Continuamos com as críticas de filmes indicados ao Oscar. Carregando o peso de sete indicações, Três Anúncios Para Um Crime se revela como algo interessante e diferente. Iniciado sem muito revelar, o longa vai mostrando a que veio a medida que sua história começa a ser contada. Não espere um filme autoexplicativo, pois a solução está nos detalhes. A riqueza presente nos diálogos do filme é genial, moldando o tipo de produção que seu diretor desejava oferecer. Com um roteiro bem elaborado e um elenco capaz de interpretá-lo da melhor maneira possível, Três Anúncios Para Um Crime entrega um material de altíssima qualidade.

O Filme

O longa se inicia quando Mildred Hayes compra três outdoors. Localizados em uma pequena estrada de acesso à Ebbing, os cartazes são usados pela mulher em forma de protesto. Os três anúncios, que dão nome ao filme, exibem mensagens destinadas à polícia local, cobrando-a pela não resolução do assassinato de sua filha. Não demora muito para toda a pacata cidade ficar sabendo. O equilíbrio de Ebbing é completamente destruído, principalmente quando pessoas importantes do local começam a ser questionadas. Mildred está disposta a ir fundo na exposição e acaba travando uma briga com a polícia. Seu alvo principal é o xerife Bill Willoughby, mas pelo caminho encontra obstáculos que não imaginava.

Outra figura que passa a ganhar destaque com a trama é Dixon, um policial da pior espécie que se utiliza da violência para resolver seus problemas. Aos poucos, a medida em que é confrontado, o homem vai mostrando sua verdadeira máscara. A medida em que sua história é contada, o enredo do filme toma outra forma. O drama de Mildred não é o único a ser explorado e a cidade de Ebbing passa a ser palco de uma série de revelações.  A repulsa inicial que temos por Dixon vai, gradativamente, se transformando em humanidade. Como já dito acima, tudo em Três Anúncios Para Um Crime está nos detalhes. Desde pequenos trejeitos de um personagem até cenas inacabadas que dependem da dedução do público. Martin McDonagh terminou por produzir algo que esbanja qualidade e só cresce nas mãos de um elenco de tamanho talento.

Divulgação

O Elenco

Três Anúncios Para Um Crime poderia ter seu elenco resumido em três pessoas, que juntas desempenham o roteiro de McDonagh. Frances McDormand está esplêndida. Seu sofrimento e angústia atravessam as telas, nos deixando ansiosos para um desfecho. A interpretação da atriz é natural, criando a imagem de uma mãe desesperada e amargurada pela tragédia em seu passado. Ela não economiza em seus xingamentos e protestos, e é isso que nos faz amá-la cada vez mais. O jeito debochado e irônico caiu perfeitamente com a espontaneidade já conhecida de McDormand. Sem dúvidas, uma atuação brilhante.

Assim como Frances, outro personagem que ganha destaque por seu jeito bruto e complexo é Bill Willoughby. Woody Harrelson encarna na pele do policial, deturpado e agoniado por não resolver os problemas de sua cidade. Quando Mildred o expõe em um dos outdoors, o delegado dá adeus a seu sossego. Embora esteja enfrentando um câncer terminal, não mede esforços para buscar justiça pela mulher desesperada. Juntos protagonizam os diálogos mais emocionantes e comoventes da trama. Harrelson nos dá mais um exemplo de seu ecletismo, já tendo interpretado diversos personagens com maestria.

Para que Dixon fosse bem desenvolvido e interpretado pelo público, teria de ser interpretado por Sam Rockwell. Irresponsável e infantil, o policial cresce e amadurece em frente aos nossos olhos. Beirando a infantilidade, Dixon não tem a menor consciência de seus atos até ser prejudicado por eles. Rockwell entrega uma atuação incrível e inacreditável, principalmente após o desfecho do filme. Outros destaques no elenco são os nomes de Peter Dinklage, John Hawkes, Abbie Cornish e Caleb Landry Jones. Juntos contribuem para os momentos de descontração do longa, quando o mesmo não está voltado apenas para seus protagonistas.

Divulgação

O Que Achamos?

O filme é sensacional. Três Anúncios Para Um Crime tinha tudo para não obter destaque, visto que não possui grandes cenas de ação ou plot twists surpreendentes. Recheado de sentimentos, o longa se destaca por suas cenas orgânicas e verdadeiras. Aqui temos a prova de que não é preciso muito para se produzir algo de qualidade. Com seu humor irônico e sem papas na língua, faz críticas ao sistema policial, sem a necessidade de argumentos explícitos. McDonagh trouxe para as telas um material cru, mas que vai ganhando cor na visão do espectador. O roteiro, somado a excentricidade e naturalidade do elenco, resulta em algo muito bom. Acima de tudo, Três Anúncios Para Um Crime é um filme extremamente humano.

A profundidade das cenas protagonizadas por McDormand são o chamariz da trama. Ao lado de Harrelson e Rockwell, ela transformam o cenário pacato em algo tenso e neurótico. Nada mais é o que parece em Ebbing, muito menos seus habitantes. A maneira como os personagens foram criados, os torna imprescindíveis para o filme como um todo. Ninguém está ali apenas para tapar buraco, todos tem uma história a contar. O modo com são desenvolvidos evidencia o lado psicológico do ser humano. Lidamos com assuntos séries e de vital importância, e ter-los compreendidos sem muita ficção é essencial.

Por fim, Três Anúncios Para Um Crime cumpre seu objetivo: informar ao público, expor os problemas e tratá-los da forma mais neutra e natural possível.

  • Muito Bom
4

Resumo

Três Anúncios Para Um Crime é sensacional! Recheado de sentimentos, o longa se destaca por suas cenas orgânicas e verdadeiras. Com um roteiro muito bem elaborado e um elenco de tamanho talento, estamos diante de um material de grande qualidade.

Sending
User Review
2.5 (10 votes)

Comentários

Notícias relacionadas