Love, Death & Robots é o sinal que a Netflix pode sair um pouco do modo tradicional de lançar suas séries. Estamos acostumados com o estilo de arcos e que cada episódio precisa estar interligado com o próximo. Mas aqui não. A produção marca a primeira antologia de animação do serviço com dois grandes nomes envolvidos – Tim Miller (Deadpool) e David Fincher (Clube da Luta).

São 18 episódios fáceis de conferir em um dia. Algumas histórias possuem apenas sete minutos, o mais longo está em torno de dezessete minutos. A animação lembra uma outra antologia que se tornou cult chamada Heavy Metal, que misturava em suas histórias ficção científica, sexo, violência e humor. Tim Miller e David Fincher bebem da mesma fonte, mas conseguem ir além no realismo impressionante das animações. Alguns episódios foram por meio de captura de movimentos, outros trazem influências de anime e há um divertido episódio que se mistura com live-action.

Intitulado “Era do Gelo”, o episódio conta com a participação dos atores Topher Grace e Mary Elizabeth Winstead acompanhando de sua geladeira a evolução das civilizações. Contudo o que realmente impressiona é o fotorrealismo. Os episódios “Para Além da Fenda de Áquila”, “Metamorfos” e “A Guerra Secreta” são trabalhos que merecem muitos prêmios do gênero. Sãos histórias que poderiam facilmente ganhar ótimos filmes, mas o trabalho técnico é o que mais impressiona. Às vezes é difícil acreditar que se tratam de animações.

A série também reserva divertidos episódios. Os Três Robôs se assemelha com Wall-E com três máquinas em uma Terra extinta pelos próprios humanos. O humor ágil e inteligente não esconde as críticas ao estilo de vida destrutivo da humanidade em relação ao meio ambiente. Um alerta do que pode acontecer com o planeta no futuro.

Gamers e Otakus também irão se divertir com os episódios “Proteção contra Alienígenas” e “Boa Caçada”. O primeiro lembra uma fase de game com humanos controlando robôs para defender uma fazenda de um ataque alien. O segundo traz o formato de anime sobre a amizade de um caçador de espíritos e uma criatura sobrenatural.

Love, Death & Robots é o que de mais impressionante a Netflix produziu nos últimos anos. Basta o primeiro episódio e um dos melhores da antologia, “A Vantagem de Sonnie”, para deixar claro de que estamos diante de algo inovador. São 18 episódios para agradar todas as tribos. Que a parceria Tim Miller e David Fincher siga firme e forte.

5

Excelente

Love, Death & Robots é o que de mais impressionante a Netflix produziu nos últimos anos. Basta o primeiro episódio e um dos melhores da antologia, “A Vantagem de Sonnie”, para deixar claro de que estamos diante de algo inovador.

Comentários

Notícias relacionadas