Assédio

Tempos atrás, muito se falou a respeito do caso de Roger Abdelmassih. O ex médico brasileiro teve sua rede de crimes exposta, após sua primeira vítima contar a verdade. Anteriormente, o médico viu sua carreira ascender por anos em meio ao ramo da fertilização in vitro. Sendo um dos pioneiros no Brasil, ele tornou-se uma referência em reprodução humana no país. O que muitos não sabiam, porém, era que Abdelmassih utilizava-se de seus recursos como médico para estuprar e assediar pacientes. Quando uma delas decidiu, enfim, revelar a pessoa por trás da máscara de doutor, outros dramas foram expostos. Condenado a mais de 150 anos de prisão, Roger Abdelmassih foi julgado por 48 estupros, de 37 pacientes. Sua história foi um escândalo em todo país, e inegavelmente serviu de base para algumas produções. Entre elas está a mais nova minissérie da Rede Globo, que recebeu o nome de Assédio.

Assédio

Baseada no livro A Clínica: A Farsa e os Crimes de Roger Abdelmassih, a minissérie vai ao ar ainda essa semana. A produção irá contar a história de um grupo de mulheres, unidas por uma tragédia em comum. Todas procuraram Roger Sadala (Antonio Calloni) para poder, enfim, realizar o grande sonho de serem mães. Elas buscavam sobretudo, encontrar a felicidade. Entretanto, no momento em que se encontravam mais vulneráveis, tiveram a paz e o sossego tirados por aquele em que mais confiavam no momento.

A trama começa contando a vida de Stela (Adriana Esteves), uma das pacientes de Sadala. Ao lado marido, procurou o médico para tentar engravidar após dois abortos. Mesmo tendo que gastar uma quantia exorbitante de dinheiro, o casal seguiu adiante com o procedimento. Stela foi uma das vítimas de Roger Sadala.

Assédio
Reprodução

Assédio vem para contar a vida de Stela e mais quatro vítimas de Roger Sadala. Maria Camargo e Amora Mautner lideram a produção, que chega ao Globoplay no próximo dia 21.

A História

A minissérie irá narrar o drama das vítimas a partir de seu encontro com Roger. Através de depoimentos intercalados com a história, teremos acesso detalhado a vida de cada mulher. A trama não necessariamente seguirá uma ordem cronológica, mas compreende dois diferentes períodos de tempo. De 1994 a 2007, a carreira de Sadala deslanchou e o drama das vítimas começou. Já de 2008 a 2014, o escândalo foi ao ar e a verdadeira face do ex-médico revelada por meio de documentos, pronunciamentos e provas.

As cinco mulheres serão interpretadas por Adriana Esteves, Paula Possani (Eugênia), Hermila Guedes (Maria José), Fernanda D’Umbra (Vera) e Jéssica Ellen (Daiane). Com exceção da última, todas foram pacientes de Sadala e com o auxílio de Mira (Elisa Volpatto), uma jornalista determinada, se unem para expô-lo nas mídias.

Assédio
Divulgação/Rede Globo

O Elenco

Embora a história em si consiga sustentar a atenção do público, um elenco de qualidade é essencial para o melhor desenvolver da trama. Além dos já mencionados, nomes como Paolla Oliveira, Vera Fischer, Bárbara Paz, Felipe Camargo, Mônica Iozzi integram o numeroso elenco. Durante a coletiva de lançamento da minissérie, no Rio de Janeiro, tivemos a oportunidade de conversar com alguns dos atores.

“Eu acho que essa série, apesar da temática extremamente triste e violenta, ela celebra a força das mulheres. Fazer parte desse projeto nesse momento me emociona muito. É o meu trabalho mais importante até o momento – declarou Mônica Iozzi. 

A atriz ainda aproveitou para comentar um dos pontos da série que mais lhe agradou:

“As cenas de estupro costumam ser construídas através do olhar do homem. Mesmo que o autor/diretor não queira, existe uma erotização. E na série isso não existe em momento nenhum. O estupro não tem a ver com sexo, ele é um crime de ódio que tem a ver com poder. É você colocar a outra pessoa numa posição de completa e total submissão e humilhação.”

Durante toda a coletiva, a união entre as mulheres foi destacada. Visto que a equipe é formada basicamente por mulheres, desde o elenco até a produção, trazer tal assunto à tona é de extrema importância. Sendo o único homem presente no palco, Antônio Calloni aproveitou para destacar os desafios que enfrentou para viver Roger Sadala.

“Eu fui compondo esse personagem com coisas que todos nós temos, para o bem ou para o mal (…) A questão do assédio é uma coisa terrível, que tem que ser discutida. E nós temos o prazer de discutir através de um trabalho primoroso, ao mesmo tempo que propomos um debate em alto nível”. – comentou o ator

Assédio
Foto: Paula Ramos/Poltrona Nerd

Assédio chega ao ar nesta sexta-feira, dia 21 de setembro, e pode ser conferida no GloboPlay.

Comentários

Notícias relacionadas