Bohemian Rhapsody se tornou a maior bilheteria de uma cinebiografia musical. Apesar dos números impressionantes, o filme deixou alguns fãs chateados por retirar e alterar a cronologia de alguns fatos. Felizmente, os fãs de Mötley Crüe sairão satisfeitos porque The Dirt – Confissões do Mötley Crue mostra quem a banda realmente foi para o bem e para o mal.

O filme adapta a biografia oficial da banda que marcou o gênero glam rock nos anos 80. O livro publicado em 2001 registra todos os fatos polêmicos da banda. O filme deixa de lado alguns fatos e brinca durante a narrativa sobre a ausência deles, mas não esconde que a banda fez muita besteira e abusou do lema sexo, drogas e rock and roll.

The Dirt

A cinebiografia acompanha o início da banda com Nikki Sixx (Douglas Booth) procurando integrantes para uma nova banda. Tommy Lee (Machine Gun Kelly), Mick Mars (Iwan Rheon) e Vince Neil (Daniel Webber) se juntam e nascem o Mötley Crue, banda que mudou o cenário do rock nos anos 80, mas também manchou pelos excessos.

Narrativa

O longa dirigido por Jeff Tremaine usa de forma eficiente a quebra da quarta parede. O filme é narrado pelos quatro integrantes, principalmente Nikki Sixx. Nas cenas mais polêmicas, eles olham para a câmera de forma irônica como se orgulhassem ou se envergonhassem da idiotice que fizeram. O longa não esconde os dramas particulares de cada membro como o acidente de carro que vitimou Nicholas ‘Razzle’ Dingley (baterista da banda Hanoi Rocks) e levou Vince Neil à prisão.

Mötley Crue foi uma banda com muitos altos e baixos. E o longa consegue balancear os momentos cômicos e pesados vividos pelo grupo.

Elenco

Douglas Booth, Machine Gun Kelly, Iwan Rheon e Daniel Webber estão ótimos como o quarteto. Cada um representa de forma justa a personalidade de cada integrante. Rheon diverte e se diverte como o excêntrico Mick Mars pelas tiradas ranzinzas por ser o integrante mais velho da banda e que já viveu quase tudo que os outros estão vivendo. A interpretação dos quatro mistura risos, lágrimas e raiva. Cada um se entrega de forma louvável.

Veredito

Com performances surpreendentes e um visual caprichado que captou tudo de extravagante nos anos 80, The Dirt não tem medo de mostrar quem foi Mötley Crüe. Uma banda que tinha tudo para dar errado, mas que conquistou multidões pelo carisma e rebeldia de cada integrante. No retorno das cinebiografias musicais, é um dos filmes que mais souberam captar a essência de uma banda.

 

4

Ótimo

Com performances surpreendentes e um visual caprichado que captou tudo de extravagante nos anos 80, The Dirt não tem medo de mostrar quem foi Mötley Crüe. Uma banda que tinha tudo para dar errado, mas que conquistou multidões pelo carisma e rebeldia de cada integrante.

Comentários

Notícias relacionadas