Os cineastas por trás da nova versão de Cemitério Maldito estão adotando uma abordagem antiga para manter o público aterrorizado. As adaptações das obras de Stephen King continuam muito populares entre os executivos de estúdios, mas elas nem sempre se mantém fiéis ao material base. Entretanto, temos uma boa notícia para os leitores assíduos.

Nos últimos anos, os tradicionais filmes de susto quase que substituíram os filmes conhecidos pelo “terror elevado”, com uma estética que vai mais para o lado da psicanálise do que dos truques de produção.

A adaptação de It: A Coisa de 2017 feita por Andy Muschetti se manteve longe de uma das partes mais controversas do livro e também do visual criado para o palhaço Pennywise na minissérie dos anos 1990. Como resultado, o terror se transferiu da narrativa para a atuação de Bill Skarsgård (Deadpool 2) no papel do vilão. Apesar do filme ter recebido ótimas críticas e ter faturado $700 milhões em bilheteria, ele não se manteve fiel ao terror do livro. O mesmo pode ser dito sobre a versão de 1989 de Cemitério Maldito dirigida por Mary Lambert, que não impressionou a crítica com seus muitos sustos.

A versão de Cemitério Maldito que será lançada em 2019 pela Paramount promete se manter o mais fiel possível a narrativa original do livro. O longa será dirigido por Dennis Widmyer e Kevin Kolsch (ambos de Starry Eyes) e estrelado por Jason Clarke (Evereste) no papel de Louis Creed. O roteirista Jeff Buhler (O Último Trem) revelou que os diretores esperam criar “a adaptação mais assustadora de uma obra de Stephen King até hoje”, já que o livro é “absolutamente apavorante”.

Cemitério Maldito está programado para estrear em abril de 2019 e deve começar a ser rodado no meio do ano em Montreal.

Comentários

Notícias relacionadas