Novos detalhes surgiram sobre o processo de Mad Max: Estrada da Fúria que está segurando as potenciais sequências do longa. O criador e diretor de Mad Max George Miller concebeu Estrada da Fúria no início dos anos 2000 e chegou a filmar uma versão inicial do filme com a estrela original Mel Gibson em 2003. Essa versão da produção entrou em colapso, mas Miller lutou por quase uma década para produzir o filme.

Seu trabalho duro valeu a pena, já que Mad Max: Estrada da Fúria se tornou um grande sucesso, além disso foi elogiado pela crítica e recebeu 10 indicações ao Oscar, levando prêmios em seis categorias. O filme foi saudado como um clássico moderno após o lançamento e Furiosa de Charlize Theron provou ser tão popular com os fãs que eles começaram a pedir um filme derivado da personagem. Miller passou tanto tempo desenvolvendo Estrada da Fúria que escreveu roteiros para mais duas aventuras de Max, com o quinto filme timidamente sendo rotulado como The Wasteland . Infelizmente, Miller e o estúdio logo ficaram presos em uma batalha desagradável sobre um bônus não pago, atrasando o progresso de filmes futuros.

A produtora de Miller deveria receber um bônus de $9 milhões de dólares e uma parte dos lucros se Mad Max: Estrada da Fúria fosse entregue dentro do orçamento de $157 milhões de dólares; Miller afirma que qualquer excesso de custo foi devido à interferência do estúdio. Novos detalhes sobre o caso chegaram em um artigo do The Sydney Morning Herald, destacando ainda mais as questões entre diretor e estúdio.

O estúdio alega que o custo final de Mad Max: Estrada da Fúria chegou a $185,1 milhões de dólares e seu contrato com a empresa de Miller exigia um filme de 100 minutos, com classificação indicativa para maiores de 13 anos e não um filme de 120 minutos para adultos. Miller revelou que o estúdio insistiu que certas cenas que estavam no roteiro não fossem filmadas – incluindo algumas em torno da Citadela de Immortan Joe – antes de insistir que fossem adicionadas de volta durante refilmagens posteriores, uma decisão que adicionou dezenas de milhões ao custo final. Miller também afirma que certas decisões tomadas pelo estúdio causaram atrasos desnecessários à produção.

Mad Max: Estrada da Fúria foi uma produção bastante dura para o elenco e para a equipe. O filme levou quase três anos para ficar pronto: ele começou a ser filmado em 2012 e chegou às telas em 2015. Durante o período houveram algumas reportagens dizendo que a Warner Bros. estava preocupada com o custo do filme e ambos os lados ficaram jogando a culpa para o outro lado. Também houve um extenso debate sobre a classificação indicativa do filme.

Mad Max: Estrada da Fúria é considerado por muitos o melhor da série e embora seja ótimo ter Miller de volta no banco do motorista por pelo menos mais um filme – ou uma aventura solo da Furiosa – a disputa entre ele e o estúdio significa que um filme novo provavelmente não vai acontecer por mais alguns anos.

 

Comentários

Notícias relacionadas