A trilogia de O Lado Mais Sombrio – Uma releitura de Alice no País das Maravilhas

Pensei muito a respeito de como começar essa nova coluna, pois o número de livros lidos até hoje é bem grande. Resolvi iniciar com a tumblr_static_62cclm19ey8swwwks4s04k08wúltima trilogia que li, já que eu tive um pouco de preconceito no começo e me surpreendi positivamente. Provavelmente ninguém deve conhecer A.G.Howard, uma autora norte americana que tem 3 livros publicados, e é justamente desses 3 que resolvi falar. Recebendo o nome de O Lado Mais Sombrio, Atrás do Espelho e Qualquer Outro Lugar, a trilogia é uma espécie de releitura do conto de Alice no País das Maravilhas de Lewis Carroll.

A história é centralizada em Alyssa Gardner, uma adolescente de 16 anos descendente de ninguém menos que Alice Liddell, a Alice que todos conhecemos; e seus dois amigos/amores Morfeu, o intraterreno arrogante e charmoso do País das Maravilhas, e Jebediah Holt (ou Jeb), o amigo de infância apaixonado. O triângulo enfrenta junto (nem tanto) todos os problemas decorrentes da linhagem de Alyssa, além daqueles que surgem no cotidiano de 3 adolescentes envolvidos. A menina ouve e conversa com plantas e animais, fato que colocou sua mãe em um sanatório, mas está disposta a provar que não apenas a mãe não é louca, como também ser verdade o que sua tataravó dizia.

É assim que conhecemos mais uma versão do famoso País das Maravilhas, um lugar exótico e mágico, com seres estranhos, os intraterrenos, e rainhas complexas de se entender. Logo de cara percebe-se o que acontecerá em todos os 3 livros em relação a Alyssa e seus dois companheiros, já que a menina se apaixona pelos dois e não sabe o que quer. O instável, diferente, arrogante e charmoso Morfeu, ou o companheiro, artista, fofo e “comum”, Jeb. Os seres do País não são capazes de imaginar e por isso a presença de Alyssa no lugar se torna inevitável para sua sobrevivência.

Os leitores podem vir a ficar irritados com a menina, pois a indecisão muitas vezes atrapalha processos óbvios. Ela é uma das pessoas mais poderosas do lugar e é preciso que Morfeu entre em ação para que ela se lembre disso, o que deixa os livros chatos em alguns momentos. Mas certamente todos irão ficar na dúvida entre #TeamMorfeu ou #TeamJeb, como Alyssa (confesso que assumi o segundo Team), já que a imagem dos dois é construída e desconstruída a todo momento. Pelas capas do livro, percebe-se quem será o “líder” das atenções em cada um. Alyssa comanda o primeiro, seguida por Morfeu no segundo e enfim Jeb, no último.

unhinged-horz                         Morfeu                                  x                         Jeb

A grande questão que une os 3 livros é justamente a relação entre o mundo humano e o mundo mágico do País das Maravilhas. Enquanto no primeiro Alyssa é uma adolescente de 16 anos, no segundo ela é uma rainha ainda não coroada, razão pela qual muitos querem se apossar dela. O nível de ação cresce com o decorrer da história e muitas vezes, personagens ficam a beira da morte. A disputa pela coroa, possessão de corpos, coleção de corações vivos e questões básicas de uma adolescente, são assuntos abordados nas tramas.Não trate os livros como infantis por serem baseados em um conto de tal tipo, muitos jovens adultos irão gostar (inclusive quem vos escreve).

Os livros se encontram em ordem crescente de qualidade, não que o primeiro seja ruim, apenas é inferior aos outros dois. É uma leitura gostosa e leve, mas ao mesmo tempo intrigante e emocionante. A arte das capas é muito bem feita e os 3 livros são lindos já do lado de fora. Para quem gosta de versões alternativas de contos já conhecidos, super recomendo a trilogia de A.G. Howard.