(PRNewsFoto/IMAX Corporation, Brigitte Lacombe / Reprodução/Veja SP)

Meryl Streep e Robin Wright participarão de evento sobre empoderamento feminino em São Paulo

Em breve, duas grandes divas estarão entre nós. A superestimada (com todas as razões do mundo), vencedora de três Oscar, Meryl Streep virá a São Paulo para participar de um evento organizado pelo Banco Santander no dia 29 de maio, e como se não fosse suficiente, o mesmo evento ainda terá a presença de Robin Wright, a Claire Underwood de House of Cards.

As duas vão analisar o empoderamento feminino na sociedade, numa apresentação para cerca de sortudos 400 convidados com acompanhante.

Se você ainda está achando pouco, após o bate-papo, haverá a exibição do primeiro episódio da quinta temporada de House of Cards, produzida pela Netflix e protagonizada por Robin Wright.

Informações do site Veja São Paulo.

Steven Spielberg vai dirigir Tom Hanks e Meryl Streep no drama The Post

20th Century Fox e Amblin Entertainment conseguiram um time de primeira para o drama The Post, filme sobre o escândalo do Pentagon Papers. De acordo com o DeadlineSteven Spielberg vai dirigir os oscarizados Tom Hanks e Meryl Streep.

Escrito pela novata Liz Hannah, a história seguirá o escândalo de 1971, depois da decisão do editor do The Washington Post, Ben Bradlee (Hanks), e da editora Katharine Graham (Streep), de publicar The Pentagon Papers. Escrito e divulgado pelo analista militar Daniel Ellsberg, os documentos do Pentágono estabeleceram que a Administração Johnson havia mentido ao público e ao congresso sobre o envolvimento militar dos EUA na Guerra do Vietnã e revelou que a administração Nixon secretamente escalou a guerra. O governo Nixon tentou impedir que o The Post os publicasse, e o Assistente do Procurador-Geral dos EUA William Rehnquist levou o caso ao Supremo Tribunal, que decidiu a favor do jornal.

Amy Pascal (Homem-Aranha: De Volta ao Lar) produz o filme com Spielberg, e Kristie Macosko Krieger (Ponte dos Espiões), com Rachel O’Connor na produção executiva com a Star Thrower Entertainment de TimTrevor White, e Adam Somner.

The Post marca a quinta parceria de Spielberg e Hanks depois de O Resgaste do Soldado Ryan, Prenda-me Se For Capaz, O Terminal e Ponte dos Espiões. Streep jamais apareceu em um filme do diretor, mas foi a voz da Fada Azul na ficção científica A.I. – Inteligência Artificial dirigida por ele.

Crítica | Florence: Quem é Essa Mulher? é mais uma amostra do enorme talento de Meryl Streep

Podemos contar nos dedos os filmes ruins estrelados por Meryl Streep. Mesmo em produções com enredo raso, a atriz consegue trazer as atenções para si e exercer papéis maravilhoso e memoráveis. Em Florence: Quem é Essa Mulher? não foi diferente, e Meryl deu vida a uma personagem tão icônica e, ao mesmo tempo, desconhecida na história da música. Contando com a colaboração de seus colegas de elenco, ela liderou a história do início ao fim, trazendo o público para a época. Mesmo interpretando uma figura com poucos dotes musicais, podemos perceber em breves momentos, a bela voz que Streep tem. Não poderia haver melhor pessoa para interpretar uma personagem como Florence.

Florence Foster Jenkins foi uma cantora norte-americana dos anos 40, tendo ficado famosa por não acertar uma única nota nas músicas que cantava. Basicamente, era uma cantora que não sabia cantar. No filme, Florence (Meryl Streep) arrecadava fundos para manter a música ativa, através de pequenos espetáculos para alta sociedade, onde muitas vezes atuava como atriz. Seu grande desejo, contudo, era cantar e brilhar nos palcos como soprano. Por mais que não soubesse, sua influência e patrimônio faziam o público aplaudi-la de pé, além de encorajá-la a continuar.

Florence é casada com St. Clair Bayfield (Hugh Grant), um ator falido que vive um romance com outra mulher, mas que faz de tudo para ver sua esposa feliz (como comprar todos os jornais que falam mal de sua voz). Mesmo após tantos anos, Grant ainda interpreta o galã dos sonhos femininos, vivendo a vida do tradicional malandro aproveitador. St Clair é o responsável pelos momentos felizes da velha atriz, seja em peças de teatro ou encorajando seu sonho de cantar (mesmo que para isso, tenha de subornar críticos de músicas e repórteres). Apesar da bigamia, ele vive sua vida em função de Florence e do dinheiro que dela recebe, passando boa parte do tempo a seu lado, inclusive em seus momentos finais.

Outro grande destaque da obra é a atuação de Simon Helberg como o pianista Cosmé McMoon, oferecendo toda a diversão que já conhecemos em The Big Bang Theory, somada a responsabilidade de interpretar um personagem no cinema. McMoon permaneceu ao lado de Florence em todas as suas apresentações e, mesmo sendo contra sua intuição, a acompanhou desde o início de sua jornada, além de defendê-la perante as críticas negativas. Helberg parece ter nascido para o papel, visto que não exerce grandes esforços para divertir o público.

Florence: Quem é Essa Mulher ? nos lembra as clássicas comédias “hollywoodianas”, somadas a um pouco de música e a personagens marcantes. O filme não é muito longo, mas não se apressa em contar a história, tendo a duração necessária para marcar presença e sair antes que o público desanime. Além disso, o lado comédia não é exagerado a ponto de ser um tradicional besteirol americano, mas tem a dosagem certa para fazer-nos sorrir. Por fim, tanto a fotografia quanto os figurinos estão excepcionais, corroborando para a energia do enredo e levando o espectador para aquela época. Somos transportados pelos anos e é possível incorporar a animação.

Finalmente, por mais que não seja do mesmo estilo da maioria de seus concorrentes no Oscar, filmes densos e longos, Florence: Quem é Essa Mulher? marca presença. Com uma história radiante e divertida, a trama consegue ilustrar a vida de um ícone da música norte-americana, até então desconhecido para muitos. Contando com o talento magistral de Meryl Streep e Hugh Grant, e uma excelente atuação de Simon Helberg, o filme é enérgico e sutil, oferendo-nos doses de drama, comédia e até mesmo musicais. Definitivamente, está a altura de sua indicação.

Na Prateleira | O subestimado filme Desventuras em Série

Lançado em 2004, Desventuras em Série foi o primeiro do que seria uma franquia de filmes inspirada nos 13 livros de Lemony Snicket (pseudônimo de Daniel Handler). Na época, O Senhor dos Anéis – O Retorno do Rei havia sido o grande vencedor do Oscar e Harry Potter se estabelecia como uma grande franquia do cinema.

Desventuras em Série tinha todos os elementos para conseguir o mesmo êxito ao adaptar sua obra literária para o cinema. E conseguiu! Infelizmente, subestimaram a produção. Com um elenco trazendo Jim Carrey no papel do vilão Conde Olaf, Jude Law como o narrador Lemony Snicket e participação especial de Meryl Streep como a Tia Josephine, o filme faturou apenas cerca de U$ 209 milhões para uma produção que custou U$ 140 milhões.

Mesmo com a conquista de 1 Oscar por melhor maquiagem e as indicações (melhor direção de arte, melhor figurino e melhor trilha sonora), a Paramount Pictures, DreamWorks Pictures e Nickelodeon Movies esperavam mais e optaram não seguir em frente com as adaptações.

Dirigido por Brad Silberling e escrito por Robert Gordon, o primeiro filme adaptou os três primeiros livros, Mau Começo, A Sala dos Répteis e O Lago das Sanguessugas.

Na trama, Violet Baudelaire (Emily Browning), seu irmão inteligente Klaus (Liam Aiken), e sua irmã mais nova Sunny (Kara Hoffman/Shelby Hoffman) são órfãos quando um misterioso incêndio destrói sua casa. Sr. Poe (Timothy Spall), encarregado da fortuna dos Baudelaire, os confia ao seu parente mais próximo, o Conde Olaf (Jim Carrey), que só aceitar receber as crianças com o intuito de conseguir sua herança.

O longa é eficiente ao entrelaçar suspense, aventura, fantasia e humor inteligente. As atuações são ótimas, destaque para o show de Jim Carrey, que demonstra toda sua versatilidade como ator. É visível que muitas cenas ele usa com primor o improviso, mas nunca fugindo do personagem. O cinismo e sarcasmo de Olaf são bem empregados. Muitas vezes basta um simples olhar do ator para se impor em cena, mesmo escondido pela caprichada maquiagem.

A participação especial de Meryl Streep no arco O Lago das Sanguessugas é um dos pontos altos do filme, quando vemos a atriz e Carrey se divertindo em cena com seus respectivos personagens.

Desventuras em Série foi um dos filmes mais interessantes de 2004 (2005 no Brasil). Uma pena que a produção não seguiu adiante, pois havia muito potencial a ser explorado. Na última sexta (13) chegou a adaptação da Netflix em formato de série estrelada por Neil Patrick Harris. Confira a nossa crítica aqui.

Ps.: O filme Desventuras em Série está disponível no catálogo de filmes da Netflix. 

The Nix | Meryl Streep vai estrelar minissérie dirigida por J.J. Abrams

Segundo informações do TVLine, Meryl Streep vai estrelar The Nix, minissérie desenvolvida pela Warner Bros Television, que terá a produção e direção de J.J. Abrams (Star Wars – O Despertar da Força).

Inspirado no livro de Nathan Hill, a história de época é sobre uma mãe hippie (Streep), que ganha exposição na imprensa nacional por atirar pedras em um governador conservador durante a campanha presidencial. Ela não percebe que seu distante filho – um professor, aspirante a escritor e fracassado geral – aproveita a oportunidade para escrever um perfil crítico de sua mãe distante.

The Nix ainda está em estágio inicial. Mais informações devem sair em breve.

Sequência de Mary Poppins terá Meryl Streep no elenco

Segundo informações da Variety, a Walt Disney Pictures está contratando Meryl Streep para o elenco da continuação de Mary Poppins, clássica adaptação da Disney de 1964.

O filme será ambientado 20 anos após o original Mary Poppins, na época da Depressão Londrina. Emily Blunt será a nova protagonista. Lin-Manuel Miranda (Hamilton, In the Heights) será o personagem inédito Jack.

O primeiro filme estrelado por Julie Andrews foi em grande parte baseado no primeiro livro da série Mary Poppins. A continuação será inspirada nos outros sete livros escritos por P.L. Travers.

O diretor Rob Marshall (Chicago, Caminhos da Floresta) e os produtores John DeLuca e Marc Platt serão os responsáveis pelo projeto.

A continuação de Mary Poppins estreia em 25 de dezembro de 2018. Marc Shaiman e Scott Wittman (Hairspray, Smash) vão escrever as novas canções do filme. David Magee (As Aventuras de Pi) será o roteirista.

Cinema: Estreias da Semana – 07 de Julho

Enfim o mês de férias chegou e para programar a ida ao cinema com toda a família, essa semana separamos diversas produções para todos os gostos. A Fox Films lança a animação “A Era do Gelo: O Big Bang” com as vozes de John Leguizamo e Denis Leary, uma das atrizes mais renomadas de Hollywood Meryl Streep volta as telonas na comédia “Florence: Quem é Essa Mulher?” com a direção de Stephen Frears.

O renomado diretor Pedro Almodóvar está de volta com o lançamento de “Julieta” com a participação das atrizes Emma Suárez, Adriana Ugarte e do ator Daniel Grao e o suspense “Nosso Fiel Traidor” chega as telonas estrelado pelo ator Ewan McGregor.

Confira a seguir os lançamentos da semana:

A-Era-do-Gelo-O-Big-BangA Era do Gelo: O Big Bang

(Ice Age: Collision Course) – EUA – 2016 – Infantil – Duração: 95 min.

Sinopse: Após uma nova trapalhada de Scat, uma catástrofe cósmica ameaça a vida na Terra, obrigando Manny, Ellie, Diego, Shira e Sid a deixarem seus lares. Eles encontram o abrigo ideal em uma caverna ocupada pelo excêntrico líder espiritual Shangri Lhama e seus seguidores.

 

 

 

Trailer:

Direção: Galen T. Chu, Mike Thurmeier

Elenco: John Leguizamo, Denis Leary, Ray Romano

Distribuidora: Fox Films

Classificação: Livre

76391b0fd3c86f3c398963dd5eae6193_XLFlorence: Quem é Essa Mulher?

(Florence Foster Jenkins) – UK, FRA – 2016 – Comédia – Duração: 110 min.

Sinopse: Florence Foster Jenkins (Meryl Streep) é uma rica herdeira que persegue obsessivamente uma carreira de cantora de ópera. Aos seus ouvidos, sua voz é linda, mas para todos os outros é absurdamente horrível. O ator St. Clair Bayfield (Hugh Grant), seu companheiro, tenta protegê-la de todas as formas da dura verdade, mas um concerto público coloca toda a farsa em risco.

 

 

Trailer:

Direção: Stephen Frears

Elenco: Meryl Streep, Hugh Grant, Simon Helberg

Distribuidora: Imagem Filmes

Classificação: 10 Anos

Julieta_poster_goldposter_com_3Julieta

ESP – 2016 – Drama – Duração: 100 min.

Sinopse: Julieta (Emma Suárez/Adriana Ugarte) é uma mulher de meia idade que está prestes a se mudar de Madri para Portugal, para acompanhar seu namorado Lorenzo (Dario Grandinetti). Entretanto, um encontro fortuito na rua com Beatriz (Michelle Jenner), uma antiga amiga de sua filha Antía (Blanca Parés), faz com que Julieta repentinamente desista da mudança. Ela resolve se mudar para o antigo prédio em que vivia, também em Madri, e lá começa a escrever uma carta para a filha relembrando o passado entre as duas.

 

Trailer:

Direção: Pedro Almodóvar

Elenco: Emma Suárez, Adriana Ugarte, Daniel Grao

Distribuidora: Universal

Classificação: 14 Anos

273546.jpg-r_1280_720-f_jpg-q_x-xxyxxNosso Fiel Traidor

(Our Kind Of Traitor) – 2016 – UK – Suspense – Duração: 108 min.

Sinopse: Durante um feriado no Marrocos, Perry e Gail conhecem o extravagante e carismático Dima, que sem o conhecimento deles, faz parte da máfia russa. Quando Dima pede ajuda a eles para levar uma informação para o Serviço Secreto Britânico, Perry e Gail são pegos no perigoso mundo internacional da espionagem e políticas.

 

 

 

Trailer:

Direção: Susanna White

Elenco: Ewan McGregor, Damian Lewis, Stellan Skarsgård

Distribuidora: Diamond Filmes

Crítica | As Sufragistas é uma esplendorosa aula de história

#meuamigosecreto é uma pessoa (…)

Se você possui uma conta no facebook, provavelmente se deparou com uma frase semelhante a essa em sua timeline nos últimos dias. O uso da hashtag surgiu como uma campanha para o filme As Sufragistas (Suffragette em inglês) nas redes sociais, e parece ter dado muito certo.

O drama se passa em Londres no início do século XX, época em que os direitos das mulheres eram quase inexistentes. Em uma sociedade machista, surge o movimento das chamadas Sufragistas, mulheres que resistiam à opressão até então de forma passiva, mas que decidem se rebelar e lutar por seus direitos, à medida que cresce a agressão e opressão policial. Buscando reivindicar seus direitos de participação na política e leis mais justas para o sexo feminino, surge a União Nacional pelo Sufrágio Feminino, uma fundação que conta com basicamente mulheres operárias querendo voz.

20151028-as-sufragistas

O fato de ser baseado em uma história real, choca e emociona o público, uma vez que se percebe o quanto mulheres sofreram para chegar onde chegaram hoje em dia. O elenco é composto por mulheres britânicas, mas principalmente mulheres que possuem representatividade no mundo do cinema. Consequentemente, a trama se desenvolve de maneira brilhante e consegue passar a mensagem a que veio transmitir.

As Sufragistas tem a história voltada para Maud Watts, vivida por Carey Mulligan, ( de O Grande Gatsby e Orgulho e Preconceito) que trabalha em uma lavandeira junto com seu marido. Mulligan é a grande estrela do filme, apesar de o mesmo contar com outros grandes nomes do cinema, pois exerce seu papel de mãe, esposa e revolucionária de uma maneira sensacional e consegue passar perfeitamente a imagem de sofrimento, abuso e raiva.

Maud resolve sair de seu atual estado passivo quando reconhece uma companheira de trabalho entre as manifestantes de um protesto. Entram em cena então, Violet (Anne-Marie Duff, de Shameless) e Edith Ellyn (Helena Bonham Carter, de Harry Potter, Sweeney Todd: O Barbeiro Demoníaco da Rua Fleet e Alice no País das Maravilhas) uma ex-professora que passou a ajudar nas campanhas da organização denominada “Women’s Social and Political Union” (WSPU). Helena interpreta muito bem sua personagem, o que ja era esperado da atriz com tantos papéis marcantes na carreira. Juntamente com Maud, as 3 são personagens fictícias.

As mulheres operárias são guiadas pelos ideais de Emmeline Pankhurst (Meryl Streep, de A Dama de Ferro, O Diabo Veste Prada e Julie e Julia), uma mulher que há muito tempo lutava pelos seus direitos, líder do movimento pelo sufrágio feminino e fundadora da WSPU, razão pela qual era muito procurada pela polícia. Streep aparece pouco no filme, cerca de 1 minuto, o que corrobora com o papel de sua personagem, responsável pela idealização do movimento. Pankhurst é uma espécie de mentora a todas as mulheres, uma vez que lutou “sozinha” durante muito tempo e agora observa suas pupilas. A atriz, diferentemente das outras é americana, mas devido à imagem que adquiriu durante todos esses anos com papéis memoráveis, se encaixou perfeitamente. Emmeline Pankhurst existiu na vida real e seus atos são relembrados em sua personagem.

Outra figura real que é descrita no drama é Emily Davison (Natalie Press), considerada o mártir do movimento sufragista. Press não recebe muita atenção durante o filme, mas seu último ato demonstra o quão longe as mulheres estavam dispostas a ir por aquilo que acreditavam e lutavam. Sua morte é tida até hoje como uma das grandes dúvidas do movimento, questionando-se ter sido ou não um suicídio.

O roteiro do filme, que pertence a Universal Pictures, foi escrito por Abi Morgan (de A Dama de Ferro) e dirigido por Sarah Gavron (de Um Lugar Chamado Brick Lane). Com duração de aproxidamente 106 minutos, a trama poderia ter maior duração, visto que tem-se muita história para contar. O tempo porém é necessário para dar a este filme todo o crédito possível, valendo inclusive mais de uma ida ao cinema.

A estreia no Brasil acontece no dia 24 de dezembro, véspera de Natal.

20151028-as-sufragistas-elenco-cast

            Da esquerda pra direita em pé: Sarah Gavron (diretora), Helen Pankhurst (bisneta da verdadeira Emmeline Pankhurst), Laura Pankhurst (tataraneta da verdadeira Emmeline Pankhurst), Alison Owen (produtora). Da esquerda pra direita sentadas: Abi Morgan(roteirista), Anne-Marie Duff (atriz), Meryl Streep (atriz), Carey Mulligan (atriz), Helena Bonham Carter (atriz) e Faye Ward (produtora).

Veja trailer legendado do drama As Sufragistas

A Universal Pictures divulgou o trailer legendado de As Sufragistas (Suffragette), drama com Carey Mulligan, Helena Bonham Carter e Meryl Streep. Veja no player abaixo!

A trama passa na Londres do início do século XX e retrata o crescimento das aparições em público das sufragistas, mulheres que resistiam à opressão de forma passiva, mas, a partir do momento em que começam a encarar uma crescente agressão da polícia, decidem se rebelar publicamente.

Carey Mulligan interpreta Maud Watts, que trabalha com seu marido em uma lavanderia. Um dia, Maud reconhece uma companheira de trabalho entre os manifestantes de um grande protesto e percebe que deve reivindicar sua dignidade.

Brendan Gleeson, Anne-Marie Duff, Ben Whishaw, Romola Garai e Natalie Press também estão no elenco.

As Sufragistas estreia em 24 de dezembro no Brasil. Sarah Gavron dirige a partir do roteiro de Abi Morgan (A Dama de Ferro).

As Sufragistas ganha cartaz nacional e data de estreia no Brasil

A Universal Pictures divulgou o cartaz nacional e a data de estreia nos cinemas brasileiros de As Sufragistas (Suffragette). O drama sobre a história do movimento feminista estreia em 24 de dezembro.

A trama passa na Londres do início do século XX e retrata o crescimento das aparições em público das sufragistas, mulheres que resistiam à opressão de forma passiva, mas, a partir do momento em que começam a encarar uma crescente agressão da polícia, decidem se rebelar publicamente. Carey Mulligan interpreta Maud Watts, que trabalha com seu marido em uma lavanderia. Um dia, Maud reconhece uma companheira de trabalho entre os manifestantes de um grande protesto e percebe que deve reivindicar sua dignidade.

Helena Bonham Carter, Meryl Streep, Brendan Gleeson, Anne-Marie Duff, Ben Whishaw, Romola Garai e Natalie Press também estão no elenco.

Sarah Gavron dirige a partir do roteiro de Abi Morgan (A Dama de Ferro).

poltrona_as_sufragistas_16out15_poster

Veja Carey Mulligan, Helena Boham Carter e Meryl Streep nos cartazes do drama Suffragette

Suffragette, drama estrelado por Carey Mulligan, Helena Boham Carter e Meryl Streep, ganhou três novos cartazes. Veja na galeria abaixo!

A trama acompanha a história do movimento feminista desde seu início, numa época em que mulheres foram forçadas a entrar na clandestinidade, em um perigoso jogo de gato e rato com um Estado cada vez mais brutal. Essas mulheres não eram de classes altas; gentis, eram trabalhadoras que viram que protesto pacífico de nada adiantaria. Radicalizando-se e voltando-se para a violência como único meio de mudança, elas estavam dispostas a perder tudo em sua luta pela igualdade – os seus empregos, suas casas, seus filhos e suas vidas. Maud (Carey Mulligan) era uma dessas mulheres. A história de sua luta pela dignidade é tão emocionante e visceral como qualquer suspense, e também é de partir o coração.

Brendan Gleeson, Anne-Marie Duff, Ben Whishaw, Romola Garai e Natalie Press também estão no elenco.

Dirigido por Sarah GavronSuffragette estreia em 30 de outubro no Reino Unido.

Veja o novo trailer de Ricki and the Flash, estrelando Meryl Streep

Ricki and the Flash, comédia dramática estrelada por Meryl Streep, ganhou um novo trailer. Veja no player abaixo!

Na trama, Streep vive Ricki Rendazzo, uma guitarrista que transformou um mundo de erros enquanto seguia seus sonhos de estrelato no rock and roll. Voltando para casa, Ricki recebe uma chance de redenção e uma chance de fazer as coisas direito, enquanto enfrenta a música com sua família.

Kevin Kline e Audra McDonald também estão no elenco.

Ricki and the Flash estreia em 07 de agosto nos EUA. Jonathan Demme (O Silêncio dos Inocentes) dirige a partir do roteiro de Diablo Cody (Juno).

Meryl Streep roqueira no cartaz e trailer de Ricki and the Flash

Ricki and the Flash, comédia dramática estrelada por Meryl Streep, ganhou seu cartaz e trailer. Veja abaixo a atriz encarnando com estilo uma roqueira!

Na trama, Streep vive Ricki Rendazzo, uma guitarrista que transformou um mundo de erros enquanto seguia seus sonhos de estrelato no rock and roll. Voltando para casa, Ricki recebe uma chance de redenção e uma chance de fazer as coisas direito, enquanto enfrenta a música com sua família.

Kevin Kline e Audra McDonald também estão no elenco.

Ricki and the Flash estreia em 07 de agosto nos EUA. Jonathan Demme (O Silêncio dos Inocentes) dirige a partir do roteiro de Diablo Cody (Juno).

[iframe id=”https://www.youtube.com/embed/x8PVK6Hky2A” align=”center”]