Crítica | Despedida em Grande Estilo honra o nome e é um ótimo filme, com excelente elenco

Despedida em Grande Estilo parece ser o típico filme bobo norte-americano, onde um grupo de amigos passando por problemas financeiros resolve assaltar um banco. Não se anime, pois é exatamente isso que forma a base do enredo da produção, com a singela diferença de um elenco não formado por adolescentes ou péssimos comediantes. Os amigos em questão são Willie Davies, Joe Harding e Al Gardner – ou como todos nós conhecemos, Morgan Freeman (de “Invictus” e “Batman: O Cavaleiro das Trevas” ), Michael Caine (de “A Origem” e “Kingsman: Serviço Secreto”) e Alan Arkin (de “Pequena Miss Sunshine” e Argo ” ). 

Zach Braff (de “Scrubs”) é o responsável pela direção, então não podíamos esperar algo diferente de muito engraçado, mas que só é possível devido aos três protagonistas. Com anos de cinema na bagagem, os atores sabem exatamente o que falar para fazer seu público rir, não dependendo de piadas bobas, imaturas e triviais. Até mesmo em momentos de descontração no elenco, o trio esbanja tranquilidade e demonstra estar completamente à vontade na cena, contagiando a quem está assistindo e tornando a produção muito divertida de se assistir.

O filme narra a história dos três idosos nova iorquinos, cuja situação financeira está bem semelhante a dos idosos de nosso país. Cercados da dívida e sem a menor previsão de uma solução futura, os três amigos buscam uma saída para viver seus últimos anos de uma maneira decente. Após presenciar um assalto a banco, Joe enxerga no acontecimento uma inspiração, e junto com Willie e Al, decide se vingar da empresa que “roubou” sua pensão – e do próprio banco que corroborou com o desvio do dinheiro.

Despedida em Grande Estilo segue a fórmula sob a qual foi baseado, sem grandes surpresas ou momentos marcantes, mas também falhas e situações monótonas. Braff soube muito bem encaixar uma mensagem importante, em uma comédia bem escrita e elaborada e guiada por três grandes nomes do cinema mundial. Em uma época onde apenas produções megalomaníacas fazem sucesso com seus efeitos visuais bilionários, temos a prova de quando o elenco é bom, não é preciso muito. É com certeza uma daquelas opções para ver com a família e amigos, sendo recomendado para todas as idades.