Crítica | A Espiã que Sabia de Menos

poltrona_spy_posterA parceria entre o diretor Paul Feig e a atriz Melissa McCarthy vem dando muito certo. Juntos, a dupla foi responsável pelas principais comédias do mercado: Missão Madrinha de Casamento e As Bem-Armadas. Com A Espiã que Sabia de Menos, Feig e McCarthy conseguem o mesmo êxito em uma divertida comédia tendo como pano de fundo o âmbito da espionagem.

Acompanhando toda a divulgação do longa, parecia que veríamos mais um besteirol americano. Mas, o longa usa de maneira eficaz os elementos de espionagem sem parecer uma mera paródia de James Bond. O resultado são cenas bem elaboradas que misturam e dosam bem a comédia e ação.

A trama acompanha a despretensiosa Susan Cooper (Melissa McCarthy), uma analista que trabalha para a CIA. Comprometida, ela sonha em um dia se tornar uma agente de campo como seu parceiro de missões vivido por Jude Law. Quando o agente é abatido e a identidade de outros agentes como o durão e rabugento Rick Ford (Jason Statham) são colocadas em risco, Susan se voluntaria para se infiltrar e evitar um desastre global liderado pela vilã Raina Boyanov (Rose Byrne), que adquiriu uma poderosa arma nuclear.

Confesso que nunca me identifiquei com o estilo cômico de Melissa McCarthy, mesmo tendo gostado de Missão Madrinha de Casamento e As Bem-Armadas. Mas, a atuação da atriz me divertiu pela autenticidade e maneira que lida com as situações embaraçosas que se mete. O mais interessante está no conceito das piadas. Nada de teor pejorativo ou humor negro, embora os palavrões sejam usados gratuitamente. Mas, o que acompanhamos são os próprios personagens tirando sarro de si mesmos.

Quem mais se aproveita disso é Jason Statham. O britânico desempenha divertidas cenas quando seu personagem se vê colocado de lado com a presença de Susan. A química entre os dois rendem os momentos mais hilários da fita.

Menções honrosas para as divertidas participações de Allison Janney, Miranda Hart e Bobby Cannavale, que destacam a importância da sincronia do elenco para o êxito do filme.

Feig estabelece um ritmo alucinante no primeiro até meados do segundo ato do longa. 120 minutos para um filme de comédia acabou sendo demais para a produção, que oscila durante a metade para o desfecho.

Por fim, A Espiã que Sabia de Menos é garantia de uma boa diversão. Uma comédia inteligente que comprova a perspicácia de Paul Feig e Melissa McCarthy para filmes do gênero.

Veja Melissa McCarthy no novo cartaz e trailer de A Espiã que Sabia de Menos

A 20th Century Fox divulgou um novo cartaz e trailer de A Espiã que Sabia de Menos (Spy), comédia de espionagem com Melissa McCarthy (As Bem Armadas). Veja abaixo!

A trama segue Susan Cooper (McCarthy), uma despretensiosa da CIA, e uma heroína não reconhecida atrás da missões mais perigosas da agência. Mas quando seu parceiro (Jude Law) cai fora da grade e outro agente top (Jason Statham) assume o posto, ela se voluntaria para irem disfarçados e se infiltrarem no mundo de um traficante de armas mortais, e evitar um desastre global.

Rose Byrne, Bobby Cannavale, Allison Janney, Curtis “50 Cent” Jackson e Miranda Hart também estão no elenco.

Dirigido e escrito por Paul Feig (Missão Madrinha de Casamento), A Espiã que Sabia de Menos estreia em 05 de junho nos EUA.

Veja Melissa McCarthy no cartaz e trailer da comédia Spy

A 20th Century Fox divulgou o primeiro cartaz e trailer de Spy, comédia de espionagem com Melissa McCarthy (As Bem Armadas). Veja abaixo:

poltrona_spy_poster_13jan15

A trama segue Susan Cooper (McCarthy), uma despretensiosa da CIA, e uma heroína não reconhecida atrás da missões mais perigosas da agência. Mas quando seu parceiro (Jude Law) cai fora da grade e outro agente top (Jason Statham) assume o posto, ela se voluntaria para irem disfarçados e se infiltrarem no mundo de um traficante de armas mortais, e evitar um desastre global.

Rose Byrne, Bobby Cannavale, Allison Janney, Curtis “50 Cent” Jackson e Miranda Hart também estão no elenco.

Dirigido e escrito por Paul Feig (Missão Madrinha de Casamento), Spy estreia em 22 de julho nos EUA.