As Elizas

Pretty Little Liars foi uma das séries mais marcantes de toda a minha adolescência. Por isso, quando descobri que a autora por trás do seriado tinha escrito um livro, corri para ler. As Elizas chegou em minhas mãos através da parceria com a Editora HarperCollins Brasil. Confesso que não pude deixar de lembrar das aventuras de Arya, Spencer, Emily, Hannah e Alison ao ler a nova trama da autora. Mas assim como a anterior, As Elizas se desenvolve sem muito esforço. A história parece ter sido feita para ser interpretada em uma tela, seja de cinema ou de televisão. O livro demorou para engatar, é provável que um pouco mais do que o necessário. Porém, uma vez que a vida de Eliza começa a se revelar, é praticamente impossível não seguir até o final.

Pretty Little Liars
Reprodução

Sinopse

Quando a escritora estreante Eliza Fontaine é encontrada no fundo da piscina de um hotel, sua família acredita ter sido mais uma tentativa de suicídio fracassada. Mas Eliza jura que foi empurrada, e sua única testemunha é quem a salvou. Desesperada para encontrar o culpado, Eliza toma para si a investigação do caso. Mas, conforme a data de lançamento do seu primeiro livro se aproxima, ela se vê com mais perguntas do que respostas. Por que a editora, agente e a família estão misturando os acontecimentos de sua vida com os de seu livro? Ele não é totalmente ficcional?

O Livro

As Elizas se concentra na vida de Eliza Fontaine, uma escritora prestes a ter seu primeiro romance publicado. Enquanto seguia sua vida nada normal, ela foi pega de surpresa ao acordar no hospital. Antes que possa se dar conta, percebe que os mesmos problemas e tormentos enfrentados por sua protagonista estão acontecendo com ela. Seu histórico médico não é dos melhores, principalmente por ter tido um tumor cerebral quando era mais nova. Por consequência, diversas crises de amnésia assombraram a vida da garota, fazendo com que sua família não leve muito em conta o que ela diz. Após quase se afogar em uma piscina, ela luta para convencer seus pais de que tentaram assassiná-la. Afinal, o que é mais uma tentativa de suicídio para quem já tentou outras vezes?

Por coincidência ou não, após sua “nova” tentativa de suicídio, a popularidade de seu livro cresce exponencialmente. Nem mesmo sua editora parece acreditar nela. Quando Desmond Wells surge em sua porta, se identificando como a pessoa que a tirou da piscina, o mistério daquela noite volta a assombrá-la. Por que ela não consegue lembrar de nada?

“Meu rosto queima. Não estou bêbada, decreto em silêncio. Posso ter um tumor cerebral. Não é culpa minha. Mas então me lembro do hidromel que tomei antes de sair da loja de Steadman. Quantos shots tomei? Dois, três, mais do que isso? O que tinha naquele hidromel afinal de contas? Foi por isso que fui tão corajosa ao pegar o celular de Leonidas?”

As Elizas
Divulgação

O Que Achamos de As Elizas?

Sara Shepard resolveu agraciar o leitor com trechos do livro de Eliza Fontaine. Os capítulos de As Dots são intercalados com os da história da protagonista, o que para mim, se tornou algo negativo. Enquanto entrávamos na trama principal, tínhamos que esperar algumas páginas para ter sua continuação. Alguns trechos eram curtos, mas outros eram tão longos que quase dava para esquecer onde Eliza tinha parado. As semelhanças entre ela e a protagonista de seu livro são perceptíveis desde o primeiro momento. Ao final, descobrimos a verdade por trás de suas palavras, e a autora certamente conseguiu me surpreender.

Assim como fez com Pretty Little Liars, a autora soube separar sua trama de forma a manter o leitor sempre preso nas páginas. Mesmo que em certo momento tenha se tornado um pouco lento, os capítulos nos obrigam a seguir adiante. Shepard não desenvolveu uma história muito complexa e densa, pelo contrário. O conteúdo de seu livro é um grande clichê, que certamente já foi visto em outras produções. Sabemos que a autora tem capacidade para criar algo original, então sinceramente não entendi o porquê de ela apostar no mesmo.

Por fim, As Elizas foi uma grande surpresa, ao mesmo tempo positiva e negativa. Por toda a repercussão de Pretty Little Liars, esperava algo no mínimo nesse nível. Contudo, o livro se mostrou algo não original e repetitivo. Nos resta esperar o próximo best-seller da autora para voltarmos a nos surpreender.

Comentários

Notícias relacionadas