13 Reasons Why

A série ganhou sucesso mundo afora por tratar de um assunto delicado, geralmente não mencionado da maneira correta entre os jovens. O suicídio de Hannah Baker representa o desfecho encontrado por muitos que não recebem a ajuda necessária a tempo. Mesmo que você não seja fã da série, deve reconhecer a importância de sua trama. Antes de mais nada, gostaríamos de reforçar a mensagem passada antes do começo da 2ª temporada de 13 Reasons WhyO vídeo contém a fala de alguns membros do elenco, como Dylan Minnette, Katherine Langford, Alisha Boe e Justin Prentice. O recado é o seguinte:

“13 Reasons Why é uma série de ficção que lida com dificuldades, questões do mundo real, tratando de violência sexual, abuso de substâncias, entre outros. Ao acender uma luz sob esses tópicos difíceis, nós esperamos que nosso show possa ajudar espectadores a começar uma conversa. Mas se você está lutando contra essas questões, essa série pode não ser boa para você, ou você pode querer vê-la com um adulto de confiança. Se você já sentiu a necessidade de ter alguém para conversar, aproxime-se de seus pais, amigos, um conselheiro escolar ou um adulto em que confie. Ligue para uma linha de assistência local ou vá em 13reasonswhy.info, pois no minuto em que você começa a falar sobre, fica mais fácil”.

Agora que a mensagem foi reforçada, vamos a crítica da 2ª temporada de 13 Reasons Why.

A Série

A sensação que temos logo nos primeiros minutos, é que ainda estamos na primeira temporada. Os rostos conhecidos estão lá, assim como as mesmas polêmicas e assuntos mal resolvidos. A cidade ainda lamenta o suicídio de Hannah Baker, enquanto o julgamento do caso está prestes a começar. Todos os nomes citados nas fitas são convidados a depor, mesmo que muitos contem histórias muito longe da verdade. Clay seguiu adiante em seu relacionamento com Skye, mas o passado vem à tona e ele começa e enxergar Hannah em todos os lugares. Ela por sua vez, tenta ajudá-lo em seu subconsciente a se manter firme em seus ideais.

13 Reasons Why
Reprodução/Netflix

Com o julgamento se aproximando, antigas rixas são deixadas de lado e velhas amizades são reforçadas. Com exceção de Bryce e Marcus, todos parecem dispostos a corrigir seus erros. Cada um a sua maneira lida com seus demônios, o que os torna cada vez mais Unidos . Entretanto, não há como mudar o que aconteceu. Quando postos sob juramento, alguns detalhes são omitidos e/ou “esquecidos”. É nessa hora que vemos quem realmente se arrepende do que fez.

A mãe de Hannah busca justiça pelo que aconteceu com sua filha. Por isso, ela culpa a Liberty High School por não se posicionar perante o bullying que a menina sofria. A escola por sua vez, tenta se esquivar do processo colocando a culpa de tudo em Hannah. De um lado estão Clay e outros 10 nomes mencionados nas fitas lutando contra o colégio. Do outro, Bryce e sua família compram a palavra de quem podem, mesmo que a verdade sobre o estupro tenha sido revelada.

O Roteiro

Infelizmente, 13 Reasons Why não surpreende em sua trama, pelo contrário. Os argumentos usados ainda são os mesmos, assim como a reação dos personagens perante eles. Entretanto, a forma como a série se aprofunda nas temáticas é o grande destaque da temporada. Enquanto na primeira parte tivemos apenas a exposição dos fatos, nesta temos uma versão mais completa do que cada um passou. Visto que Hannah não é a mais a narradora da história, finalmente temos acesso aos pontos de vista de cada um. Novas cenas nos dão uma melhor noção de tudo aquilo descrito nas fitas e antigos julgamentos são deixados de lado. É muito fácil julgar do lado de fora, mas precisamos entender o que cada personagem passou para omitir alguma opinião.

Reprodução/Netflix

A história de Hannah descrita no livro de Jay Asher já foi contada, e agora é hora de conhecermos outras. Em paralelo com as pequenas tramas individuais, 13 Reasons Why dá um enfoque maior em Jessica. Entretanto, o roteiro não consegue se sustentar pelos 13 episódios, e eventualmente a trama se torna arrastada. Os pontos fracos ainda estão lá, mas um pouco mais de veracidade compõe o roteiro. A segunda temporada não era necessária, mas a mensagem que passou sim. E agora que tomou o rumo de outro personagem, nos resta esperar pela terceira. Diferente do que aconteceu na temporada anterior, onde todas as pontas foram atadas, dessa vez muitas ficaram soltas. Ainda há diversas perguntas sem resposta, mas será que as teremos?

Os Personagens

Um dos pontos negativos da segunda temporada, é a mudança no comportamento dos personagens. Está certo que todos enfrentaram as consequências do que fizeram, mas alguns posicionamentos chegam a ser ridículos. Courtney e Ryan, por exemplo, aparecem brevemente apenas para cumprir espaço. Cada um ganha um episódio, mas depois praticamente somem. Depois de tudo o que fizeram com Hannah na primeira temporada, viram os mocinhos inocentes dignos de pena. Dylan Minnette mais uma vez repete uma performance falha e previsível. As atitudes de Clay são robóticas e artificiais, e sua angústia não convence. Em determinado momento da série, acabamos perdendo toda a empatia que desenvolvemos no começo.

13 Reasons why
Reprodução/Netflix

O nível dos atores é quase o mesmo, algo entre o bom e o satisfatório. Felizmente, a segunda temporada se constrói em cima da história de vários personagens, e o desempenho geral é aceitável. Ao final dos treze episódios, o nome de maior destaque é o de Devin Druid, que interpreta Tyler. O personagem de Druid é quem mais demonstra a ideia de que realmente está passando por todos aqueles problemas. Por fim, o ator protagoniza o momento mais chocante e pesada da temporada. Os poucos segundos da cena chocam pela realidade que transmitem, sem nenhuma roupagem ou efeito visual. E para quem já assistiu o final, seu personagem será de vital importância para o que vem por aí.

As mensagens de 13 Reasons Why

Embora não houvesse a necessidade de uma segunda temporada, é importante que ela tenha ido ao ar. A Netflix por sua vez, está de parabéns não apenas pela maneira como abordou os assuntos, como também pelos alertas que faz antes de cada episódio. O que aconteceu com Hannah, Jessica, Tyler e os outros, acontece diariamente com jovens ao redor do mundo. De mesmo modo, termos acesso ao lado dos “vilões”, como Bryce e Monty, é uma forma de identificarmos tais figuras em nossa sociedade. É fundamental que tenhamos tais temáticas abordadas no mundo do entretenimento, visando com isso, um número cada vez maior de pessoas.

Em suma, o resultado da segunda temporada de 13 Reasons Why é positivo. Sem grandes surpresas, a série se constrói pelo significado que tem, e é por isso que deve ser assistida.

  • Bom
3

Resumo

o resultado da segunda temporada de 13 Reasons Why é positivo. Sem grandes surpresas, a série se constrói pelo significado que tem, e é por isso que deve ser tratada com respeito. 

Comentários

Notícias relacionadas