Visitamos a Iron Studios: o novo lar do colecionador nerd

A Iron Studios é, definitivamente, o lar oficial de todo nerd no Brasil. Colecionador ou não, é extremamente difícil não se encantar com a loja, localizada em São Paulo, na Alameda Gabriel Monteiro da Silva, 946.

Desde o momento em que se entra no ambiente que a Iron Studios desenvolveu, um dos últimos pensamentos ocorrerá é que você está dentro de uma loja. A sensação de conforto e de sentir-se casa, com pessoas que entendem e, principalmente, gostam do mesmo tipo de entretenimento que o seu eleva a experiência tanto como consumidor, tanto como fã.

O espaço é decorado suntuosamente, do teto ao chão, com todos os personagens possíveis da cultura pop (antiga e contemporânea). Esse contraste de gerações é exposto logo na entrada, onde há uma peça do Homem de Ferro de 1 metro de altura ao lado de um Yoda em tamanho real, encantando o público mais jovem que acompanha a atual cronologia do Universo Cinematográfico da Marvel, tanto como o público maduro, que acompanhou a saga de Star Wars. No entanto, do que seria a decoração e as luzes projetadas em toda loja se não houvesse peças a altura da qualidade do lugar? Nesse ponto, a Iron Studios não tem nenhuma preocupação; todos os colecionáveis expostos são de encher os olhos, e com extrema facilidade você pode imaginar todas as peças em cômodos da sua casa.

Iron Studios / Foto: Luan Damascena

O Poltrona Nerd foi convidado a conhecer a Iron Studios e a realizar uma entrevista com um dos gerentes da loja, Rafael Alex. Na entrevista, e no decorrer dela, é notável o entendimento do mundo nerd tanto do gerente como dos lojistas, além da paixão de estar lá, trabalhando com o que realmente gostam e o melhor: fazendo-o com prazer. Acompanhe a entrevista exclusiva e algumas fotos da loja abaixo:

Como é feita a produção das peças, que parecem ter saído das telas do cinema?

O desenvolvimento começa com a ideia da peça. Nós fazemos uma reunião com a empresa que detém os direitos da determinada peça e definimos qual o personagem, a posição, o tamanho e o tempo de venda desse produto (a maioria possui dois anos). Após ser definido o que será a peça, reproduzimos ela no computador em uma escultura 3D. Montamos a peça e às vezes é necessário um retoque a mão. Enviamos o produto pra aprovação, depois passamos a colocá-lo na pose que será vendido e montamos a base. São feitos dois protótipos; uma peça é enviada para o estúdio pra aprovação e a outra para réplica das produções, que será usada como base para as próximas. A outra peça de protótipo volta para a vitrine da loja, que é para o cliente olhar como ficará e realizar a reserva. Chegando o produto final, entramos em contato com o cliente que reservou. Como desenvolvemos a peça em parceria com os estúdios, recebemos os moldes das personagens, consequentemente, elas acabam sendo idênticas as do filme e também temos a licenciatura de cada peça.

Qual novidade vocês trarão para a Comic-Con Experience?

Teremos muitas novidades tanto de DC Comics, quanto Marvel e a licença recém anunciada Star Wars. Iremos mostrar diversos protótipos pela primeira vez lá no evento.

Iron Studios / Foto: Luan Damascena
Iron Studios / Foto: Luan Damascena

Qual a diferença da filial no Brasil para a filial no exterior?

Na verdade não se tratam de filiais. Todo o processo é idealizado e desenvolvido no Brasil. Apenas a produção em escala que é realizada na China em nossa fábrica.

Qual seria o público-alvo da Iron Studios?

É muito difícil essa pergunta. Tem gente que vem de outro estado pra cá, tem gente que manda o motorista vir buscar alguma peça. Tem gente que vem de longe, juntando moeda por moeda e até donos de empresas. Resumindo: um fã é um colecionador. Aqui na loja recebemos muitas pessoas que trabalham perto da região e que são extremamente entretidas no assunto de quadrinhos, filmes e cultura pop de uma forma em geral.

Qual o setor de action figure que é o mais procurado?

O setor de comics é o mais procurado hoje. Temos clientes que não gostam das peças de filmes e gostam somente da fisionomia dos quadrinhos, como temos clientes que procuram peças de filmes por gostarem do ator ou do design que é apresentado pelo filme.

Iron Studios / Foto: Luan Damascena
Iron Studios / Foto: Luan Damascena

Quais as diferenças que existem entre as peças da Iron Studios e das outras empresas?

Cada empresa acaba trabalhando exclusivamente em uma escala especifica ou se especializa em determinado material. Nós podemos dizer que hoje a Iron Studios se diferencia na produção de dioramas de batalha na escala 1/6. Na escala 1/10, apesar de haver outras fabricantes, nosso nível de detalhes para essa escala e materiais (polystone, tecido, die-cast) são nossos diferenciais.

Como é feita as reservas das peças, já que a maioria (hoje) encontra-se esgotadas?

Na verdade, o “esgotado” presente no nosso site são as pessoas que reservam por esse canal. O Capitão América, por exemplo, durou 6h no site. Quando a peça chega à loja, ligamos para os clientes que reservaram pelo site e confirmamos a compra. É muito importante que os clientes reservem, pois os produtos acabam muito rápido e a reserva acaba sendo importante.

Existe algum episódio curioso sobre a Iron Studios?

Uma vez eu estava mexendo no Instagram e vi a foto de uma das nossas peças (que condizia a peça do Homem de Ferro no primeiro filme dos Vingadores), e a pessoa que havia postado, extremamente animada por tê-la recebido de presente da Marvel, foi o ator Clark Gregg (Phil Coulson dos Vingadores). Antes de contar o próximo episódio, eu preciso explicar que cada action figure que possui o rosto de um ator tem que ser aprovada tanto pelo estúdio como pelo ator ou, normalmente, pela agência dele. A nossa peça do Loki foi aprovada pelo próprio ator, Tom Hiddleston, que nos enviou um vídeo dizendo que gostou do trabalho.

Iron Studios / Foto: Luan Damascena
Iron Studios / Foto: Luan Damascena

Um episódio ainda mais curioso, por parte da visita que fiz a loja, é que fiquei praticamente a tarde toda, olhando action figure por action figure, questionando sobre novos lançamentos que eles estariam realizando e muito mais. A entrevista foi curta, mas o tempo que passei lá sobressaiu o esperado. Quiçá o meu nível nerd tenha chegado ao seu ápice lá dentro, mas é uma experiência que eu recomendo a todos os fãs e colecionadores que desejam ter uma peça memorável em suas casas. Ou, como o próprio gerente Rafael Alex disse:

“Vamos trocar esse vaso da Dinastia Ming por um Homem de Ferro, que é muito mais legal.”