Polêmica!

Ontem a Netflix lançou o primeiro trailer da nova versão de Saint Seiya: Os Cavaleiros do Zodíaco, que animou os fãs pela dublagem nacional clássica, mas incomodou uma parcela por algumas mudanças. A principal delas é a mudança em Shun de Andrômeda, que agora é uma mulher.

Eugene Son, roteirista e produtor da série, se explicou no Twitter sobre a mudança de sexo de Shun após uma chuva de menções com o lançamento do trailer.

“Que belo dia. Sentar de frente ao meu computador e verificar minhas menções no Twitter …”

Opa. Eu sei que os fãs de Saint Seiya têm dúvidas. Vamos começar com uma pergunta menor primeiro e depois chegar a maior de todas.

“Por que alguns dos nomes dos personagens mudaram?”

Isso foi feito antes de eu entrar. Houve alguma pergunta por que os personagens da China, Europa, América do Sul, todos têm nomes japoneses. Então, entre Toei e Kurumada, eles escolheram atualizar alguns dos nomes dos personagens.

A grande questão: “Por que mudar Andrômeda?”

Este é tudo comigo.

Quando começamos a desenvolver essa nova série atualizada, queríamos mudar muito pouco. Os principais conceitos de Saint Seiya que o tornam amado são tão fortes. A maior parte se sustenta bem, mesmo trinta anos depois.

A única coisa que me preocupou: os Cavaleiros de Bronze com Seiya são todos caras.

Agora, a série sempre teve personagens femininos dinâmicos e fantásticos, e reflete-se no tremendo número de mulheres apaixonadas pelo mangá e anime Seiya.

Mas trinta anos atrás, um grupo de garotos lutando para salvar o mundo sem garotas não era grande coisa. Esse era o padrão de antes.

Hoje o mundo mudou. Garotos e garotas trabalhando lado a lado é o padrão. Estamos acostumados a ver isso. Certo ou errado, o público poderia interpretar uma equipe masculina como nós tentando dizer alguma coisa.

E talvez 30 anos atrás ver mulheres dando socos e chutes umas nas outras não era grande coisa. Mas hoje? Não é o mesmo.

Então nós discutimos Andrômeda. Todos concordam – um personagem INCRÍVEL.

E se o original fosse “Andrômeda Shun” e a nossa interpretação fosse “Andrômeda Shaun”?

Quanto mais desenvolvemos, mais vemos o potencial. Um grande personagem com uma ótima aparência.

Os principais conceitos de Andrômeda não mudariam. Ela usa suas correntes para se defender e seus amigos – o que ela aprendeu com seu irmão protetor que a ensinou a lutar.

E os fãs hardcore de Seiya sabem o que acontece com Andrômeda enquanto a série avança. Como seria isso com uma mulher Andrômeda? Eu pensei que seria interessante ver.

Mas eu sabia que isso seria controverso. Eu não vejo isso como mudar o personagem. O Andrômeda Shun original ainda é um ótimo personagem.

Mas esta é uma nova interpretação. Uma pegada diferente.

Se você acha que isso é estranho e não gosta disso, eu entendo. Mesmo dentro da Toei, havia bastante “Você tem certeza disso?” Um monte de fãs hardcore de Shun realmente amam Shun. Mas espero que você esteja disposto a conferir quando estiver disponível e ver o que pensa.”

A nova série animada terá 12 episódios de 30 minutos e conta com o roteiro escrito por Eugene Son, o mesmo de Vingadores: Guerras Secretas. A série será toda feita em computação gráfica e mostrará um visual renovado dos Cavaleiros para os dias atuais.

Cavaleiros do Zodíaco foi criado por Masami Kuramada e teve sua primeira publicado pela Weekly Shōnen Jump entre 1986 a 1990. A série conta a história de guerreiros místicos chamados “Cavaleiros” (“Saints”, no original) que lutam com suas armaduras sagradas para defender a reencarnação da deusa grega Athena em sua batalha.

No Brasil, o anime estreou em setembro de 1994 pela finada Rede Manchete e ficou no ar até 1997. Em 2010, a Band exibiu a Saga de Hades que era, até então, inédita no país.

Saint Seiya: Os Cavaleiros do Zodíaco chega na Netflix em 2019.

Comentários

Notícias relacionadas