Brasil Game Show 2015 | Nossa cobertura do maior evento de games da América Latina

O Poltrona Nerd esteve presente no evento. E em nossa cobertura completa, tivemos a oportunidade de ver bastante coisas interessantes. Conseguimos jogar antecipadamente Star Wars Battlefront, cuja open beta esteve disponível para download à partir do último sábado, tivemos uma partida de Cavaleiros do Zodiaco: Alma do Soldado e colocamos nossas mãos na demo de Rise of Tomb Raider. Além disso, entrevistamos exclusivamente André Gerard, designer do indie brasileiro Get Over Here e visitamos o estúdio da NVIDIA.

A Brasil Game Show começou no dia 8 de outubro e parecia incrível.

Um dos melhores momentos do evento, sem dúvidas, foi a conferência da Sony no próprio dia 8. No entanto, não passou disso. A Brasil Game Show é considerado o maior evento de games da América Latina (provavelmente devido ao número exorbitante de visitantes) e certamente é o maior do Brasil, contudo, não trouxe grandes novidades. Existem realmente muitas atrações para os fãs de games e você pode gastar incontáveis horas perambulando de estandes em estandes para jogar jogos que já foram lançados – não havia um único produto inédito com exceção de Tomb Raider – e conhecer as lojas presentes. Apesar disso, pareceu insultante que o Brasil, terceiro maior consumidor de games do mundo, não recebesse nada que fosse exclusivo para o evento. No lugar disso, recebemos um mero replay da E3.

A conferência da Sony trouxe ao palco Anderson Gracias, diretor de vendas da PlayStation Brasil, e várias outras personalidades como Yoshinori Ono e os dubladores da franquia Cavaleiros do Zodiaco da Bamdai. A irreverência de Ono, distribuindo presentes em um quiz de Street Fighter e o carisma das vozes em português de Seiya e Shiryu conseguiu mascarar a conferência, dando um ar mais divertido e menos sério, conseguindo encantar e esconder que o evento seria apenas aquilo. Ono subiu ao palco para apresentar Laura, personagem brasileira de Street Fighter, entretanto, a personagem já havia sido divulgada dias atrás no YouTube.

Como já mencionado aqui, é verdade que a BGS possuiu muitas atrações e foi um grande ponto de encontro para os gamers brasileiros, afinal, somos uma terra relativamente nova no mercado (lembrando ainda que quase somos os maiores consumidores) e este é o único contato com a mídia lá fora, mas a BGS pareceu sem sal em um mundo globalizado, em que as noticias viajam rápido. Infelizmente, há grande probabilidade que o evento continue sem apresentar nada “novo” nas próximas edições. Sendo assim, devemos pensar então que a BGS é um evento de games divertido, para ir junto dos amigos e aproveitar o dia, sem ser realmente um evento jornalístico sério ou um marco no mundo dos games como a Tokyo Game Show ou Gamescom (eventos menores que a E3, por exemplo).

A nova edição do evento já foi anunciada e ocorrerá também em São Paulo, na São Paulo Expo, entre 1 e 5 de setembro de 2016.

Brasil Game Show 2015 – Conhecendo o stand da NVIDIA

A Brasil Game Show, a maior feira de games da América Latina, trouxe diversas empresas com os mais variados tipos de atividades relacionados a videogame. O maior objetivo dessas empresas é entreter e inovar; algo que a NVIDIA realizou durante os cinco dias de feira com maestria. A NVIDIA trouxe um dos melhores palcos, usufruindo dos lançamentos tecnológicos que estão chegando ao país, uma loja exclusiva, diversas máquinas com os mais variados jogos, um palco interativo com o público (movimentado pelo time de atletas da INTZ) e, um dos pontos mais importantes: uma equipe de profissionais de qualidade, recebendo com qualidade todo público presente.

O Poltrona Nerd teve acesso de forma exclusiva para as duas maiores atrações da NVIDIA: o Oculus Rift e o Project Cars.

  • Oculus Rift

O Oculus Rift é um óculos de realidade aumentada, que utiliza a imersão como principal ferramenta de entretenimento. Em outras palavras, esse óculos coloca o usuário dentro do mundo do jogo.

NVIDIA 2

A NVIDIA disponibilizou três videogames já prontos com gadget. O usuário teria somente de escolher um de dois jogos para poder testar a capacidade de imersão do equipamento. Os jogos disponíveis para teste eram: EveValkyrie e Air Mech. Cada pessoa poderia jogar durante o período de dez minutos. Optamos pelo Eve – Valkyrie, que é um jogo de batalhas espaciais em primeira pessoa. Infelizmente, não pude colocá-lo juntamente com meus óculos de grau, pois é um pouco apertado, mas nada que me incomodou durante o teste.

O jogo começa com o lançamento do caça espacial, que sai da nave de decolagem em alta velocidade. Antes do lançamento, tentei testar a imersão proposta ela tecnologia, girando a cadeira e olhando para todos os cantos do compartimento da nave e, realmente, não havia um preenchimento vazio. Quando a batalha começou, primeiramente fiquei perdido diante tanta informação acontecendo na minha frente, que se consegui explodir uma nave inimiga foi muito. Por talvez inexperiência e por ser o primeiro contato com o dispositivo, tentei durante esses minutos mais me encontrar naquela galáxia do que em explodir outras naves. Ao final, sai com o sentimento de querer jogar novamente, mesmo que com um gameplay não satisfatório da minha parte, mas pelo óculos realmente cumprir o que promete: imersão. Resta saber se essa tecnologia virá futuramente junto aos consoles, e se essa tecnologia que ditará o futuro e os novos desenvolvimentos no que se diz respeito a videogame.

NVIDIA 3

  • Project Cars

O Project Cars, para os amantes de corrida, possuí três televisores com tecnologia 4K, que ofereciam um amplo campo de visão da pista e rodavam 1.5 bilhão de pixels por segundo.

O simulador era a atração mais concorrida pelos fãs de carros em alta velocidade (de todas as idades, vale ressaltar), já que era o único na Brasil Game Show que dispunha dessa tecnologia bem executada pela NVIDIA. A tecnologia de televisores era de impressionar somente para quem olhasse e, como pude testar em primeira mão, irei relatar um pouco sobre minha experiencia de jogo.

NVIDIA 4

A sensação é ótima mesmo para quem está longe de ser um fascinado por jogos de corrida. A emoção de estar dentro de um veículo de corrida é única. Confesso que dentro do teste, entre as batidas nos outros carros e derrapadas (gerando até um pouco de risada dos que esperavam na fila), foram sentidas e visualizadas com precisão. O gameplay ficou por último em meu critério, já que não sou de longe o melhor piloto, mas a qualidade de processamento de animações e a qualidade apresentada nos três televisores foi surreal.

NVIDIA 5

Além das principais atrações, o stand da NVIDIA trouxe um multiplayer de 6 contra 6 de Call of Duty: Black Ops III e outros jogos como: Tom Clancy’s Rainbow Six: Siege, Killing Floor 2, Mad Max, Metal Gear Solid V: The Phantom Pain, Heroes of the Storm e Rocket League. Todos rodando na novas placas de vídeo da NVIDIA: a GTX 95 e a Titan X.

NVIDIA 6
Thaysa, uma das representantes do staff.

A NVIDIA demonstrou toda sua capacidade nesse stand, trazendo inovações e uma bela equipe para auxiliar todos os usuários a terem a melhor experiência no mundo dos games.

A pergunta que fica no ar é: como eles podem se superar no ano que vem?