Amy Acker entra para a série de TV dos X-Men

A atriz Amy Acker (Person of Interest) foi escalada para o papel feminino principal na série da FOX que vai abordar o mundo dos X-Men na TV.

O The Hollywood Reporter também revelou que Emma Dummont (Pretty Little Liars) foi sondada para dar vida a Lorna Dane, mais conhecida como Polaris, e é descrita como uma “forte, corajosa e leal mutante que tem a habilidade de manipular magnetismo“. Nos quadrinhos, Polaris é filha de Erik Lehnsherr, o Magneto. Outra novidade é Percy Hynes White (11.22.63), que foi escalado como Andy, “um garoto sensível e solitário”. 

A série é concentrada em duas famílias que descobrem que seus filhos possuem poderes mutantes. Forçados a fugir de um governo hostil, a eles se juntam a uma rede clandestina de mutantes e devem lutar para sobreviver.

Com roteiro de Matt Nix, o piloto terá Lauren Shuler Donner, Bryan Singer, Simon Kinberg, Jeph Loeb e Jim Chory como produtores executivos.

O piloto será dirigido por Bryan Singer, responsável por comandar os filmes X-Men, X-Men 2, X-Men: Dias de um Futuro EsquecidoX-Men: Apocalipse.

Série de TV dos X-Men escala primeiro mutante

A EW divulgou o primeiro ator escalado para fazer parte do elenco da série de TV dos X-Men produzida pela FOXBlair Redford (Switched at Birth) fará o papel de Sam, que é descrito como o “cabeça dura nativo americano líder de uma rede secreta.”

A série que ainda não tem título oficial, mostrará a história de duas famílias que descobrem que seus filhos são mutantes. Forçados a fugir do governo, as família entram em uma rede secreta de mutantes.

Com roteiro de Matt Nix, o piloto terá Lauren Shuler Donner, Bryan Singer, Simon Kinberg, Jeph Loeb e Jim Chory como produtores executivos.

O piloto será dirigido por Bryan Singer, que inclui no seu currículo X-Men: Dias de um Futuro EsquecidoX-Men: Apocalipse como seus trabalhos mais recentes na franquia.

Bryan Singer vai dirigir o episódio piloto da série de TV dos X-Men

Depois de dar sinal verde para a produção do piloto, a FOX decidiu escalar alguém experiente para a direção do primeiro episódio.

Bryan Singer foi escolhido  para o cargo, segundo o The Hollywood Reporter. A série, que ainda não tem título oficial, mostra a história de duas famílias com filhos mutantes que são forçados a fugir do governo e entrar em uma rede secreta de mutantes.

Singer tem X-Men, X-Men 2, X-Men: Dias de um Futuro Esquecido e o mais recente X-Men: Apocalipse no seu currículo, que também inclui as séries Battle Creek, House e Mockingbird Lane.

Com roteiro de Matt Nix, o piloto terá Lauren Shuler Donner, Bryan Singer, Simon Kinberg, Jeph Loeb e Jim Chory como produtores executivos.

 

Rami Malek pode interpretar Freddie Mercury em filme sobre o Queen

Rami Malek, vencedor do Emmy por Mr.Robot, está sendo cotado para interpretar Freddie Mercury no filme sobre a famosa banda britânica, Queen.

O diretor Bryan Singer (X-Men: Apocalipse) está em negociações para dirigir o longa que tem título de Bohemian Rhapsody e será produzido pela 20th Century Fox.

O produtor Graham King,  tem desenvolvido o projeto por oito anos com vários atores e estúdios envolvidos. O filme começou originalmente na Sony e Sacha Baron Cohen estava confirmado no papel principal, mas acabou deixando a produção em 2013 por diferenças criativas.

Bohemian Rhapsody não tem previsão de estreia.

 

Crítica 2 | X-Men: Apocalipse é um bom filme e acerta o tom para o futuro da franquia

X-Men-ApocalypseQuando escalado para dirigir o primeiro filme dos X-Men em 2000, Bryan Singer citou a necessidade de fazer um filme grandioso e desafiador como esse, a fim de no futuro aprender a realmente fazer um filme desse. 16 anos depois, em sua quarta passagem pelo universo dos mutantes, Singer demonstra que consegue realizar um filme dos X-Men de olhos fechados.

X-Men: Apocalipse é mais um bom filme com a assinatura do diretor, mas com ressalvas. A liberdade criativa que a 20th Century Fox cedeu para o cineasta acabou se tornando o grande vilão dos filhos do átomo. É inegável a bagunça que se tornou a cronologia dos filmes, com muitas pontas soltas e perguntas não respondidas. Assim como Dias de Um Futuro Esquecido, esta nova produção renega o passado com o intuito de apagar a arestas e seguir adiante.

Na nova trama, um poderoso mutante que governou o mundo no passado antigo, Apocalipse (Oscar Isaac), voltou a despertar para um mundo de mutantes e caos na década de 80 e está pronto para cumprir sua promessa de refazer a humanidade à sua imagem. Contando com a ajuda de seus Quatro Cavaleiros: Tempestade (Alexandra Shipp), Magneto (Michael Fassbender), Psylocke (Olivia Munn) e Anjo (Ben Hardy), Apocalipse tem seu plano ameaçado por Charles Xavier (James McAvoy) e seus novos mutantes: Jean Grey (Sophie Turner), Ciclope (Tye Sheridan), Noturno (Kodi Smit-McPhee). Além disso, outros velhos conhecidos estão de volta como Mística (Jennifer Lawrence), Fera (Nicholas Hoult) e Mercúrio (Evan Peters).

Co-escrito por Simon Kinberg, Michael Dougherty e Dan Harris, X-Men: Apocalipse não faz jus ao temido vilão título. Oscar Isaac é subaproveitado e a maquiagem acaba prejudicando sua performance. Apocalipse em nenhum momento consegue se impor. Durante a narrativa, o que mais fica presente é a importância dos X-Men voltarem a se unir contra a grande ameaça.

Daí, que o trabalho de Singer em conhecer os personagens continua eficiente. O diretor consegue introduzir muito bem os novos mutantes Noturno, Jean Grey e Ciclope. Todos são apresentados de maneira efetiva e com suas devidas motivações. Como adolescentes, todos tem seus receios e o medo acaba sendo a força para eles encararem os obstáculos.

As escalações de Tye Sheridan e Sophie Turner foram precisamente acertadas. Pela primeira vez na franquia, acompanhamos Ciclope e Jean Grey mais próximos possíveis dos quadrinhos e, trabalhando em equipe. A sintonia entre os jovens atores é ótima, algo que faltou na trilogia original.

Como já apresentado nos trailers, Jennifer Lawrence ganha mais destaque neste longa interpretando Mística vista como heroína pelos jovens mutantes. A personagem abraça esse símbolo para reunir novamente os X-Men. Lawrence não decepciona, embora a Mística no longa esteja mais para Katniss do que a anti-heroína dos quadrinhos.

James McAvoy repete uma atuação competente como Charles Xavier. Interessante que o ator busca pelos trejeitos situar o amadurecimento de Charles, já que a história se passa 10 anos depois do último filme. O mesmo vale para Michael Fassbender que apresenta um Magneto sofrido com perdas recentes e que não consegue se desligar do seu lado mais obscuro.

No aspecto técnico, o trabalho da figurinista Louise Mingenbach está excelente, criando os melhores uniformes dos mutantes até agora. Sem deixar o conhecido tom preto, ela conseguiu utilizar de maneira sutil, mas perceptível para os olhos dos fãs de quadrinhos algumas referências com os trajes clássicos. Visualmente falando, X-Men: Apocalipse é um dos filmes mais bonitos da franquia.

O grande problema no longa está em refazer o que funcionou antes. Em X2 (2003), a cena inicial do Noturno foi uma das mais incríveis daquele ano. O mesmo aconteceu com Mercúrio em X-Men: Dias de Um Futuro Esquecido (2014). Com o retorno dos dois personagens, suas cenas são praticamente as mesmas, só que maiores e e mais caprichadas visualmente. O mesmo acontece com Coronel Stryker e o projeto Arma X, que novamente é introduzido e somos levados mais uma vez ao Lago Alkali para a participação especial daquele personagem bastante amado (vocês já sabem quem são, então nem preciso citar!). Porém, a cena acaba sendo satisfatória pelo visual e estilo sangrento seguindo a linha da HQ.

X-Men: Apocalipse é deveras divertido. Não é o melhor filme da franquia, mas está longe de ter sido um desastre como aconteceu em X3 – O Confronto Final (2006), que seguiu o rito da maldição do terceiro filme. Com duas trilogias encerradas, o final deixa espaço para algumas novas ideias a serem utilizadas ou, que o fim pode estar próximo.

Observação: Para os apressados que saem logo após o filme acabar, há uma interessante cena pós-créditos.

Cinema: Estreias da Semana – 19 de Maio

Grandes estreias essa semana nas telonas de todo o Brasil e para começarmos o novo filme dos atores Kate Winslet e Liam HemsworthA Vingança Esta na Moda” chega aos cinemas com distribuição da Imagem Filmes, o diretor Nicholas Stoller esta de volta com a comédia “Vizinhos 2” com o elenco do filme principal Seth Rogen, Rose Byrne e Zac Efron.

A California Filmes apresenta o seu mais novo drama “Pais e Filhas” com a participação de Russell Crowe, Amanda Seyfried e Aaron Paul e a grande estréia da semana “X-men: Apocalipse” com os atores James McAvoy, Michael Fassbender, Jennifer Lawrence, Evan Peters, Oscar Isaac, Nicholas Hoult e Hugh Jackman estreia nos cinemas com muita ansiedades para os fãs dos mutantes e conta com a direção de Bryan Singer.

Confira a seguir os lançamentos da semana:

moda-capa-1A Vingança Esta na Moda

(The Dressmaker) – 2014 – AUS – Drama – Duração: 118 Min.

Sinopse: Uma atraente mulher (Kate Winslet) retorna à sua cidade natal na Austrália rural. Com sua máquina de costura e estilo haute couture, ela transforma as mulheres e demanda a doce vingança de quem não acreditou em seus feitos.

 

 

Trailer:

Elenco: Kate Winslet, Liam Hemsworth, Hugo Weaving

Direção: Jocelyn Moorhouse

Distribuidora: Imagem Filmes

Classificação: 14 Anos

20160401-uni_viz2_poster_64x94_0Vizinhos 2

(Neighbors 2: Sorority Rising) – EUA – 2016 – Comédia – Duração: 95 Min.

Sinopse: Com um novo bebê a caminho, Mac (Seth Rogen) e Kelly Radner (Rose Byrne) decidem vender a casa e mudar-se para o subúrbio. Entretanto, uma nova fraternidade, mais estrondosa que seus antigos vizinhos, assumem a casa ao lado. Liderada por Shelby (Chloë Grace Moretz), as meninas do Kappa Nu pretendem mostrar que sabem fazer uma festa bem melhor que os meninos. A fim de que a paz na vizinhança seja restaurada, Mac e Kelly convocam sua arma secreta: Teddy (Zac Efron).

Trailer:

Elenco: Seth Rogen, Rose Byrne, Zac Efron

Direção: Nicholas Stoller

Distribuidora: Universal

Classificação: 16 Anos

X-Men-ApocalypseX-Men: Apocalipse

2016 – EUA – Ação – Duração: 143 Min.

Sinopse: O ancestral dos mutantes, En Sabah Nur, retorna com planos de mergulhar o mundo em um apocalipse para garantir a supremacia. Sequência de “X-Men: Dias de um Futuro Esquecido”.

 

 

Trailer:

Elenco: James McAvoy, Michael Fassbender, Jennifer Lawrence, Evan Peters, Oscar Isaac, Nicholas Hoult, Hugh Jackman

Direção: Bryan Singer

Distribuidora: Fox Films

Classificação: 14 Anos

254172_ptPais e Filhas

(Fathers And Daughters) – EUA, ITA – 2015 – Drama – Duração: 117 Min.

Sinopse: Nova York, 1988. Novelista mentalmente instável (Russell Crowe) tenta criar sozinho a filha de cinco anos após a morte da esposa. Vinte anos depois, a garota, já adulta (Amanda Seyfried), cuida de crianças com problemas psicológicos e ainda tenta entender sua complicada infância.

 

 

Trailer:

Elenco: Russell Crowe, Amanda Seyfried, Aaron Paul

Direção: Gabriele Muccino

Distribuidora: California Filmes

Classificação: 14 Anos

Crítica | X-Men: Apocalipse

A franquia X-Men, ao lado da franquia Homem-Aranha, foram as pioneiras no ramo de trazer os famosos super-heróis para as telas de cinema. Ambas possuem a sua marca histórica ao repaginar o cinema que conhecemos hoje: com filmes de heróis saindo a cada mês e com mais pessoas conhecendo um universo nerd extraordinário, independentemente da qualidade de cada obra. Bryan Singer foi o diretor que assinou os dois primeiros filmes dos X-Men, retornando somente em Dias de Um Futuro Esquecido e, agora, em Apocalypse. O roteiro do novo filme também é assinado pelo diretor e por mais dois nomes: Simon Kinberg e Dan Harris. Após tantos anos, os filmes da equipe mais adorada nos quadrinhos continuam com aquela sensação de altos e baixos; trazendo momentos ótimos que lhe colocam num patamar inigualável, e outros que lhe fazem querer abandonar a história e parte dos personagens apresentados (nesse caso, jogados).

A trama do filme baseia-se no ressurgimento de Apocalypse (Oscar Isaac), o primeiro mutante da Terra. Adorado e tido como Deus, ele governava com o auxílio de seus quatro cavaleiros que possuíam um único intuito: protegê-lo. Após sofrer uma traição, Apocalypse é aprisionado por milênios e é despertado nos anos 80 por um grupo de fanáticos ao seu culto. Seu retorno é sentido por todos os mutantes e, notando que o mundo se tornou um lugar onde armas e política governam, o vilão começa sua busca por seus novos cavaleiros para trazer ordem e liberdade aos seus filhos, os mutantes. A paz pregada pelo vilão será concretizada quando tudo que os humanos construíram for dizimado e refeito do zero por mutantes. Cabe ao Professor Xavier (James MacAvoy), Mística (Jennifer Lawrence) e seus novos X-Men a tarefa de impedir o carnavalesco Apocalypse e seus seguidores de implantarem uma nova ordem mundial.

A cena de apresentação do vilão é ótima e sobra elogios, pois traz um tom mais sério e violento que ele carrega (ou pelo menos deveria). Infelizmente, o único peso do personagem é nessa cena de abertura, e seu poder é demonstrado pela persuasão e no adquirimento de novas habilidades mudando seus olhos centenas de vezes ao longo do filme – e só. Oscar Isaac fez o melhor que pode por baixo de quilos de maquiagem e efeitos visuais. O roteiro de X-Men: Apocalypse desperdiçou um dos vilões mais ameaçadores da equipe, assim como falhou em trazer o devido carisma e importância aos novos personagens, também desperdiçando os ótimos atores do elenco e uma das melhores histórias dos quadrinhos. Seria a decisão mais acertada trazer o Apocalypse no início de um novo grupo, onde os personagens ainda não tem o peso que deveriam? A sensação de ameaça é nula tanto pelo mal desenvolvimento do antagonista como dos próprios protagonistas.

Um dos melhores momentos do filme é protagonizado por Erik Lehnsherr, o Magneto interpretado magistralmente por Michael Fassbender. Quando Bryan Singer oferece espaço para o personagem trazer toda sua carga dramática que motiva suas escolhas, Fassbender destoa e traz um dos melhores momentos do filme. Ladeado a este ápice de X-Men: Apocalypse, também temos uma gloriosa cena do Mercúrio (Evan Peters) ao som de Eurythmics – Sweet Dreams (Are Made Of This) e, para encerrar, um fan service do Wolverine (Hugh Jackman), mostrando o tom do seu novo filme que terá a classificação indicativa para maiores de idade. Fora estes momentos gloriosos, sobra um filme com problemas em apresentar personagens individualmente e em conjunto, já que trata-se de um filme de equipe. Os Quatro Cavaleiros do Apocalypse não tem profundidade e servem somente por razões existenciais de confronto explosivo no terceiro ato. Psylocke (Olivia Munn) – que foi aclamada no material de divulgação -, tem pouco mais de cinco falas e suas cenas de ação também são mal coreografadas e artificiais, assim como todo problemático terceiro ato.

X-Men: Apocalypse sobrevive por breves cenas gloriosas dentro de uma obra com mais de 147 minutos. Os picos altos conseguem lhe deixar na frenesi de “Eu quero ver mais disso!”, mas sua animação é cortada por arcos desnecessários que te levam ao cansaço mais rápido que uma Ferrari chegando aos 100 km/h. Então, ao sair da sala, permanecem algumas questões e uma certeza: a curiosidade de como poderia ser um filme bem feito dos X-Men; até que ponto a franquia viverá das glórias dos dois primeiros filmes e de seus céleres ápices carregados pelo ótimo elenco; e, a certeza de que esse filme é o sinônimo de desperdício.

Observação: na sessão de imprensa foi exibida somente uma cena pós-crédito.

X-Men: Apocalipse | Os quatro cavaleiros são apresentados em novo vídeo

A Fox Film do Brasil divulgou um novo vídeo de X-Men: Apocalipse. O vídeo apresenta cenas inéditas e os quatro cavaleiros recrutados pelo vilão Apocalipse. Veja no player abaixo!

Desde o início da civilização, ele era adorado como um deus.  Apocalipse (Oscar Isaac), o primeiro e mais poderoso mutante do universo X-Men da Marvel, acumulou os poderes de muitos outros mutantes, tornando-se imortal e invencível. Ao acordar depois de milhares de anos, ele está desiludido com o mundo em que se encontra e recruta uma equipe de mutantes poderosos, incluindo um Magneto desanimado (Michael Fassbender), para purificar a humanidade e criar uma nova ordem mundial, sobre a qual ele reinará. Como o destino da Terra está na balança, Raven (Jennifer Lawrence), com a ajuda do Professor Xavier (James McAvoy) deve levar uma equipe de jovens X-Men para parar o seu maior inimigo e salvar a humanidade da destruição completa.

Fera (Nicholas Hoult), Mercúrio (Evan Peters), Lucas Till (Havok) e Rose Byrne (Moira MacTaggert) retornam.

Os novatos Sophie Turner (Jean Grey), Tye Sheridan (Ciclope)Alexandra Shipp (Tempestade), Lana Condor (Jubileu), Ben Hardy (Anjo), Olivia Munn (Psylocke) e Kodi Smit-McPhee (Noturno) também estão no elenco.

X-Men: Apocalipse estreia em 19 de maio. Bryan Singer dirige a partir do roteiro de Simon Kinberg, Mike Dougherty e Dan Harris.

Fox divulga sinopse de X-Men: Apocalipse

A Fox acaba de divulgar a sinopse do vindouro X-Men: Apocalipse. Confira:

“Desde o início da civilização, ele foi adorado como um Deus. Apocalipse, o mutante mais poderso do Universo X-Men, acumulou o poder de vários outros mutantes, tornando-se imortal e invencível. Quando acorda depois de milhares de anos, ele fica desiludido com o mundo atual e recruta um time de mutantes poderosos, incluindo um desencorajado Magneto (Michael Fassbender), para acabar com a raça humana e criar uma nova ordem mundial, sob o qual ele reinará. Com o destino da Terra por um fio, Mística (Jennifer Lawrence), com a ajuda do Professor X (James McAvoy) vai liderar um grupo de jovens X-Men para interromper a extinção e salvar a humanidade da destruição”.

O filme será novamente dirigido por Bryan Singer e chegará aos cinemas em 27 de maio de 2016. O elenco é o mesmo do consagrado X-Men: Primeira Classe e agora, traz de volta Ciclope (Tye Sheridan), Tempestade (Alexandra Shipp) e Jean Grey (Sophie Turner) em suas versões mais novas.

Com informações de Comic Book Resources

Crossover entre X-Men e Quarteto Fantástico pode acontecer no cinema, revela Bryan Singer

Em entrevista para o Yahoo Movies, o diretor Bryan Singer confirmou a possibilidade de haver um crossover no cinema entre X-Men e Quarteto Fantástico.

“Essas ideias estão em jogo. Isso seria uma forma natural de um encontro, porque são dois filmes de equipe e há um mecanismo natural pelo qual fazê-lo. O tempo vai dizer. Isso é tudo que eu vou dizer”, disse.

Atualmente dirigindo X-Men: Apocalipse, Singer comenta que o resultado do próximo filme dos mutantes e o reboot do Quarteto Fantástico podem dar uma ideia do que vem pela frente.

“Vamos ter que ver como os filmes vão se sair. Somente dizer que vamos fazer o crossover seria um erro, você tem que ver como os filmes vão evoluir antes de tomar a decisão para nos comprometer com isso”, finaliza.

Quarteto Fantástico estreia em 06 de agosto. Já X-Men: Apocalipse estreia em 27 de maio de 2016.

Veja as primeiras imagens de X-Men: Apocalipse

A nova edição da Entertainment Weekly traz as primeiras imagens oficiais de X-Men: Apocalipse. Veja abaixo os visuais de Apocalipse, Psylocke e Tempestade!

A trama do novo filme será ambientada em 1983 e terá o retorno de Mística (Jennifer Lawrence), Xavier (James McAvoy), Magneto (Michael Fassbender), Fera (Nicholas Hoult), Mercúrio (Evan Peters), Lucas Till (Havok) e Rose Byrne (Moira MacTaggert). Oscar Isaac será o vilão Apocalipse.

Os novatos Sophie Turner (Jean Grey), Tye Sheridan (Ciclope)Alexandra Shipp (Tempestade), Lana Condor (Jubileu), Ben Hardy (Anjo), Olivia Munn (Psylocke) e Kodi Smit-McPhee (Noturno) também estão no elenco.

X-Men: Apocalipse estreia em 27 de maio de 2016. Bryan Singer dirige a partir do roteiro de Simon Kinberg, Mike Dougherty e Dan Harris.