, simplesmente porque não há nada definido e informado pelo estúdio. Podemos comparar isso com a Marvel, que desde 2014 tem focado em fazer mudanças cuidadosamente para garantir que mesmo o público casual saiba de maneira ampla o que está acontecendo.

Aquaman é um problema?

Entre nesta configuração com um filme como o Aquaman e as coisas podem facilmente ficar confusas. O personagem é o membro brincalhão da Liga da Justiça graças aos trabalhos de Seth MacFarlane e Seth Green em Frango Robô, enquanto a versão de Arthur Curry feita por Jason Momoa (Frontier) tem sido controversa desde o primeiro visual apresentado. Acrescente uma aparição rápida em Batman vs Superman: A Origem da Justiça e uma estreia castrada em Liga da Justiça – no qual o personagem de sentia comprometido, provavelmente devido as cenas regravadas – e você tem uma proposta arriscada.

Depois de um ano de folga após Liga da Justiça, Aquaman será a forma do Universo Estendido DC se redimir. De fato, já tivemos vários relatórios e testes muito diferentes, muito disso graças a James Wan.

James Wan tem o controle da narrativa de Aquaman

O que a Marvel realmente tem que a DC não tem são diretores com uma abordagem voltada para frente que possam abortar rumores e refrear críticas facilmente. James Gunn (Guardiões da Galáxia), Taika Waititi (Thor:Ragnarok), Peyton Reed (Homem-Formiga), Joss Whedon (Vingadores: Era de Ultron), Jon Favreau (Homem de Ferro) e agora os irmãos Russo (Vingadores: Guerra Infinita) – sem mencionar o elenco – estão constantemente envolvidos com fãs nas redes sociais, promovendo a marca do universo, compartilhado e fazendo a narrativa da Marvel se encaixar da forma que os criadores querem. Em contraste, o maior impacto de mídia social para DC foi Zack Snyder se abrindo em sua visão fracassada depois de deixar Liga da Justiça.

Agora procure por James Wan. Wan é um dos cineastas mais interessantes de Hollywood. Ele estourou com Jogos Mortais e mais tarde também começou as franquias Invocação do Mal e Sobrenatural para a Blumhouse antes de conduzir a mais bem-sucedida (e trágica) entrada na franquia Velozes e Furiosos para a telona. Ele é um diretor focado em diversão e focado na parte comercial do que ele entrega. Além disso, Wan entende a audiência – sejam eles fãs de sangue, de susto ou de velocidade – e com Aquaman estamos vendo que não é reservado apenas ao que entregará nos cinemas.

Ele está lá presente nas redes sociais para reforçar a posição de Aquaman: ele desmascarou suposições totalmente falsas sobre os trailers, ele ignorou o tratamento das refilmagens como algo ruim, ele até mesmo maliciosamente disse que Aquaman não terá a bolha subaquática para diálogos como foi visto em Liga da Justiça. Wan entende a conversa dos fãs e trabalha para lidar com isso. Esta é uma abordagem proativa e consciente, diferente de tudo que tivemos no passado.

E está tendo um impacto. Patty Jenkins (Mulher-Maravilha), que sempre foi ativa, tem usado seus feeds em redes sociais ainda mais para ser o ponto de contato de Mulher-Maravilha 2 com o público – ela própria fez o anuncio da escalação de Kristen Wiig (Kristen Wiig) para o papel de Cheetah – e David F. Sandberg (Annabelle 2: A Criação do Mal), o diretor de Shazam, que é um grande usuário do Reddit e fã da página DCEULeaks tem sido mais do que feliz ao provocar os fãs em relação ao seu filme.

Poderia Aquaman mudar os rumos do Universo Estendido DC?

Isso é um monte de conversa contextual e provavelmente há uma sensação de que deveríamos estar falando sobre o filme em si, mas Aquaman é, ainda que não intencionalmente, o início de uma nova era para o Universo Estendido DC que está tendo que ter alguma forma de expectativa redefinida após o retumbante desapontamento da Liga da Justiça, mas deve continuar o truque de Mulher-Maravilha de consubstanciar seus principais personagens. Felizmente, o filme parece estar em boas mãos.

Mas os filmes não são feitos no vácuo e esse aspecto das relações com o público é a chave. O Universo Cinematográfico Marvel lança consistentemente bons filmes, mas o poder de expectativa e compreensão da “diversão” que eles transmitem de certa forma condicionou o público a ser mais aberto a eles. A DC tem o problema oposto, com o ceticismo sendo absoluto. Para mudar as coisas, é preciso que as pessoas estejam a bordo antes do lançamento do filme.

É por isso que a mudança de relações públicas é tão importante; esteja Wan agindo de forma autônoma ou sendo parte de um movimento corporativo maior, estamos vendo o marketing contando a história da produção de Aquaman. É impossível dizer qual é o futuro do Universo Estendido DC, mas parece um pouco mais brilhante.

Comentários

Notícias relacionadas