Sabe aqueles filmes que queremos dar mais do que a nota máxima? A nova versão de A Bela e a Fera é, sem sombra de dúvida, um desses casos.

De uns tempos para cá, alguns clássicos contos de fada vêm sendo produzidos e relançados no formato Live-Action, adicionando um toque de realidade aos desenhos de nossas infâncias. Histórias como Alice no País das Maravilhas, Malévola e Cinderela, ganharam atores reais para interpretar seus personagens, além de todo um cenário ao redor, representando os reinos encantados. A última fábula escolhida para ganhar vida nos cinemas foi A Bela e a Fera, revivendo a magia da produção do Walt Disney Animation Studios, de 1991, baseado no filme francês de 1946.

Logo nos deparamos com um rosto conhecido no papel da protagonista Bela, vivida por Emma Watson, que finalmente se desvencilha de Hermione Granger. Criticada por muitos desde o momento de sua escolha, Watson honra a emblemática personagem não apenas por sua ótima atuação, mas pela bela voz ainda desconhecida pelo público, que certamente é um show a parte. Do outro lado temos Dan Stevens, atualmente em Legion, vivendo o príncipe transformado na monstruosa Fera, que através de efeitos visuais surpreendentes, transmite realidade e emoção em suas feições.

Um dos principais problemas presentes nos últimos Live-Actions lançados, foram as mudanças feitas em relação a história original. Em A Bela e a Fera isso não acontece faz com que a produção seja a melhor já feita. Os fãs com mais de 20 anos irão se emocionar ao ouvir as músicas de sua infância e ver as inesquecíveis cenas retratadas de maneira tão excepcional e real, enquanto os mais novos terão a chance de conhecer uma das clássicas princesas de Walt Disney.

Ao lado dos protagonistas, um elenco de peso ajuda a moldar o enredo e transformar o drama em algo gostoso e prazeroso de assistir, mesmo boa parte dele tendo sido revelada após a quebra da maldição. Ewan McGregor interpreta o candelabro Lumière, Ian Mckellen ,o relógio Cogsworth (Horloge), Emma Thompson, a chaleira Senhora Potts (madame Samovar), Nathan Mack, a pequena xícara quebrada Chip, Gugu Mbatha-Raw, o espanador Plumette, Audra McDonald, o guarda-roupa Garderobe, Stanley Tucci, o piano Maestro Cadenza, Kevin Kline, o pai de Bela, Maurice, e Hattie Morahan, a feiticeira Agathe.

O vilão Gaston é interpretado por Luke Evans, que atua de forma deslumbrante e incrivelmente semelhante ao original da Disney, além de adicionar uma bela e potente voz as músicas alegres dos camponeses. Finalmente, Josh Gad vive o “polêmico” personagem Le Fou, escudeiro que nutre uma paixão homossexual por Gaston e é o responsável por boa parte das gargalhadas e momentos engraçados da história. Certamente um elenco fenomenal, para um filme de igual característica.

Outra grande jogada do diretor Bill Condon foi a inclusão da maior parte, senão todas, das canções de Alan Menken e Howard Ashman do musical da Broadway, ornamentando o enredo com as emblemáticas músicas de A Bela e a Fera. Apesar de não cantar a versão original  de “Beauty and the Beast” ,de sua autoria, Céline Dion interpreta uma nova balada, “How Does a Moment Last Forever“, inserida no começo dos créditos, seguida da tão divulgada versão de Ariana Grande e John Legend da música principal. Você com certeza irá sair do cinema querendo ouvir toda a trilha sonora novamente, além de cantarolá-la incessantemente o resto do dia.

Por fim, a produção Live-Action de A Bela e a Fera é daqueles filmes que assistimos com um sorriso no rosto do início ao fim, além de lágrimas nos olhos de emoção e felicidade ao relembrar momentos da infância. Emma Watson encara um papel de grande responsabilidade e e com tamanha maestria se transforma na princesa de um dos principais contos de fada. A realidade com que a Fera é retratada e interpretada por Dan Stevens se encaixa no personagem assustador e solitário das histórias e ao lado de Watson, vivem o icônico casal de Walt Disney. Sem muitas mudanças no roteiro, o filme não poderia ter sido melhor, embalado por ótimas músicas e um elenco excepcional. Indubitavelmente dá vontade nunca mais sair da sala de cinema e revê-lo inúmeras vezes. Obrigada Bill Condon!

  • Excelente
5

Resumo

Sabe aqueles filmes que queremos dar mais do que a nota máxima? A nova versão de A Bela e a Fera é, sem sombra de dúvida, um desses casos. Emma Watson honra a emblemática personagem da Disney não apenas por sua ótima atuação, mas pela bela voz ainda desconhecida pelo público, que certamente é um show a parte. Dan Stevens, vive o príncipe transformado na monstruosa Fera, que através de efeitos visuais surpreendentes, transmite realidade e emoção em suas feições. Ao lado dos protagonistas, um elenco de peso ajuda a moldar o enredo e transformar o drama em algo gostoso e prazeroso de assistir.

Comentários

Notícias relacionadas