Uma Casa no Fundo de Um Lago

Após uma longa ressaca literária, finalmente trouxe os livros de volta ao meu dia a dia. Afinal, uma vez dentro do gigantesco mundo da leitura, sempre dentro do gigantesco mundo da leitura. Além disso, ver a pilha de livros se acumulando na estante começou a me perturbar. Pensando nisso, resolvi começar por um dos últimos lançamentos da Intrínseca, Uma Casa no Fundo de um Lago, de Josh Malerman. O autor já apareceu antes no Ler é Bom Vai!, com o thriller psicológico A Caixa de Pássaros. Confesso não ter sido meu livro favorito do ano, mas certamente não foi um dos piores. A semelhança entre as tramas, porém, fica restrita àquele que as escreveu. Uma Casa no Fundo de um Lago é misterioso, mas segue a vertente do romance em determinados momentos. Mas calma, sem spoilers!

Sinopse

James e Amélia têm dezessete anos. Em comum, além da idade, têm o fato de estarem um a fim do outro e de serem tomados pelo nervosismo quando James chama Amélia para sair. Mas tudo parece perfeito para um primeiro encontro: um passeio de canoa pelos lagos, levando um cooler cheio de sanduíches e cervejas. À medida que se aprofundam na exploração, os dois chegam a um lago escondido e encontram algo impressionante debaixo d’água. Um lugar perigosamente mágico: uma casa de dois andares com tudo que tem direito — móveis, um jardim, uma piscina e uma porta da frente, que está aberta. Enquanto, fascinados, vasculham o imóvel e tentam passar uma boa impressão para o outro, cresce o medo. Será que um local misterioso como aquele esconde alguém — ou algo — vivo? Uma coisa é certa: depois de mergulhar nos mistérios da casa no fundo do lago, a vida deles jamais voltará a ser a mesma.

Uma Casa no Fundo de um Lago

Embora sejam apenas 160 páginas, a trama de Josh Malerman tem muito potencial. Com uma boa premissa, personagens aptos a serem mais desenvolvidos e um mistério cativante, é o prato cheio para uma produção cinematográfica. Entretanto, temos a impressão de que o autor ficou com medo de avançar mais em sua história.

James e Amelia têm dezessete anos e parecem saídos de um filme de época no começo. Mas isso não deve ser tomado como um fato negativo, pelo contrário. A mudança na forma de agir e pensar dos personagens acompanha a transformação da história. O que começa com um romance, termina por ser um thriller tenso e curioso. O problema está no fato de que assim que o livro começa a engatar e começamos a ficar desesperados com a leitura, as páginas se aproximam do fim. Após ler Caixa de Pássaros, ver a maneira como Uma Casa no Fundo de um Lago termina é quase decepcionante.

Uma Casa no Fundo de um Lago
Divulgação

Caso você seja claustrofóbico como eu, não recomento que invista nessa leitura. Embora tenha alguns furos, nos momentos em que nos pegamos envolvidos, é uma boa trama. E nas cenas em que os protagonistas mergulham para dentro do sinistro mundo da casa, confesso que fiquei até sem ar. Outro motivo para isso se deve a inclinação que a história tem para o terror. Fiquei aguardando apreensiva pelo momento em que algo terrível aconteceria aos dois jovens. Contudo, parece que a profundidade da trama cresceu em paradoxo a profundidade real do lago.

Ela estava sorrindo. O sorriso de sobrancelhas arqueadas que amigos dão uns aos outros antes de entrarem na casa dos horrores do parque de diversões ou de darem play em um filme extremamente assustador. 

O maior problema em Uma Casa no Fundo de um Lago foi, para mim, a expectativa. O tempo todo parece que vamos começar a ler uma história sem igual, repleta de suspense e detalhes. E isso certamente não é. Não se enganem, o mistério existe, e nas páginas que o contém é suficiente. O problema começa quando temos de tratar o livro como algo ainda mais denso. Não passa de um conto bem escrito e envolvente. Quanto ao romance, repleto dos mais tradicionais clichês do gênero.

Uma Casa no Fundo de um Lago

  • Bom
3.5

Comentários

Notícias relacionadas