Garota Exemplar

Se há um cineasta que cumpre o que promete é David Fincher. De 1995 pra cá, ele foi responsável pelos principais thrillers apresentando um trabalho de direção ímpar. São eles: Clube da Luta, Seven, Vidas em Jogo, Zodíaco, A Rede Social e Os Homens que Não Amavam as Mulheres.

Em Garota Exemplar (Gone Girl), adaptação do livro de Gillian Flynn, que também roteiriza a história, Fincher entrega um dos melhores filmes de 2014.

A trama acompanha Nick Dunne (Ben Affleck), um escritor frustrado que, se casa com Amy (Rosamund Pike), também escritora, mas bem sucedida pela criação da personagem ‘Amy Exemplar’. Passando por problemas financeiros, o casal abandona Nova York para morar em Missouri, motivados pela doença da mãe de Nick. O casamento dos sonhos se torna um pesadelo na comemoração de cinco anos de casório. Misteriosamente, Amy desaparece e as evidências vão de encontro a Nick, que vai se demonstrando uma pessoa totalmente contrária à figura do bom moço. A imprensa local logo aponta o marido como o culpado e as investigações da detetive Rhonda (Kim Dickens) não deixam dúvidas de que Nick é o culpado pelo sumiço e a possível morte de Amy.

Com um roteiro com muitas pontas que vão sendo amarradas a cada cena com reviravoltas impressionantes, a trama de Garota Exemplar só pode ser discutida até aqui para não entregar muita coisa. Um dos grandes prazeres do longa (e que Fincher é mestre nisso) é de apresentar uma rede de mistérios e “confundir” o público. Aqui, ao mostrar brilhantemente as duas visões dos protagonistas.

Nick de início é apresentado como um cara romântico e que ama a esposa. Com cenas de flashback e através de narrações do diário de Amy, o sujeito logo se mostra um homem falho e com defeitos para os olhos da imprensa e da família de Amy imperdoáveis. Já Amy é apresentada como uma mulher controladora e manipuladora aos olhos do marido. O roteiro de Flynn reforça esse contraste assim como no livro e mantém um ritmo intenso.

Além disso, Fincher aproveita o texto inteligente do longa para fazer uma dura crítica relevante com a imprensa mundial, que gosta de se deliciar em vender manchetes e conseguir audiência em programas sensacionalistas com casos de clamor público.

Já é de praxe que o diretor gosta de trabalhar incessantemente as cenas com o elenco e isso dá resultado em tela. Ben Affleck, que vive um importante momento em sua carreira, proporciona uma atuação formidável trabalhando bem o contraste que a história apresenta sobre Nick. Rosamund Pike entrega a atuação de sua carreira em uma performance digna de premiações. Fincher ainda consegue a façanha de fazer o inexpressivo Tyler Perry atuar (e muito bem) no papel do advogado de Nick.

Também merece elogios o elenco de apoio formado por Neil Patrick Harris, Kim Dickens, Carrie Coon, Patrick Fugit e Scoot McNairy, com atuações importantes, algumas delas cruciais para as respostas sobre o caso Amy.

Trent Reznor e Atticus Ross, parceiros dos últimos longas de Fincher, repetem mais uma competente trilha sonora. Novamente, a dupla usa a trilha como um complemento de cada cena e não em uma forma de ser superior e se destacar mais que o próprio filme, algo que é costumeiro acontecer em algumas produções.

Na corrida para o Oscar, Garota Exemplar arranca na frente com mais uma obra cinematográfica desse talentoso David Fincher, um dos grandes diretores desta geração. Uma experiência única no cinema.

Comentários

Notícias relacionadas