Crítica | Surpreendentemente, Dois Caras Legais é um filme muito bom

A primeira impressão que se tem de um filme, cujo nome em português é Dois Caras Legais (The Nice Guys em inglês), é a pior possível. Provavelmente uma daquelas típicas comédias com estilo “bobeirol” dos Estados Unidos, regada a piadas sem graça, bebidas e sexo.

Em parte, é isso mesmo que acontece, com exceção das piadas sem graça.

A trama se passa nos anos 70, em Los Angeles, onde o assassinato de uma atriz pornô desencadeia uma série de acontecimentos misteriosos. O início do filme nos leva a crer que as previsões feitas serão cumpridas, e em menos de 5 minutos ja temos uma mulher pelada. Mas a parte ‘fraca’ acaba por aí.

Após a filha de uma funcionária do Departamento de Justiça dos Estados Unidos desaparecer, tudo começa. Entram em ação Jackson Healy (Russell Crowe) e Holland March (Ryan Gosling), formando uma dupla inusitada e extremamente divertida. Os dois se pegam então,  envolvidos em uma rede de assassinatos, corrupção e lavagem de dinheiro. Enquanto Crowe interpreta o brutamontes responsável e ‘correto’, Gosling assume o papel do detetive alcoólatra, que só se importa com festas e dinheiro. Finalizando a equipe, temos a filha de March, Holly (Angourie Rice).

As boas risadas ficam a cargo do personagem de Gosling, que de sua maneira torta, consegue chegar aonde quer. O contraste entre os dois personagens é a grande jogafilmes_10876_27da, coisa que há muito não se via em um filme deste tipo. Até mesmo o relacionamento irônico entre Rice e o pai provoca um contraste muito bom, tendo de um lado a filha séria e madura, e do outro o pai irresponsável e infantil, mas que a ama acima de tudo. A jornada dos três em busca da verdade e da justiça, contra os possíveis vilões Judith Kutner (Kim Basinger) e John Boy (Matt Bomer) é emocionante do início ao fim.

O filme é simples, sem muitos efeitos especiais, mas conta com o talento de seus personagens para fazer sucesso. E consegue. Não é uma produção onde o suspense e a ação devem ser criticados, o objetivo de tudo é diferente. É uma produção de comédia com momentos de ação, e não o contrário. As 3 figuras principais desempenham seus respectivos papeis da melhor maneira possível, e o restante do elenco só complementa a história.

A dupla de atores merece ser novamente vista em outra produção, pois deu muito certo. Gosling mostrou ser mais versátil do que ja se conhecia, representando um excelente personagem de comédia; enquanto Crowe conseguiu trazer a seriedade característica de seus outros papéis para o lado divertido. Dois Caras Legais é mais um exemplo de que não se deve julgar um livro pela capa, ou no caso, pelo título.

 

Jovem atriz australiana é confirmada no elenco de Spider-Man: Homecoming

Angourie Rice, atriz australiana do ainda inédito no Brasil, Dois Caras Legais, está se juntando ao elenco de Spiderman: Homecoming. As informações são do Hollywood Reporter.

O papel da atriz não foi revelado, mas levando em conta Rice ser loira, já começa os rumores de que ela possa ser a jovem Gwen Stacy.

A trama do novo filme vai apresentar Peter Parker (Tom Holland) no colegial em seus primeiros anos como o Homem-Aranha.

Marisa Tomei (Tia May), Robert Downey Jr. (Tony Stark), Michael Keaton (misterioso vilão, possível Abutre), Logan Marshall-Green (vilão secundário), Kenneth Choi (diretor da escola de Peter Parker), Zendaya (Michelle), Donald Glover, Martin Starr, Michael Barbieri, Laura Harrier e Tony Revolori também estão no elenco.

O novo Homem-Aranha fez sua primeira aparição em Capitão América: Guerra Civil, que estreou em 28 de abril. Spider-Man: Homecoming chega aos cinemas em 07 de julho de 2017. Jon Watts dirige a partir do roteiro de John Francis Daley e Jonathan Goldstein.