Cinema: Estreias da Semana – [26 de Janeiro]

A ultima semana do mês de Janeiro chega com quatro grandes estreias e com filmes para toda a familia, o ator e agora diretor Mel Gibson dirigi o filme de Guerra “Até o Último Homem” com os atores Andrew Garfield, Vince Vaughn e Teresa Palmer.

Will Smith estrela o filme “Beleza Oculta” que conta com a participação de Kate Winslet, Keira Knightley e tem a distribuição da Warner Bros, a Imagem Filmes lança no circuito nacional o filme “Max Steel‘ que conta a história de Max um adolescente que descobre ter poderes quando entra em contato com uma força extraterrestre.

A Sony Pictures apresenta o último filme da renomada franquia do cinema e dos video-games “Resident Evil 6: O Capítulo Final” estrelado pela atriz Milla JovovichAli Larter, Iain Glen e direção de Paul W.S. Anderson. O ator Dennis Quaid estrela o drama “Quatro Vidas de um Cachorro” que fala sobre um cachorro que morre e reencarna várias vezes na Terra e que tem o sonho de reencontrar o seu primeiro dono, que sempre foi seu maior amigo.

Confira a seguir os lançamentos da semana:

Até o Último Homem

(Hacksaw Ridge) – AUS, EUA – 2016 – Guerra – Duração: 139 min

Sinopse: Durante a Segunda Guerra Mundial, o médico do exército Desmond T. Doss (Andrew Garfield) se recusa a pegar em uma arma e matar pessoas, porém, durante a Batalha de Okinawa ele trabalha na ala médica e salva mais de 75 homens, sendo condecorado. O que faz de Doss o primeiro Opositor Consciente da história norte-americana a receber a Medalha de Honra do Congresso.

 

Trailer:

Diretor: Mel Gibson

Elenco: Andrew Garfield, Vince Vaughn, Teresa Palmer

Distribuidora: Diamond Filmes

Classificação: 16 Anos

Beleza Oculta

(Collateral Beauty) – EUA – 2016 – Drama – Duração: 97 min

Sinopse: Após uma tragédia pessoal, Howard (Will Smith) entra em depressão e passa a escrever cartas para a Morte, o Tempo e o Amor – algo que preocupa seus amigos. Mas o que parece impossível, se torna realidade quando essas três partes do universo decidem responder. Morte (Helen Mirren), Tempo (Jacob Latimore) e Amor (Keira Knightley) vão tentar ensinar o valor da vida para o protagonista.

 

Trailer:

Diretor: David Frankel

Elenco: Will Smith, Kate Winslet, Keira Knightley

Distribuidora: Warner Bros

Classificação: 10 Anos

Max Steel

EUA – 2016 – Aventura – Duração: 93 min

Sinopse: Max (Ben Winchell) é um adolescente de 16 anos que, como todas as pessoas da sua idade, está passando por um período de descobertas. Entretanto, as transformações na vida do jovem estão relacionadas aos incríveis poderes que ele descobre ter quando entra em contato com uma força extraterrestre.

 

Trailer:

 

Diretor: Stewart Hendler

Elenco: Ben Winchell, Maria Bello, Andy Garcia

Distribuidora: Imagem Filmes

Classificação: 10 Anos

Quatro Vidas de um Cachorro 

(A Dog’s Purpose) – EUA – 2017 – Drama – Duração: 100 min

Sinopse: Um cachorro morre e reencarna várias vezes na Terra. Embora encontre novas pessoas e viva muitas aventuras, ele mantém o sonho de reencontrar o seu primeiro dono, que sempre foi seu maior amigo.

 

Trailer:

 

Diretor: Lasse Hallström

Elenco: Britt Robertson, Dennis Quaid, K.J. Apa

Distribuidora: Universal

Classificação: Livre

Resident Evil 6: O Capítulo Final 

(Resident Evil: The Final Chapter) – EUA, ALE – 2016 – Ação/Terror – Duração: 106 min

Sinopse: Tomando como ponto de partida o final de Resident Evil: Retribuição, o novo filme mostra os últimos momentos da humanidade, após Alice ter sido traída por Wesker em Washington. Sobrevivente do massacre zumbi, a heroina deve retornar para onde o pesadelo começou – Raccoon City, onde a Umbrella Corporation está reunindo suas forças para um ataque final contra os remanescentes do apocalipse. Para escapar, Alice vai precisar da ajuda de velhos e novos amigos, enquanto luta para salvar a raça humana.

Trailer:

Diretor: Paul W.S. Anderson

Elenco: Milla Jovovich, Ali Larter, Iain Glen

Distribuidora: Sony Pictures

Classificação: 14 Anos

Crítica | Até o Último Homem marca retorno de Mel Gibson

Desmond Thomas Doss foi um soldado americano, sendo o primeiro e único objetor consciente (pessoa que segue princípios religiosos, morais e éticos discrepantes com o serviço militar), a receber uma Medalha de Honra na Segunda Guerra Mundial. Durante a Batalha de Okinawa, sem a utilização de qualquer armamento de fogo, Doss salvou a vida 75 soldados – incluindo a do seu próprio superior. Hacksaw Ridge (título oficial do filme) conta de forma brilhante e visceral a trajetória de Desmond, marcando o retorno de Mel Gibson ao cinema. Ironia do destino ou não; o diretor volta às produções cinematográficas contando uma história de guerra com uma mensagem significativa de paz.

O coração deste longa-metragem está na forma em que a direção e o roteiro escrito por Robert Schenkkan e Andrew Knight questionam: como um membro da Igreja Adventista do Sétimo Dia entra em um campo de batalha onde é necessário atirar para permanecer vivo? As faces da guerra são amplamente questionadas ao longo da trama, sendo a religião um papel fundamental na posição de cada personagem no conflito. A fé de Desmond guiava-o para servir sem tocar em qualquer arma de fogo e, consequentemente, não tirar nenhuma vida. Sua vontade contradizia todos os ideais de uma batalha de escala global, assim como também contradizia a vontade de sua família – que não queria que ele servisse – , e de seus companheiros de guerra. É notório o esforço que Gibson faz para mostrar as díspares formas em que a fé de Doss foi testada, duvidada e satirizada por seus companheiros, algo que se tornou fundamental para o crescimento dele e para o clímax dramático do filme.

O inicio de Hacksaw Ridge tem um clima de conflito familiar semelhante aos filmes de John Ford (How Green Was My Valley), mostrando o dia-a-dia de Desmond, a relação com seu irmão, Harold Doss (Nathaniel Buzolic), os problemas que a Primeira Guerra trouxe ao seu pai, Tom Doss (Hugo Weaving), e afetaram toda família, principalmente a mãe, Bertha Doss (Rachel Griffiths), que lidava com o alcoolismo e a violência diária de seu marido. A figura de Tom Doss contrapõe a leveza do ato inicial, já que são extremamente nítidas as consequências da guerra em seu semblante, tal como nas vestimentas e forma de agir. Por outro lado, o interesse amoroso de Doss, Dorothy Schutte (Teresa Palmer), traz uma carga sutil para o roteiro dramático, onde Gibson soube conduzir os atores através da inocência de suas atuações. Além disso, o diretor sempre alertar que o mundo está em guerra, seja com soldados desfigurados postergando o hospital ou com a enorme propaganda de alistamento durante uma sessão de cinema, o que traz um questionamento vital para Desmond: como posso continuar trabalhando enquanto há homens lutando e morrendo para defender esse país?

Por favor, Senhor, me ajude a salvar mais um”, pedia Andrew Garfield, na pele de Desmond Doss, enquanto descansava por segundos na terra sangrenta de Okinawa antes de erigir-se em busca de um novo soldado para resgatar. A performance do ator britânico é louvável, como também é a melhor de sua carreira, fazendo jus a sua indicação ao Oscar. Garfield soube trabalhar a leveza e a inocência de um jovem, assim como soube transpor seus inúmeros conflitos internos, sua vontade de salvar o próximo e, principalmente, traduzir a incrível fé de Desmond até o fim do filme. Outro ponto de destaque é o caráter cômico extremamente bem executado por Vince Vaughn, que interpreta o Sargento Howell, nêmesis de Doss durante seu período de treinamento. A ironia da relação de ambos é muito bem contada, como também tem base em documentários reais da vida de ambos. Gibson acerta em cheio na escalação de seu elenco, mas é na ação e construção do âmbito nefasto da guerra que sua direção brilha.

Os soldados americanos escalaram um grande muro para chegar à batalha. Uma vasta neblina toma conta do cenário, e o sangue derramado, assim como as vísceras expostas – sejam elas aliadas ou inimigas – refletem o pavor da guerra nas expressões de cada fuzileiro. A incerteza de que sairiam daquele local com vida transbordava o medo da maioria do batalhão. O veterano coordenador de efeitos especiais, Chris Godfrey (O Senhor dos Anéis: A Sociedade do Anel) trabalha com exímia perfeição a carnificina da batalha, dispensando muitos efeitos computadorizados e prezando pelos práticos; o que dá vida para cada membro mutilado espalhado pelo campo de guerra. Gibson soube trabalhar a dualidade do confronto filmando cenas focadas em um rifle atirando em plongée, enquanto os pés do soldado perpassavam por corpos de americanos e japoneses; noutra cena, o diretor mostra um saldado caindo ladeado a outro, abrindo interpretações de que não há vitoriosos na guerra, somente morte.

Hacksaw Ridge abre inúmeros pontos para discussão, sabendo questionar a guerra de muitas maneiras sem esquecer-se de trazer a fé de Desmond Doss como ponto principal para a narrativa. Apesar de o roteiro ter certa fragilidade na hora de solucionar alguns problemas, como o da própria corte marcial, ele acerta em resumir passagens da vida de Desmond para construir seu arco de forma que prenda o interesse do espectador e para que também possa ser comercial.  Mel Gibson retorna triunfalmente à Hollywood, trazendo uma história forte e emocional indicada para seis prêmios do Oscar.

Natalie Portman, Emma Stone, Amy Adams e mais se reúnem para cantar “I Will Survive” em crítica ao governo Trump

Atores e atrizes de Hollywood se reuniram para uma performance de “I Will Survive”, clássico de Gloria Gaynor para a W Magazine. O vídeo é uma crítica a Donald Trump, o novo presidente dos EUA.

Natalie Portman, Emma Stone, Felicity Jones, Dev Patel, Andrew Garfield, Amy Adams, Chris Pine e Matthew McConaughey são algumas das estrelas no vídeo. Veja no player abaixo!

A performance “é apenas o antídoto para Hollywood, que ainda está sofrendo, muitos dos quais foram partidários de Hillary Clinton no ano passado”, escreveu a revista.

No Globo de Ouro no início desta semana, Meryl Streep fez um discurso poderoso criticando o bilionário republicano, que bateu de volta no Twitter chamando a atriz de “superestimada e puxa-saco de Clinton”.

Mas nem todos em Hollywood criticaram o atual presidente. Clint Eastwood e Jon Voight têm apoiado o republicano, enquanto Mark Wahlberg no mês passado encorajou seus colegas atores a se manterem fora da política.

Silence | Novo filme de Martin Scorsese ganha primeiro trailer

A Paramount Pictures divulgou o primeiro trailer de Silence, novo filme de Martin Scorsese (O Lobo de Wall Street) inspirado no livro de Shusaku Endo. Veja no player abaixo!

https://youtu.be/Lb9BHMbUEAo

Ambientada no Japão no século XVI, a história trata de missionários portugueses que viajam ao país oriental para confortar convertidos locais e impedir que senhores feudais torturem padres cristãos – maneira local encontrada para tentar expulsar do Japão os catequistas europeus.

Andrew Garfield, Adam Driver, Liam Neeson, Tadanobu Asano, Issey Ogata , Ciaran Hinds, Yosuke KubozukaYoshi Oida formam o elenco.

Escrito por Jay Cocks (Gangues de Nova York), Silence estreia em 26 de janeiro de 2017.

Veja o primeiro cartaz e imagens de Silence, novo filme de Martin Scorsese

A Paramount Pictures divulgou o primeiro pôster e imagens de Silence, novo filme de Martin Scorsese (O Lobo de Wall Street) inspirado no livro de Shusaku Endo. Veja na galeria abaixo!

Ambientada no Japão no século XVI, a história trata de missionários portugueses que viajam ao país oriental para confortar convertidos locais e impedir que senhores feudais torturem padres cristãos – maneira local encontrada para tentar expulsar do Japão os catequistas europeus.

Andrew Garfield, Adam Driver, Liam Neeson, Tadanobu Asano, Issey Ogata , Ciaran Hinds, Yosuke KubozukaYoshi Oida formam o elenco.

Escrito por Jay Cocks (Gangues de Nova York), Silence estreia em 26 de janeiro de 2017.

Homem-Aranha | Veja a evolução do uniforme ao longo dos anos

Criado em 1962 por Stan Lee e Steve Ditko, o Homem-Aranha se tornou um ícone da cultura pop com suas publicações em quadrinhos, séries animadas e as adaptações ao cinema. Com a nova versão do herói no filme Capitão América: Guerra Civil, o SuperHeroHype apresenta a evolução do uniforme do aracnídeo ao longo de 54 anos de história.

O início (1962)

Depois de Peter Parker ganhar suas habilidades incríveis, pensou em todas as diferentes coisas que ele poderia fazer com esses poderes. Logo depois, ele viu uma placa que oferecia US$ 100 para qualquer homem ficasse em pé no ringue com "Crusher Hogan." Quando ele apareceu neste uniforme precário, ele foi motivo de piada do lutador se referindo a ele como "Masked Marvel."

Homem-Aranha (1962)

Depois de sua aventura no ringue, Peter correu para casa para projetar um uniforme melhor. Em um curto espaço de tempo, ele montou sua primeira roupa (e lançadores de teia) e orgulhosamente proclamou: "Aí vem o Homem-Aranha!"

Uniforme clássico

Seguindo a linha de Steve Ditko no personagem, o artista John Romita o substituiu. O desenho original de Ditko tinha os lançadores de teia sob os braços do Homem-Aranha, que Romita incluiu inicialmente, mas eventualmente as teias ficaram menores até que eles foram embora inteiramente, e o traje icônico nasceu.

Homem-Aranha de seis braços (1971)

Não é fácil ser o Homem-Aranha, e nesse ponto Peter Parker ficou tão farto de tudo o que aconteceu em sua vida, que ele queria sair. Não apenas sair, porém, Peter desenvolveu um soro para se livrar de seus poderes. Na manhã após tomá-lo, no entanto, Peter acordou para descobrir que ele tinha se tornado ainda mais aranha quando ganhou quatro braços extras.

Uniforme Negro (1984)

Enquanto o traje regular é o mais familiar, o traje preto é definitivamente um dos mais populares do Homem-Aranha. Spidey primeiramente conseguiu o traje em outro planeta no arco "Secret Wars". Seu uniforme original foi danificado, ele entrou em uma máquina e sem que ele soubesse estava ligada com o simbionte alienígena que tomou a forma do uniforme preto. Peter ganhou novas habilidades, porque ele poderia se transformar em qualquer outra roupa que ele gostasse e gerou lançadores infinitos de teias.

O Espetacular Homem-Saco (1984)

Como todos sabemos agora, o uniforme preto era realmente o simbionte alienígena que passou a ser o estrangeiro não amigável no universo. Depois de abandonar o simbionte em uma torre de sino, Peter Parker foi rapidamente para o Quarteto Fantástico pedir ajuda com a sua falta de roupa. Johnny Storm não poderia resistir e vestiu Parker desta forma. Embora Peter só usou a roupa por algumas edições, "Bag-Man" (Homem-Saco) tornou-se um dos uniformes alternativos favoritos dos leitores.

Homem-Aranha Cósmico (1989)

Muito parecido com seu aliado verde Hulk, Peter já teve seu próprio acidente de laboratório, quando a Força Enigma ligada com Peter o transforma no Capitão Universo, ganhando mais poderes juntamente com a capacidade de disparar rajadas de energia e transformar suas teias em qualquer forma que quisesse.

Homem-Aranha Ciborgue (1992)

Ferido em uma briga com Solo, Homem-Aranha acordou para descobrir que ele tinha um braço cibernético. O braço ciborgue serviu apenas para ajudar o Homem-Aranha a se curar, não ganhando mais destaque nas próximas edições.

Homem-Aranha 2099 (1992)

Nas histórias dos heróis da Marvel situadas no futuro, houve um cientista chamado Miguel O'Hara. Miguel trabalhou em um laboratório onde ele estava tentando criar super-soldados com poderes e ele estava particularmente inspirado por registros do Homem-Aranha.
O'Hara foi chantageado e acidentalmente teve metade de seus genes substituídos com a de uma aranha. Ele então decidiu assumir o manto do herói.

Armadura-Aranha Mark I (1993)

Este processo foi criado por Peter especificamente para combater um grupo conhecido como o 'New Enforcers'. Ele apareceu apenas uma vez, nas páginas de Spider-Man #100, mas desde então passou a se tornar favorito dos fãs.

Aranha Escarlate (1994)

O novo traje surgiu na longa saga do clone. Benjamin "Ben" Reilly  foi um clone de Peter Parker e apareceu pela primeira vez como o personagem em Amazing Spider-Man, nº. 149.

Octo-Aranha (1995)

Embora ele tenha aparecido em apenas uma edição, Spider-Man: Funeral for an Octopus #2, Homem-Aranha ganhou os tentáculos do Doutor Octopus por um breve tempo na luta contra o Sexteto Sinistro.

Homem-Aranha Ben Reilly (1996)

Quando Peter Parker se aposentou brevemente, Ben Reilly (Aranha Escarlate) assumiu o manto do Homem-Aranha e fez um traje novo.

Crise de Identidade - Ricochete (1998)

Homem-Aranha foi acusado de assassinato durante este tempo e teve que assumir a identidade de alguns diferentes "heróis" antes que ele pudesse voltar como Homem-Aranha. O primeiro foi Ricochete, que posou como um criminoso de aluguel em um esforço para derrubar muitos bandidos. Cada uma das identidades foi retomada mais tarde por outro personagem.

Crise de Identidade - Vespa (1998)

A segunda identidade que Peter assumiu foi a Vespa. Peter usou um jetpack, ferrões sedativos do Aranha Escarlate, e sua super-força. Ele não conseguiu enganar o Abutre, que descobriu que ele era o Homem-Aranha, mas o Tocha Humana não, alertando-o para ficar longe do Homem-Aranha.

Crise de Identidade - Sombra (1998)

Peter conseguiu este traje na Zona Negativa e foi usado para misturar-se nas sombras e tornar-se praticamente invisível.

Crise Identidade - Prodígio (1998)

Este traje foi criado e projetado inteiramente por Mary Jane. Ele foi descrito como um herói "tipo cara legal" com a armadura à prova de balas, super-força e a capacidade de pular de prédio em prédio. Ele rapidamente se tornou muito mais popular e recebeu muito mais notoriedade do que o Homem-Aranha conseguiu.

Homem-Aranha Sem Limites (2000)

Nas páginas de Webspinners: Tales of Spider-Man #13, Homem-Aranha usou brevemente um novo traje que era para se parecer com sua roupa da série animada Homem-Aranha Sem Limites.

Homem-Aranha Ultimate (2000)

A linha Ultimate foi lançada para servir como uma pseudo-reinicialização para a Marvel. Eles queriam modernizar seus personagens. O que fez esta versão do personagem tão única e diferente, foi apenas mostrar Peter Parker uma criança quando ele se tornou o cabeça de teia.

Homem-Aranha - Filme (2002)

O primeiro filme, dirigido por Sam Raimi, mostrou um uniforme feito por Peter Parker (Tobey Maguire) para participar de uma luta livre.

Homem-Aranha (2002)

Os filmes de Sam Raimi foram fortemente influenciados pela série original dos quadrinhos, exceto pela falta dos lançadores de teia. Nesta adaptação, Peter Parker adquiriu a capacidade de produzir as teias de forma orgânica.

O último uniforme (2003)

Em The Amazing Spider-Man #500, Peter tem uma visão do início e do fim potencial de sua carreira como Homem-Aranha. Este futuro possível tem Homem-Aranha simplesmente em uma máscara, luvas e jaqueta. Mais tarde, ele recebeu esta mesma roupa de Leo Zelinsky, o super-herói Tailor.

Aranha de Ferro (2006)

Este traje foi dado a Peter por Tony Stark durante a Guerra Civil. O traje apresenta uma série de modificações diferentes do traje típico. Além dos braços de aranha mecânicos, o traje possui outras capacidades como um scanner de emergência, áudio e amplificadores visuais, um dispositivo de camuflagem, e muito mais.

Homem-Aranha 3 (2007)

Não houve quaisquer alterações feitas no uniforme entre os dois primeiros filmes, mas no filme final da série Peter ganha seu uniforme negro, que não ficou tão bacana como nas HQ's.

Homem-Aranha Noir (2009)

Dentro de um universo alternativo e situado na era Grande Depressão, em que um jovem Peter Parker é picado por uma aranha e ganha algumas habilidades de um Deus Aranha. A principal diferença neste Homem-Aranha e o tradicional, é que ele não é capaz de escalar paredes e carrega uma arma.

Armadura-Aranha Mark II (2011)

Este traje que Peter desenvolveu em seu trabalho no Horizon Labs é especialmente modificado para torná-lo invisível dependendo da cor do traje. As luzes verdes significam que ele é invisível a partir de áudio e gravações visuais e o vermelho anula todos os ataques sônicos. Também foi considerado como "Armadura-Aranha Mark II."

Fundação Futuro (2011)

Embora as origens da Fundação Futuro são muito mais longas, a inclusão do Homem-Aranha é bastante simples. Depois de se sacrificar heroicamente, a vontade de Johnny Storm era que Peter participasse da Fundação Futuro em seu lugar e a ele foi dado um novo traje para a ocasião. A melhor parte sobre isso? Ela nunca fica suja.

Miles Morales (2011)

Peter Parker encontrou tragicamente seu fim no Universo Ultimate, mas não durou muito tempo depois de sua morte que um novo Homem-Aranha apareceu. Seu nome é Miles Morales e ele desenvolveu seus poderes de uma forma estranhamente semelhante a Peter Parker. Ele até se encontrou com o 'real' Peter Parker em uma mini-série intitulada Homens-Aranha e agora vive no principal Universo Marvel ao lado dele.

Outro Aranha Escarlate (2012)

Outro dos clones do Homem-Aranha, Kaine foi criado pelo vilão O Chacal e viria a assumir o manto do Aranha Escarlate depois da morte de Ben Reilly (e com um novo traje).

Armadura-Aranha Mark III (2012)

Este traje específico foi criado por Peter com o único propósito de lutar contra o Sexteto Sinistro. Ele usou a tecnologia e equipamentos de várias outras peças para criar um traje muito resistente que lhe permitiu derrotar Octopus, Electro, Mistério, Rhino, Camaleão e o Homem-Areia.

O Espetacular Homem-Aranha (2012)

Ao invés de fazer um quarto filme da franquia Homem-Aranha de Sam Raimi, foi decidido que um reboot ia ser realizado em seu lugar. Este filme foi estrelado por Andrew Garfield como Peter Parker e algumas modificações foram feitas para o traje do filme, o mais notável dos quais são os olhos. E pela primeira vez foi introduzido os lançadores de teia.

Homem-Aranha Superior (2013)

Em uma das histórias mais originais em edições recentes, o grande inimigo do Homem-Aranha, o Doutor Octopus, na verdade, trocou de corpo com o herói quando ele estava morrendo. Ele apresentou uma versão melhor do herói e acrescentou alguns ajustes para a cor do traje, algumas garras e tentáculos (como esperado).

O Espetacular Homem-Aranha 2 (2014)

Em 2014, a sequência do filme O Espetacular Homem-Aranha apresentou uma mudança no uniforme para se assemelhar mais com os quadrinhos, dando destaque aos grandes olhos brancos.

Spider-Gwen (2015)

Uma série foi lançada chamada Edge of Spider-Verse com cada edição focando em uma versão alternativa do Homem-Aranha. Em uma dessas edições, Peter não era o Homem-Aranha, dando lugar ao seu interesse amoroso Gwen Stacy.

Armadura-Aranha Mark IV (2015)

Embora possa não parecer tão diferente de seu traje tradicional, Peter desenvolveu a quarta versão da sua Armadura-Aranha, que inclui a voz para ativar os lançadores de teia, além de ser resistente ao calor e à prova de balas entre muitas outras características.

Capitão América: Guerra Civil (2016)

Tom Holland é o terceiro ator a interpretar o aracnídeo nas telonas. Sua primeira aparição acontecerá em Capitão América: Guerra Civil, que estreia em 28 de abril. O uniforme apresenta semelhanças com o design de Steve Ditko na década de 60.

Veja o trailer de 99 Homes, drama com Andrew Garfield e Michael Shannon

99 Homes, drama escrito e dirigido por Ramin Bahrani, ganhou seu primeiro trailer. Veja abaixo!

Na trama, Andrew Garfield vive um sujeito que perde sua casa por conta da hipoteca, mas encontra sucesso quando passa a trabalhar para o imoral agente imobiliário (Michael Shannon) que foi o responsável por sua perda.

99 Homes estreia em 25 de setembro nos EUA.

https://www.youtube.com/watch?v=Wb23jkJsNSs

Veja a primeira imagem de 99 Homes, drama com Andrew Garfield e Michael Shannon

99 Homes, drama escrito e dirigido por Ramin Bahrani, ganhou sua primeira imagem. Veja abaixo os protagonistas Andrew Garfield e Michael Shannon:

inews_99-Homes_05ago14

Na trama, Andrew Garfield será um sujeito que perde sua casa por conta da hipoteca, mas encontra sucesso quando passa a trabalhar para o imoral agente imobiliário (Shannon) que foi o responsável por sua perda.

99 Homes ainda não tem previsão de estreia.

Fonte: Intersect News – Com reprodução autorizada para o Poltrona Nerd.