Quando foi anunciado que a Sony faria um longa animado do Homem-Aranha no cinema, a resposta mental foi: “Lá vem mais um caça-níquel”. Afinal, desde 2002 são seis filmes do aracnídeo nas telonas em um espaço curto de 16 anos, sem contar com as participações nos filmes da Marvel e o recente Venom, derivado do herói. Homem-Aranha no Aranhaverso faz pensar: “Chega!”

Eis que o trio de diretores Bob Persichetti, Peter Ramsey e Rodney Rothman renovam ao introduzir um personagem inédito do cânone em um longa animado que mais aproveitou o potencial da criação de Stan Lee e Steve Ditko. Todos os requisitos que fazem do Homem-Aranha um dos heróis mais amados do mundo estão presentes nessa adaptação.

O Filme

A história se passa em um multiverso onde o solitário adolescente Miles Morales (Shameik Moore) é picado por uma aranha radioativa e ganha superpoderes a tempo de ver o Homem-Aranha da sua dimensão morrer ao enfrentar o Rei do Crime. Entretanto, ao visitar o túmulo de seu ídolo em uma noite chuvosa, ele é surpreendido com a presença do próprio Peter, vestindo o traje do herói por baixo de um sobretudo. Porém, não é o herói que ele tanto amou. Se trata de uma versão alternativa chamada Peter B. Parker (Jake Johnson), um Homem-Aranha com excesso de peso e deprimido, que se separou da esposa Mary Jane. Outros aranhas de diferentes multiversos se juntam a Miles como Spider-Gwen (Hailee Steinfeld), Aranha-Noir (Nicolas Cage), Peni Parker (Kimiko Glenn) e Aranha-Ham (John Mulaney). Para fazer com que esses outros Aranhas voltem às suas dimensões, Miles precisa aprender a se tornar o Homem-Aranha, enquanto divide sua relação com o pai, Jefferson (Brian Tyree Henry) e o doce, mas sombrio Tio Aaron (Mahershala Ali).

Miles Morales x Peter B. Parker

O mais admirável em Homem-Aranha no Aranhaverso é a relação de amadurecimento entre Miles Morales e Peter B. Parker. Morales se sente inseguro e sem expectativas do tipo de pessoa que ele quer ser ao assumir o manto do Homem-Aranha. Antes de ser picado, seu objetivo era retornar ao Brooklyn, onde se sente mais a vontade. Sua vida na escola preparatória obrigada pelo pai se tornou um fardo. Ao se encontrar com Peter B. Parker, ambos acabam descobrindo algo que acreditavam que não serem capazes. Peter serve como um mentor de Miles, o que parecia impossível, dado a vida desleixada após tantas decepções pessoais. Ao reunir vários aranhas de diferentes dimensões, é interessante notar que todos buscam se encontrar no mundo. Miles, Peter e cia se dão conta que não estão sozinhos e que juntos são capazes de enfrentar qualquer desafio. Uma boa ilustração da figura do Homem-Aranha, um herói que jamais foi perfeito. Exatamente por isso, por ser “gente como a gente”, que ele cativa o público ao trabalhar com eficiência temas cotidianos.

Phil Lord e Chris Miller

Produzido por Phil Lord e Chris Miller, é inevitável a comparação de Homem-Aranha no Aranhaverso com LEGO Batman, animação que também esteve nas mãos da dupla. As duas animações tem algo em comum: Não é um mero longa animado infantil. As tramas e motivações são bem desenvolvidas sobre cada Aranha. O longa jamais subestima o fato do público alvo ser de uma idade mais baixa.

Visual

Não é a toa que Homem-Aranha no Aranhaverso conquistou o Globo de Ouro e Critic’s Choice Awards de Melhor Animação nos últimos dois finais de semana. A Sony Pictures Animation realizou algo que destoa de muitas produções do gênero. O visual em tela é como uma revista em quadrinhos com traços que lembram o grafite artístico de rua. Aranhaverso é um espetáculo visual com cenas frenéticas de ação. Em alguns momentos, o visual lembra o belíssimo game Spider-Man lançado para PS4 em 2018, aproveitando a paleta de cores e a variedade de efeitos visuais para criar uma viagem empolgante por Nova York.

O que achamos?

Homem-Aranha no Aranhaverso supera qualquer expectativa. O que parecia ser mais um filme do super-herói da Marvel resultou na obra cinematográfica mais completa do cabeça de teia. Uma reformulação necessária, mas sem deixar de lado uma história adorável e divertida. Miles Morales provou sua importância e deu uma resposta que Homem-Aranha é um símbolo universal. Qualquer um pode vestir sua máscara. Se você acha que já viu tudo sobre Homem-Aranha no cinema, apenas espere. Você ainda não viu nada.

 

5

Excelente

Homem-Aranha no Aranhaverso supera qualquer expectativa. O que parecia ser mais um filme do super-herói da Marvel resultou na obra cinematográfica mais completa do cabeça de teia. Uma reformulação necessária, mas sem deixar de lado uma história adorável e divertida. Miles Morales provou sua importância e deu uma resposta que Homem-Aranha é um símbolo universal. Qualquer um pode vestir sua máscara. Se você acha que já viu tudo sobre Homem-Aranha no cinema, apenas espere. Você ainda não viu nada.

 

Comentários

Notícias relacionadas