Se você ainda não assistiu o 18º episódio da 4ª temporada de Arrow, recomendamos que feche a página. Haverá uma tonelada de SPOILERS à seguir. Avisamos novamente: SPOILERS À VISTA!

O episódio “Eleven-Fifty-Nine” deixou um gosto amargo na boca após uma revelação chocante e completamente sem nexo (outro aviso, spoiler à vista): a morte de Laurel Lance, a Canário Negro. Já era bem estabelecido que um personagem morreria próximo do final de temporada, sendo que os roteiristas começaram esta quarta temporada com um funeral. Logo foi descartado Felicity, para a infelicidade de alguns fãs e felicidade de outros.  Mais adiante teorias se acumularam em cima da morte do Capitão Lance, qual seria infinitamente mais plausível. Houve ainda teorias sobre Diggle ou Thea Queen. Infelizmente, os roteiristas soltaram a bomba e destruíram algo que estava na história do Arqueiro Verde há anos. Vamos encarar a verdade: a Canário Negro morreu.

E qual é a importância verdadeira de uma morte assim no universo televisivo da DC?

Personagem foi morta em um duelo sem sentido com Damien Dhark.

As histórias em que The Flash e Arrow são baseadas vem de escritores brilhantes que criaram obras ainda mais brilhantes há décadas. Flash vem bebendo do material fonte e está fazendo muito bem (vamos deixar claro que Arrow ia muito bem até o episódio 9 da terceira temporada), honrando personagens clássicos e construindo sua própria mitologia em torno disso. Pelo contrário, Arrow vem cada vez mais se tornando um seriado cansativo, com diálogos fracos e personagens que deixaram de ser carismáticos, como Felicity e Diggle.

Entre muitos erros, os poucos acertos foram atuações de Paul Blackthorne (o Capitão Lance) e Katie Cassidy no leito de morte, contando também com o extraordinário diálogo entre Oliver e Diggle sobre Andy (sendo essa parte a melhor escrita da série em dois anos). Claro que a morte da Canário também pode ser reversível de várias formas, especialmente se o poder de viagem temporal do Flash fosse levado em conta, porém, a personagem provavelmente não voltará.

Paul Blackthorne rouba o show com sua atuação fenomenal sem diálogos.

Um dos fatores mais proeminentes para a personagem não voltar é a falta de construção em cima dela desde a primeira temporada. Sua morte justifica que os roteiristas simplesmente não sabiam o que fazer com a Canário e querem a audiência do “Olicity“. Tirando Laurel da jogada, outra parte do público não vai enlouquecer para o casal original das HQ’s se formar. Simplesmente matar Laurel também apresenta um roteiro fraco, sem coerência nenhum, pois agora é necessário ter em vista que o universo televisivo está junto. Damien Darhk fugiu da prisão e é um dos homens mais perigosos vivos, matando em sua fuga quase uma centena de pessoas. Por que diabos ninguém chamou o Flash? Por que não voltar no tempo e avisar Oliver?

Seria o fim de Laurel Lance em Arrow?

Com infelicidade, os erros cometidos em Arrow irão reverberar para o universo DC nas telinhas e impedir maiores avanços. Sem a Canário Negro, não há razão para a existência do Arqueiro Verde (os roteiristas pareceram esquecer o episódio “Star City 2046” em Legends of Tomorrow) e, sem Arqueiro Verde, não há motivo para a existência de Arrow. Um dos produtores do seriado comentou que a morte de Laurel iria abalar o time. Estava certo.

A morte da Canário Negro abalou o próprio seriado, significando o fim de Arrow, qual já morria lentamente desde o inicio da temporada.

Confira também o nosso vídeo em que falamos sobre a série:

Comentários

Notícias relacionadas