Tal Pai, Tal Filha

Na última sexta-feira (03), um novo drama chegou a Netflix. Usando-se de piadas para aliviar o clima triste de sua história, Tal Pai, Tal Filha traz Kristen Bell no papel da protagonista. É provável que nos primeiros minutos, inclusive, o público pense estar começando a assistir mais uma das comédias bobas norte-americanas. Felizmente, o longa não demora para surpreender e para revelar o verdadeiro gênero do filme. O roteiro certamente não é dos melhores já produzidos pela Netflix. Mas visto que que seus últimos lançamentos não foram de muito sucesso, Tal Pai, Tal Filha, é sem dúvidas, um destaque positivo. A produção é leve e ótima para ser vista em uma tarde chuvosa em família. Além disso, o elenco se encaixa muito bem ao que o filme exige, sem tentar parecer ou menos do que é.

Uma curiosidade do filme pode ser um ótimo motivo para te fazer assistí-lo. A direção de Tal Pai, Tal Filha ficou por conta de Lauren Miller Rogen, e não, você não se enganou se a relacionou com o ator Seth Rogen. Além de ficar responsável por dirigir o longa, Miller também assinou o roteiro e a produção, mas esse ainda não é o motivo. Durante sua faculdade, Lauren não tinha muitas inspirações femininas que a motivassem para seguir carreira no ramo de direção. Após escrever o roteiro de Tal Pai, Tal Filha, decidiu apostar mais uma vez no desejo de dirigir. Mesmo que já tivesse feito pequenas participações nos filmes estrelados pelo marido Seth, foi difícil que algum estúdio lhe desse uma chance.

Felizmente, a oportunidade surgiu na Netflix, que de acordo com Miller, está cada vez mais disposta a arriscar com os novatos. Após assistir seu filme, você certamente irá agradecer ao serviço de streaming por ter dado uma chance a Lauren.

Tal Pai, Tal filha
Reprodução/Netflix

O Filme

Tal Pai, Tal Filha traz a história de Rachel, uma mulher obcecada por trabalho, que é abandonada no altar por conta de sua obsessão. Como se isso já não fosse ruim o suficiente, seu pai aparece na igreja como se nada tivesse acontecido. O problema? Ele a abandonou quando ela tinha apenas 5 anos de idade. Juntando os dois motivos, Rachel resolve terminar seu dia em um bar e recebe a companhia do pai. Com um primeiro encontro regado a muito álcool, pai e filha começam uma conturbada e intensa tentativa de reconciliação. Após ficarem extremamente bêbados, acordam em um cruzeiro luxuoso pelo Caribe. Rachel não lembra, mas enquanto curtia seus momentos embriagada, convidou o pai para se juntar a ela na viagem que seria sua lua de mel. Acreditem, tudo isso acontece nos dez minutos iniciais de Tal Pai, Tal Filha.

Enquanto procura sinal em pleno oceano, a protagonista procura fugir do pai. É difícil perdoá-lo após tanto tempo, mas na situação em que se encontra, Rachel percebe não ter mais ninguém. Harry por sua vez, esconde uma grande perda em seu passado e está tremendamente arrependido de ter abandonado a filha. Os dois têm de aprender a conviver não apenas um com o outro, mas também com seus companheiros de mesa. O grupo toma como missão se divertir na viagem, mesmo que precisem vencer o mau humor de Rachel. O resultado é uma série de momentos divertidos e bonitos, protagonizados principalmente por Harry e Rachel.

Tal Pai, Tal Filha
Reprodução/Netflix

O Que Achamos de Tal Pai, Tal Filha ?

Qualquer pessoa que assista aos primeiros minutos do filme, certamente pensará que está diante de uma comédia romântica. Todos os elementos estão ali: o noivo que desiste em cima da hora, a noiva bonita abandonada no altar, e a ida ao bar depois da grande vergonha que passou. O que eu não imaginava, porém, é o quão intensa a história estava prestes a se tornar. Lauren Miller Rogen conseguiu desenvolver a dose certa de comédia para seu filme. Tal Pai, Tal Filha, como o nome já diz, é uma produção que fala sobre o relacionamento de um pai com uma filha após anos separados. E sua diretora soube balancear muito bem a diversão com o drama.

A ida dos dois para um cruzeiro foi outra sacada genial, pois embora torne o filme previsível em várias cenas, é o cenário ideal para Rachel e Harry se reconciliarem. A articipação dos personagens secundários foi muito bem pensada e escolhida. O grupo ajuda a manter a trama em um nível estável, apenas com uma grande reviravolta no final. Este certamente não vai ser o melhor filme que você verá esse ano, mas com certeza não será daqueles que nos fazem pensar termos perdidos preciosos minutos de vida. Lauren Miller Rogen acertou em insistir em seu roteiro, pois culminou para o clima jovial e alegre do filme. Até mesmo a participação de seu marido é boa, em bora não tenha sido muito marcante. Seth Rogen entra na história na hora certa e a deixa no momento em que a produção precisa que ele saia.

Tal Pai, Tal Filha
Reprodução/Netflix

O Elenco

Kristen Bell é a grande estrela do filme, afinal, vive a protagonista presente em quase todas as cenas. Embora sua personagem não exigisse uma grande atuação, a atriz conseguiu adicionar características únicas a Rachel. Não podemos deixar de mencionar também, a importância de ter uma protagonista feminina forte em mais uma produção cinematográfica. Ainda mais quando tal produção é dirigida e escrita por uma mulher. Mesmo quando parece que Rachel irá se render aos clichês e embarcar em um romance com o personagem de Seth Rogen, ela se mostra firme e apenas o usa para seu bel-prazer.

Kelsey Grammer interpreta o segundo personagem mais importante para trama, o pai de Rachel. Embora não seja seu melhor trabalho, o ator faz o necessário para manter seu papel no nível exigido pelo filme. Ao lado de Kristen Bell, formam uma dupla de pai e filha bastante aceitável e engraçada. Lembra quando falamos que o filme na verdade é um drama? Tal caracterização deve ser aplicada ao personagem de Grammer. Ele esconde uma grande perda em seu passado, além de acontecimentos que sua filha ainda não sabe. Mas desde o início é possível enxergar veracidade nas informações que Harry transmite. Os diálogos estabelecidos entre ele e Kristen Bell estão entre os pontos altos da trama.

Tal Pai, Tal Filha
Reprodução/Netflix

Em suma, Tal Pai, Tal Filha é daquelas produções perfeitas para uma tarde de filmes com os amigos. Equilibrando bem o limite entre a comédia e o drama, o filme é uma grande surpresa e uma ótima adição ao cardápio amplo da Netflix.

  • Bom
3

Resumo

Tal Pai, Tal Filha é daquelas produções perfeitas para uma tarde de filmes com os amigos. Equilibrando bem o limite entre a comédia e o drama, o filme é uma grande surpresa e uma ótima adição ao cardápio amplo da Netflix. 

Sending
User Review
0 (0 votes)

Comentários

Notícias relacionadas