Mulher-Maravilha bate a concorrência na bilheteria mundial e brasileira

Mulher-Maravilha provou sua força como uma das maiores super-heroínas do mundo nas telonas e também na incrível bilheteria do final de semana de estreia. Ultrapassando a concorrência, o longa dirigido por Patty Jenkins arrecadou US$223 milhões no mundo todo até o momento. O anúncio foi feito por Sue Kroll, Presidente de Marketing e Distribuição Mundial da Warner Bros. Pictures.

A impressionante marca mundial faz de Mulher-Maravilha o filme de uma super-heroína com a maior estreia de todos os tempos, além de ser a maior abertura para um filme de super-herói no mês de junho e a maior abertura de um filme da Warner Bros. Pictures para este mesmo mês. Com a classificação “Fresh” de 93% no Rotten Tomatoes, o filme também é um dos filmes de super-heróis mais bem avaliados de todos os tempos, e a nota A no CinemaScore mostra que o público concorda.

Nos EUA, o filme arrecadou US$100,5 milhões e se tornou o filme dirigido por uma mulher com a maior estreia na história dos Estados Unidos. Nos outros 55 mercados em que abriu, incluindo China, Reino Unido, Rússia, Itália, México e Brasil, o longa obteve um total de US$122,5 milhões. Em outros mercados importantes, como França, Alemanha, Japão e Espanha, o filme ainda irá estrear.

No Brasil, Mulher-Maravilha liderou as bilheterias do fim de semana e é maior estreia da Warner Bros. Pictures do ano. O resultado acumulado, de quarta a domingo, soma mais de R$ 25 milhões em bilheteria e 1,4 milhão de público até o momento.

Ao fazer o anúncio, Kroll afirmou: “Estamos incrivelmente orgulhosos de Mulher-Maravilha e emocionados com o retorno de críticos e espectadores de todo o planeta. Esse é um filme perfeito para os tempos atuais; esperançoso e inspirador, assim como uma aventura extremamente divertida – que transcende o gênero. Patty Jenkins, seu elenco e equipe excepcionais – liderados pela incomparável Gal Gadot – entregaram um filme que é verdadeiro para a incrível heroína. Nós parabenizamos a todos os envolvidos por trazer para as telonas esse tremendo sucesso”.

Cinema: Estreias da Semana – [01 de Junho]

A primeira semana do mês de Junho chega com grandes estreias para toda a família, a comédia romântica nacional “Amor.com” estreias nas telonas protagonizado por Ísis Valverde e Gil Coelho, a Playarte apresenta a animação “As Aventuras de Ozzy” com a direção de Alberto Rodriguez e os atores Oscar Martínez, Rodrigo De la Serna e Alejandra Flechner estrelam o drama “Inseparáveis” com a distribuição da Paris Filmes.

Um dos filmes mais esperados de 2017, “Mulher Maravilha” estreias nas telas com a distribuição da Warner Bros e DC com os atores Gal Gadot, Chris Pine, Connie Nielsen e direção de Patty Jenkins. O diretor James Gray e a Imagem Filmes apresentam “Z – A Cidade Perdida” estrelado por Charlie Hunnam, Sienna Miller e Tom Holland.

Confira a seguir os lançamentos da semana:

Amor.com 

BRA – 2016 – Comédia Romântica – Duração: 90 min

Sinopse: Katrina (Isis Valverde) é uma famosa blogueira de modas que dita tendências no mercado brasileiro através de seus populares vídeos na internet. Fernando (Gil Coelho), por sua vez, é um vlogueiro de um canal de videogames que ainda não é muito famoso, mas que já está fazendo certo sucesso. Quando os dois se conhecem, em uma situação complicada, acabam se apaixonando e o romance dos dois vira “febre” na internet, uma febre que eles vão precisar controlar, equilibrando o mundo real e o virtual.

 

Trailer:

 

Diretor: Anita Barbosa

Elenco: Ísis Valverde, Gil Coelho, Alexandra Richter

Distribuidora: H2O

Classificação: 12 Anos

 

As Aventuras de Ozzy 

(Ozzy) – ESP – 2016 – Infantil – Duração: 90 min

Sinopse: Ozzy é um pacífico e amigável cão da raça Beagle que mora com os Martins. Quando a família decide fazer uma longa viagem na qual cães não são permitidos, eles decidem deixar o amado Ozzy em um spa para cachorros. Acontece que esse lugar perfeito na verdade é um fachada construída por um vilão que deseja sequestrar cachorros. Preso, Ozzy precisa evitar o perigo e encontrar força nos seus novos amigos para conseguir voltar a salvo para casa..

 

Trailer:

 

Diretor: Alberto Rodríguez

Elenco: Guillermo Romero, Dani Rovira, José Mota, Michelle Jenner, Carlos Areces, Fernando Tejero, Luis Bajo, Héctor Cantolla

Distribuidora: Playarte

Classificação: Livre

 

Inseparáveis 

(Inseparables) – ARG – 2016 – Drama – Duração: 110 min

Sinopse: Um rico empresário se tornou tetraplégico devido a um acidente e está procurando por um novo assistente terapêutico. Apesar de conhecer pessoas muito qualificadas, ele decide contratar o assistente de seu jardineiro, ainda que as pessoas mais próximas a ele desaprovem sua escolha. Incrivelmente, uma amizade entre os dois começa a brotar.

 

Trailer:

 

Diretor: Marcos Carnevale

Elenco: Oscar Martínez, Rodrigo De la Serna, Alejandra Flechner, Carla Peterson, Rita Pauls, Malena Sánchez, Monica Raiola

Distribuidora: Paris Filmes

Classificação: 14 Anos

 

Mulher-Maravilha 

(Wonder Woman) – EUA – 2017 – Ação – Duração: 140 min

Sinopse: Treinada desde cedo para ser uma guerreira imbatível, Diana Prince (Gal Gadot) nunca saiu da paradisíaca ilha em que é reconhecida como princesa das Amazonas. Quando o piloto Steve Trevor (Chris Pine) se acidenta e cai numa praia do local, ela descobre que uma guerra sem precedentes está se espalhando pelo mundo e decide deixar seu lar certa de que pode parar o conflito. Lutando para acabar com todas as lutas, Diana percebe o alcance de seus poderes e sua verdadeira missão na Terra.

 

Trailer:

 

Diretor: Patty Jenkins

Elenco: Gal Gadot, Chris Pine, Connie Nielsen

Distribuidora: Warner Bros

Classificação: 12 Anos

 

Z A Cidade Perdida 

(The Lost City of Z) – EUA – 2016 – Aventura – Duração: 141 min

Sinopse: A incrível história real do explorador britânico Percy Fawcett (Charlie Hunnam), que viaja para a Amazônia no século XX e descobre evidências de uma civilização avançada desconhecida que pode ter habitado a região. Depois de ter sido ridicularizado pelo corpo científico que considera as populações indígenas como “selvagens”, Fawcett está determinado a retornar à sua amada selva e provar seu caso.

 

Trailer:

 

Diretor: James Gray

Elenco: Charlie Hunnam, Sienna Miller, Tom Holland

Distribuidora: Imagem Filmes

Classificação: 12 Anos

Mulher Maravilha é o filme que a DC – e nós – precisávamos

Finalmente, depois tantos erros e tropeços, a DC lançou algo digno de nota máxima. Após a péssima recepção de Batman vs Superman e Esquadrão Suicida, quando a empresa anunciou o filme solo de Mulher-Maravilha todos ficamos apreensivos, mesmo com todos os indícios possíveis de que algo bom iria sair. Felizmente, para a alegria geral da nação, assim como a protagonista representou na história uma salvação para o que estava praticamente perdido, a nova produção é a luz no fim do túnel obscuro de filmes recentes da DC. Em meio a um cardápio de filmes de heróis, e digo me referindo aos do gênero masculino, Mulher-Maravilha veio para desconstruir toda e qualquer opinião remanescente sobre um possível sexo frágil.

Seja no mundo das séries ou dos filmes, poucas são as vezes onde vemos um artigo diferente precedendo o nome do herói. Entretanto, o fato da protagonista da vez ser uma mulher não deveria ser assim tão digno de destaque, apenas algo rotineiro e presente no cotidiano como tantos outros. E é exatamente isso que a diretora Patty Jenkins tenta mostrar a todos com a trama, seja por meio das inúmeras cenas de ação da personagem ou pela descrença dos homens em relação a guerreira que está em sua frente. Em uma época onde mulheres “serviam” para cuidar da casa e dos filhos, ter uma que não apenas fosse para guerra como também acabasse com ela, é em suas devidas proporções um reflexo do que ainda enfrentamos na sociedade. Jenkins não precisou apelar para argumentos feministas e/ou piegas em sua produção, pois Diana Prince fala por si só em cada momento onde segue seu instinto, seja ele aprovado ou não pelo público masculino a seu redor.

Um dos diversos pontos positivos do filme é a independência em relação aos quadrinhos, o que acaba por agradar todos os públicos. Os fãs aficcionados pela história de Diana terão seus ideais retratados na tela da melhor forma possível, respeitando o material original e apenas melhorando-o. Ao mesmo tempo, quem ainda não conhecia nada da heroína além do tradicional símbolo e das roupas vermelhas e azuis, terá a chance de ver a criança crescendo e sendo treinada na ilha Themyscira – muito bem representada pelo lugar paradisíaco escolhido nas filmagens – até sua chegada ao “mundo real”, em Londres. A excelente escolha de cenário e os gráficos maravilhosos são acompanhados por uma uma trilha sonora de arrepiar todos os fios de cabelo. Temos desde o clássico tema da personagem composto por Hans Zimmer, e que corroborou para a formação da imagem da Mulher-Maravilha em Batman vs Superman, até uma música composta pela Sia, ou seja, nada que pudesse deixar a desejar!

O filme possuí diversos elementos chave que juntos formaram a bela produção final, mas não podemos deixar de citar a responsável por tudo isso ao lado da diretora. O que falar da beleza estonteante de Gal Gadot? Com trejeitos delicados e ao mesmo tempo intensos e precisos, ela atribui a personagem as expressões no momento certo. Gadot é uma grande guerreira nas cenas de batalhas e explosões; enquanto sabe ser a mulher digna de olhares, elegante e poderosa em um vestido longo. Diana é ingênua e passa a conhecer o mundo pelos olhos de Steve Trevor (Chris Pine), provocando muitas risadas no público e dando o tom de comédia necessário para não se tornar algo bobo. A jovem israelense de 32 anos encarou um papel já interpretado por Lynda Carter e não deixou o peso do nome atrapalhar. Sua atuação é sem sobra de dúvida o maior acerto do filme e serviu de lição para todos que criticaram sua escalação. Que seja nossa Mulher-Maravilha por um bom tempo!

Por mais que todos os holofotes estejam virados para a heroína, não podemos deixar de dar os devidos créditos a seus colegas de elenco. A química entre Chris Pine e Gal Gadot é para romântico nenhum botar defeito, fazendo dele o parceiro ideal para os impulsos de Diana. São entre os dois os momentos de diversão e carinho que servem para amenizar o clima tenso das cenas de ação, e até mesmo quem não é fã de romance se pegará torcendo pelo casal.

Os personagens mais vazios de Mulher-Maravilha são os vilões. Mesmo sendo interpretados por atores de enorme talento, os mesmos não conseguem mostrar tudo aquilo que são capazes e vivem figuras um tanto infantis. Elena Anaya é a Dra. Isabel Maru, ou Doutora Veneno, e mais parece uma cientista louca de um filme de comédia; Danny Huston vive o famoso ditador e general alemão Erich Ludendorff, temido desde os minutos iniciais do filme, mas que não provoca medo nenhum em quem está assistindo.

O verdadeiro vilão é revelado apenas nos minutos finais, por mais que pequenas dicas dêem a entender quem ele é desde o início. David Thewlis abandonou o lado mocinho do Professor Lupin na saga Harry Potter, para viver Ares, o deus da guerra segundo a Mitologia Grega. Ao lado de Gal Gadot, ele protagoniza os momentos de maior ação e efeitos especiais de todo o filme, principalmente quando assume a forma monstruosa do Deus. Entretanto, mesmo com todo o talento já conhecido de Thewlis, Ares não consegue se tornar um vilão emblemático e memorável em um filme da DC, proporcionando ainda mais destaque ao casal principal.

Em suma, Mulher-Maravilha é o filme da heroína que todos precisávamos – principalmente a DC -, surgindo em uma época onde outros semelhantes não emplacaram tanto quanto prometido. Gal Gadot é a nossa nova Mulher-Maravilha e espera-se que permaneça no papel pelo máximo de tempo possível. Com uma trilha sonora invejável, efeitos especiais e visuais adequados para as cenas de ação e um roteiro para fã nenhum botar defeito, a produção merece todas as críticas positivas que vem recebendo pelo mundo. Em um universo rodeado por heróis do sexo masculino foi a do feminino que sobressaiu, já caracterizando a nova história da DC como memorável e necessária nos dias de hoje. Palmas para a Mulher-Maravilha.

 

Cinco motivos para assistir Mulher-Maravilha

É real! Temos uma heroína em filme solo no cinema! Enquanto seus pares na chamada “Trindade da DC”, Batman e Super Homem já haviam sido retratados em diversos filmes ao longo dos anos, a Mulher-Maravilha tinha sido apenas protagonista de uma série de TV nos anos 70, estrelada por Lynda Carter. Para ficar em pé de igualdade com seus companheiros de Liga da Justiça, finalmente, a DC/Warner trouxe às telas a origem da princesa das Amazonas, Diana.

E Mulher-Maravilha, não é só o primeiro filme solo de uma heroína, é também o primeiro filme de super herói a ser dirigido por uma mulher, Patty Jenkins. Jenkins nos traz uma história clássica, para apresentar Diana e seu universo a um grande público com uma narrativa que remete ao cinema antigo, com toques de leveza, sem deixar de lado as grandes cenas de ação.

Abaixo, citamos alguns pontos especiais da produção, que podem fazer você querer correr para o cinema e assistir ao mais novo filme da DC! Confira:

  • Empoderamento
(Divulgação/Warner)

É imensurável o valor de sentir-se representada. Como já dito, este é o primeiro filme solo de uma heroína e por mais que Diana seja uma deusa, é uma figura feminina em destaque. A presença de Diana nesse universo passa a mensagem da necessária igualdade de gênero em mundo machista, que historicamente subjugou (e subjuga) a mulher. Como a princesa foi criada em outro ambiente, fica evidente que ela não se coloca em lugar de inferioridade, muito pelo contrário, suas ações demonstram que ela se vê como igual.

É importante ressaltar que não há uma sexualização da personagem, mesmo na construção de seu romance com Steve Trevor (Chris Pine). Uma mulher que não precisa usar sua ~sensualidade~ para conseguir o que quer é um grande avanço na retratação das heroínas (sejam super ou não) femininas.

Outro destaque é Themyscira, a ilha na qual Diana cresceu é retratada como um local de mulheres fortes e guerreiras. Mesmo superprotegida pela rainha Hipólita (Connie Nielsen), sua mãe, a princesa encontra a força e agilidade no treinamento de sua tia Antíope (Robin Wright).

  • Cenas de luta

Que lindas coreografias!!! Em especial, fiquei boquiaberta com o treinamento e cenas em Themyscira. São sequências de lutas que empolgam, dosadas ao longo do filme. É nítido ver que Diana Prince (sobrenome adquirido em nosso mundo rs) é forte e ágil, sem parecer artificial. Mesmo quando as lutas passam para o universo místico dos heróis, ainda é convincente.

  • Trilha Sonora

Sobe o som! Para acompanhar as ótimas sequências de lutas coreografadas, uma trilha sonora certeira. Com o passar do longa, já dá para saber quando uma grande cena de ação vai começar, é na hora que toca a música!

  • Mensagem

Esperança! Mesmo em meio à Primeira Guerra Mundial, Diana consegue enxergar na humanidade muito mais do que o egoísmo e potencial para destruição. Ao finalizar a história, a princesa das Amazonas, percebe que mesmo em meio ao caos, o amor (não estou falando de romance) ainda pode vencer.

Ressalto a empatia de Diana, uma mulher que se compadece das pessoas, muito mais dos que estão acostumados com a dor e sofrimento. E ela não só se compadece, mas decide fazer algo significativo à respeito.

  • Gal Gadot
(Divulgação/Warner)

Que mulher!! Ex-miss, ex-recruta do exército Israel, ex-modelo e ex-estudante de Direito, e agora: para sempre Mulher-Maravilha. Gal Gadot consegue passar força, suavidade, agilidade, empatia… Tudo o que é pedido ao longo do filme. Ela toma conta da tela e faz muito bonito, se você ainda não tinha ficado convencido em BvS, com certeza Mulher-Maravilha firma a atriz como a principal super heroína da DC.

Crítica | Mulher-Maravilha é a razão para continuar acreditando no universo cinematográfico da DC

Depois de muitas ideias desenvolvidas para filmes e séries que nunca deram certo nos últimos anos, Mulher-Maravilha finalmente ganha seu filme solo. Contudo, o longa veio sob muita pressão por fazer parte do Universo DC no cinema que não vem agradando tanto. O Homem de Aço (2013), Batman vs Superman (2016) e Esquadrão Suicida (2016) foram produções irregulares que não souberam explorar o potencial que tinham. A esperança de que dias melhores estariam por vir ficou sob os ombros da Amazona de Themyscira, que não decepciona.

Dirigido por Patty Jenkins, Mulher-Maravilha consegue o que as outras adaptações não conseguiram, explorar com eficiência a origem da personagem (sem perder sua essência) com um roteiro coerente. Fica a sensação de que este é o primeiro filme do DC Universe, podendo descartar sem rancor os três longas anteriores.

A DC resgata os tempos aureos no que diz respeito a filme de origem. Há muita semelhança com Superman (1978) e Batman (1989) com uma narrativa que vai agradar os fãs de quadrinhos e os leigos do ramo. Uma história fechada e sem invenções. Além disso, a produção resgata o tom de aventura de Indiana Jones com cenas empolgantes de ação e boas doses de humor.

Escrito por Allan Heinberg, a trama começa com uma apresentação redonda sobre a origem das Amazonas. Diana ainda criança desejando ser uma grande guerreira, mas é superprotegida por sua mãe, a rainha Hipólita (Connie Nielsen). Porém, sua tia Antíope (Robin Wright) percebe o potencial na garota e começa a treina-la secretamente. Assim, a pequena criança cresceu e seu amadurecimento e primeira missão surge com a chegada de Steve Trevor (Chris Pine), um espião que trabalha para a inteligência britânica que roubou um caderno com anotações de experimentos da Doutora Veneno (Elena Anaya) sob liderança do General Ludendorff (Danny Huston) que pode ocasionar na morte de milhões durante a Primeira Guerra Mundial. Após ser perseguido por alemães, Steve acaba sendo abatido e seu avião cai na ilha de Themyscira, quando é salvo por Diana (Gal Gadot). Percebendo que uma guerra está acontecendo sob o possível comando de Ares, o Deus da Guerra, a princesa Amazona decide viajar para Londres com Steve para impedir seus planos e salvar a humanidade.

Patty Jenkins acerta em cheio em situar o longa durante a Primeira Guerra Mundial. Sob a perspectiva de Diana, que acabara de conhecer o mundo dos homens, ela sente a atrocidade, a perda e dor que aquela guerra ocasionou. Todos saíram derrotados. Contudo, é na presença dos companheiros Steve Trevor, Etta Candy (Lucy Davis), Sameer (Saïd Taghmaoui), Charlie (Ewen Bremner) e o Chefe (Eugene Brave Rock), que a heroína percebe o lado mais sereno, belo e singelo da humanidade, o que a motiva a se tornar a protetora dos que necessitam e impedir os planos do vilão Ares.

A trama consegue balancear com eficiência o drama e o humor. O tom de cada cena é acertado pela força do elenco. E, se tratando de uma época de bastante opressão dos homens contra as mulheres, o filme aproveita para dar alfinetadas desde a restrição por roupas e a falta do direito de opinar com um tom sarcástico, mas que impõe uma conscientização para os dias atuais.

Se alguns disseram que Gal Gadot entrou muda e saiu calada em Batman vs Superman (mais por conta de uma falha do roteiro picotado do que da atriz), aqui ela mostra a força da Amazona em uma atuação que representa a força feminina. Ao final, fica a lição de que as mulheres não precisam de super poderes para serem heroínas. Há uma força interior capaz de contagiar e cativar, e isso que Diana faz. Ela tem personalidade, tem carisma, é independente e não baixa a guarda jamais quando se sente oprimida.

Outra atuação importante é de Chris Pine como Steve Trevor. Sua relação com Diana é eficaz, equilibrada e sincera. Há uma boa sintonia com Gal Gadot, que resultam em ótimas cenas dramáticas e bem humoradas.

As sequências de ação abusam do slow-motion, mas são bem criativas, pois conseguem explorar o potencial da força de Diana Prince e das Amazonas. As cenas durante as trincheiras são um dos pontos altos do longa.

O único problema do longa está em seu ato final. O desfecho com Ares representa a mesma falha de outrora em filmes de super-heróis: não fazer um vilão à altura de seu herói. Toda a importância dada ao personagem na sequência inicial é destruída em mostra-lo como uma ameaça comum. Muito barulho por nada e nem a batalha chega a empolgar tanto.

Ao final, Mulher-Maravilha é o filme mais importante do universo DC depois de Batman – O Cavaleiro das Trevas. Ambos criaram um estilo próprio, mas sem desconstruir características que definem seus heróis e os fizeram se tornar tão importantes. Um filme para Warner Bros/DC Films se orgulhar, porque pela primeira vez há uma grande heroína, e que se mostra mais imponente que Batman e Superman. É a razão para continuar acreditando no universo cinematográfico da DC. Que venha Liga da Justiça, pois queremos mais Mulher-Maravilha, mais Gal Gadot!

Conan O’Brien entra em forma com Gal Gadot para se tornar a Mulher-Maravilha

Para ficar em forma e interpretar Diana Prince no filme Mulher-Maravilha, Gal Gadot precisou de seis meses de treinamento através de malhação e artes marciais. A atriz participou do programa de Conan O’Brien, que tentou provar ser capaz de se tornar a Mulher-Maravilha, acreditando que em vez de precisar de seis meses de treinamento, ele só precisaria de 35 minutos. Veja abaixo o hilário resultado!

Antes de tornar-se Mulher-Maravilha, ela era Diana (Gal Gadot), princesa das Amazonas e treinada para ser uma guerreira invencível. Criada numa isolada ilha paradisíaca, Diana descobre que um grande conflito assola o mundo quando um piloto americano (Chris Pine) cai com seu avião nas areias da costa. Convencida de que é capaz de vencer a ameaça de destruição, Diana deixa a ilha. Lutando lado a lado com homens numa guerra que pretende acabar de vez com todas as guerras, ela vai descobrir todos os seus poderes… e seu verdadeiro destino.

Robin Wright, Danny Huston, David Thewlis, Ewen Bremner, Saïd Taghmaoui, Elena Anaya, Connie NielsenLucy Davis estão no elenco.

Sob direção de Patty Jenkins a partir do roteiro de Allan Heinberg, Mulher-Maravilha estreia em 1º de junho. Charles Roven, Zack Snyder e Deborah Snyder produzem o longa, com  Richard Suckle, Stephen Jones, Wesley Coller, Geoff Johns e Rebecca Roven na produção executiva.

Gal Gadot divulga o novo cartaz de Mulher-Maravilha

A atriz Gal Gadot revelou em seu Twitter o novo cartaz do filme solo da Mulher-Maravilha. A arte mostra a heroína portando o Laço da Verdade. Veja na galeria abaixo!

Antes de tornar-se Mulher-Maravilha, ela era Diana (Gal Gadot), princesa das Amazonas e treinada para ser uma guerreira invencível. Criada numa isolada ilha paradisíaca, Diana descobre que um grande conflito assola o mundo quando um piloto americano (Chris Pine) cai com seu avião nas areias da costa. Convencida de que é capaz de vencer a ameaça de destruição, Diana deixa a ilha. Lutando lado a lado com homens numa guerra que pretende acabar de vez com todas as guerras, ela vai descobrir todos os seus poderes… e seu verdadeiro destino.

Robin Wright, Danny Huston, David Thewlis, Ewen Bremner, Saïd Taghmaoui, Elena Anaya, Connie NielsenLucy Davis estão no elenco.

Sob direção de Patty Jenkins a partir do roteiro de Allan Heinberg, Mulher-Maravilha estreia em 1º de junho. Charles Roven, Zack Snyder e Deborah Snyder produzem o longa, com  Richard Suckle, Stephen Jones, Wesley Coller, Geoff Johns e Rebecca Roven na produção executiva.

WB divulga duas belíssimas artes de Mulher-Maravilha

A Warner Bros. Pictures divulgou duas novas e belas artes de Mulher-Maravilha. Veja abaixo!

Antes de tornar-se Mulher-Maravilha, ela era Diana (Gal Gadot), princesa das Amazonas e treinada para ser uma guerreira invencível. Criada numa isolada ilha paradisíaca, Diana descobre que um grande conflito assola o mundo quando um piloto americano (Chris Pine) cai com seu avião nas areias da costa. Convencida de que é capaz de vencer a ameaça de destruição, Diana deixa a ilha. Lutando lado a lado com homens numa guerra que pretende acabar de vez com todas as guerras, ela vai descobrir todos os seus poderes… e seu verdadeiro destino.

Robin Wright, Danny Huston, David Thewlis, Ewen Bremner, Saïd Taghmaoui, Elena Anaya, Connie NielsenLucy Davis estão no elenco.

Sob direção de Patty Jenkins a partir do roteiro de Allan Heinberg, Mulher-Maravilha estreia em 1º de junho. Charles Roven, Zack Snyder e Deborah Snyder produzem o longa, com  Richard Suckle, Stephen Jones, Wesley Coller, Geoff Johns e Rebecca Roven na produção executiva.

Mulher-Maravilha ganha cartaz e trailer para o mercado chinês

A Warner Bros. Pictures divulgou para o mercado chinês um belíssimo cartaz (em versão anime) e o novo trailer internacional de Mulher-Maravilha. Veja abaixo!

Antes de tornar-se Mulher-Maravilha, ela era Diana (Gal Gadot), princesa das Amazonas e treinada para ser uma guerreira invencível. Criada numa isolada ilha paradisíaca, Diana descobre que um grande conflito assola o mundo quando um piloto americano (Chris Pine) cai com seu avião nas areias da costa. Convencida de que é capaz de vencer a ameaça de destruição, Diana deixa a ilha. Lutando lado a lado com homens numa guerra que pretende acabar de vez com todas as guerras, ela vai descobrir todos os seus poderes… e seu verdadeiro destino.

Robin Wright, Danny Huston, David Thewlis, Ewen Bremner, Saïd Taghmaoui, Elena Anaya, Connie NielsenLucy Davis estão no elenco.

Sob direção de Patty Jenkins a partir do roteiro de Allan Heinberg, Mulher-Maravilha estreia em 1º de junho. Charles Roven, Zack Snyder e Deborah Snyder produzem o longa, com  Richard Suckle, Stephen Jones, Wesley Coller, Geoff Johns e Rebecca Roven na produção executiva.

Diana Prince e Steve Trevor dividem o novo cartaz de Mulher-Maravilha

A Warner Bros. Pictures divulgou mais um cartaz de Mulher-Maravilha. A arte mostra a heroína ao lado de Steve Trevor (Chris Pine)!

Antes de tornar-se Mulher-Maravilha, ela era Diana (Gal Gadot), princesa das Amazonas e treinada para ser uma guerreira invencível. Criada numa isolada ilha paradisíaca, Diana descobre que um grande conflito assola o mundo quando um piloto americano (Chris Pine) cai com seu avião nas areias da costa. Convencida de que é capaz de vencer a ameaça de destruição, Diana deixa a ilha. Lutando lado a lado com homens numa guerra que pretende acabar de vez com todas as guerras, ela vai descobrir todos os seus poderes… e seu verdadeiro destino.

Robin Wright, Danny Huston, David Thewlis, Ewen Bremner, Saïd Taghmaoui, Elena Anaya, Connie NielsenLucy Davis estão no elenco.

Sob direção de Patty Jenkins a partir do roteiro de Allan Heinberg, Mulher-Maravilha estreia em 1º de junho. Charles Roven, Zack Snyder e Deborah Snyder produzem o longa, com  Richard Suckle, Stephen Jones, Wesley Coller, Geoff Johns e Rebecca Roven na produção executiva.

MTV Movies & TV Awards divulga o trailer final de Mulher-Maravilha

Durante a premiação do MTV Movies & TV Awards 2017, a Warner Bros. Pictures divulgou o trailer final de Mulher-Maravilha. Veja no player abaixo!

Antes de tornar-se Mulher-Maravilha, ela era Diana (Gal Gadot), princesa das Amazonas e treinada para ser uma guerreira invencível. Criada numa isolada ilha paradisíaca, Diana descobre que um grande conflito assola o mundo quando um piloto americano (Chris Pine) cai com seu avião nas areias da costa. Convencida de que é capaz de vencer a ameaça de destruição, Diana deixa a ilha. Lutando lado a lado com homens numa guerra que pretende acabar de vez com todas as guerras, ela vai descobrir todos os seus poderes… e seu verdadeiro destino.

Robin Wright, Danny Huston, David Thewlis, Ewen Bremner, Saïd Taghmaoui, Elena Anaya, Connie NielsenLucy Davis estão no elenco.

Sob direção de Patty Jenkins a partir do roteiro de Allan Heinberg, Mulher-Maravilha estreia em 1º de junho. Charles Roven, Zack Snyder e Deborah Snyder produzem o longa, com  Richard Suckle, Stephen Jones, Wesley Coller, Geoff Johns e Rebecca Roven na produção executiva.

Mulher-Maravilha bloqueia balas no novo cartaz do filme

A Warner Bros. Pictures divulgou o novo cartaz de Mulher-Maravilha. A arte mostra Diana Prince (Gal Gadot) na famosa pose de bloquear balas.

Antes de tornar-se Mulher-Maravilha, ela era Diana (Gal Gadot), princesa das Amazonas e treinada para ser uma guerreira invencível. Criada numa isolada ilha paradisíaca, Diana descobre que um grande conflito assola o mundo quando um piloto americano (Chris Pine) cai com seu avião nas areias da costa. Convencida de que é capaz de vencer a ameaça de destruição, Diana deixa a ilha. Lutando lado a lado com homens numa guerra que pretende acabar de vez com todas as guerras, ela vai descobrir todos os seus poderes… e seu verdadeiro destino.

Robin Wright, Danny Huston, David Thewlis, Ewen Bremner, Saïd Taghmaoui, Elena Anaya, Connie NielsenLucy Davis estão no elenco.

Sob direção de Patty Jenkins a partir do roteiro de Allan Heinberg, Mulher-Maravilha estreia em 1º de junho. Charles Roven, Zack Snyder e Deborah Snyder produzem o longa, com  Richard Suckle, Stephen Jones, Wesley Coller, Geoff Johns e Rebecca Roven na produção executiva.

Mulher-Maravilha ganha nova prévia durante exibição de Gotham

Durante a exibição do episódio da semana de Gotham, a Warner Bros. Pictures revelou uma prévia com novas cenas de Mulher-Maravilha.

Antes de tornar-se Mulher-Maravilha, ela era Diana (Gal Gadot), princesa das Amazonas e treinada para ser uma guerreira invencível. Criada numa isolada ilha paradisíaca, Diana descobre que um grande conflito assola o mundo quando um piloto americano (Chris Pine) cai com seu avião nas areias da costa. Convencida de que é capaz de vencer a ameaça de destruição, Diana deixa a ilha. Lutando lado a lado com homens numa guerra que pretende acabar de vez com todas as guerras, ela vai descobrir todos os seus poderes… e seu verdadeiro destino.

Robin Wright, Danny Huston, David Thewlis, Ewen Bremner, Saïd Taghmaoui, Elena Anaya, Connie NielsenLucy Davis estão no elenco.

Sob direção de Patty Jenkins a partir do roteiro de Allan Heinberg, Mulher-Maravilha estreia em 1º de junho. Charles Roven, Zack Snyder e Deborah Snyder produzem o longa, com  Richard Suckle, Stephen Jones, Wesley Coller, Geoff Johns e Rebecca Roven na produção executiva.

Mulher-Maravilha | Novas imagens mostram Diana em Themyscira

A  Warner Bros. Pictures DC Entertainment divulgaram novas imagens de Mulher-Maravilha mostrando Diana Prince em Themyscira. Veja na galeria abaixo!

Antes de tornar-se Mulher-Maravilha, ela era Diana (Gal Gadot), princesa das Amazonas e treinada para ser uma guerreira invencível. Criada numa isolada ilha paradisíaca, Diana descobre que um grande conflito assola o mundo quando um piloto americano (Chris Pine) cai com seu avião nas areias da costa. Convencida de que é capaz de vencer a ameaça de destruição, Diana deixa a ilha. Lutando lado a lado com homens numa guerra que pretende acabar de vez com todas as guerras, ela vai descobrir todos os seus poderes… e seu verdadeiro destino.

Robin Wright, Danny Huston, David Thewlis, Ewen Bremner, Saïd Taghmaoui, Elena Anaya, Connie NielsenLucy Davis estão no elenco.

Sob direção de Patty Jenkins a partir do roteiro de Allan Heinberg, Mulher-Maravilha estreia em 1º de junho. Charles Roven, Zack Snyder e Deborah Snyder produzem o longa, com  Richard Suckle, Stephen Jones, Wesley Coller, Geoff Johns e Rebecca Roven na produção executiva.