Em plena era da internet, Pokémon Go e redes sociais, nos vemos cada dia mais dependentes e até mesmo viciados em ter uma boa imagem virtual. Como tudo na vida, existem vantagens e desvantagens nesse exibicionismo, como ganhar dinheiro ou perder toda sua privacidade. Nerve: Um Jogo Sem Regras nos mostra, até onde se pode ir para conseguir essa boa imagem, independente das consequências que podem vir junto.

O ritmo frenético e eletrizante da história podem ser visto já no trailer, que com quase 3 minutos de duração, expõe quase todo o filme. Antes mesmo de assisti-lo, já sabemos substancialmente, o que acontece em cada uma das cenas. Uma das qualidades de uma boa produção é a surpresa, o “não saber” o que vai acontecer em seguida, capturando a atenção do público em todos os minutos.

Em Nerve, o que prende a atenção é o jogo de luzes, o ritmo acelerado da história e a empatia do espectador para com os personagens. Acabamos torcendo para que algo aconteça ou não e dá uma leve sensação de alívio quando algumas cenas dão certo.

A história tem a possibilidade de seguir duas vertentes, a de atrair um público jovem e adu569832.jpg-r_1280_720-f_jpg-q_x-xxyxxlto ou apenas um público adolescente, e tende para a segunda opção. Emma Roberts e Dave Franco protagonizam o casal central, Vee e Ian/Sam, que se conhecem devido ao jogo virtual do momento. Baseado no romance de Jeanne Ryan, no filme, Vee adentra o mundo da internet e tem todos os seus passos e atos manipulados por uma comunidade anônima de hackers, e acaba conhecendo outros jogadores.

Tudo acontece muito rápido e algumas pontas ficam soltas, mesmo quando o filme acaba. O roteiro poderia ser melhor explorado e adaptado, já que há conteúdo para ser falado e desenvolvido. Uma série de TV com as características e enredo da trama, poderia render um resultado melhor e atrair uma quantidade maior de espectadores, além de render mais sucesso a história.

Apesar dos defeitos já mencionados, o filme é bom. O público se vê envolvido com os personagens, torce em alguns momentos e presta atenção até o fim. Tudo571082.jpg-r_1280_720-f_jpg-q_x-xxyxx que nos impressiona na trama, acontece frequentemente no “mundo real” e muitos não imaginam. O caráter adolescente não chega a prejudicar a obra, mas a torna previsível (o que nesse caso, não é algo negativo, apenas satisfatório) e semelhante aos filmes da Disney.

Em resumo, Nerve: Um Jogo Sem Regras tinha tudo para ser um dos grandes filmes do ano, com cenas eletrizantes, teorias, rapidez e muita ação; mas será provavelmente tachado de filme adolescente. O trailer acabou por revelar boa parte de seu conteúdo e poucas são as cenas essenciais não mostradas nos quase 3 minutos de duração. As qualidades superam os erros que a produção apresenta, e a mesma daria uma ótima série de televisão!

 

Nerve estreia em 25 de agosto nos cinemas.

  • Bom
3

Resumo

Nerve: Um Jogo Sem Regras tinha tudo para ser um dos grandes filmes do ano, com cenas eletrizantes, teorias, rapidez e muita ação; mas será provavelmente tachado de filme adolescente. O trailer acabou por revelar boa parte de seu conteúdo e poucas são as cenas essenciais não mostradas nos quase 3 minutos de duração. Apesar dos defeitos, o filme é bom e as qualidades superam os erros que a produção apresenta. O público se vê envolvido com os personagens, torce em alguns momentos e presta atenção até o fim. Tudo que nos impressiona na trama, acontece frequentemente no “mundo real” e muitos não imaginam.

Sending
User Review
2 (2 votes)

Comentários

Notícias relacionadas