Crítica – A Escolha Perfeita 2

capa.png Enfim chegou aos cinemas o segundo filme do coral a capela mais famoso da atualidade: Pentatonix A Escolha Perfeita 2.

O filme ocorre três anos após o primeiro, com a maioria das meninas já prestes a se formar, elas tem um último desafio para manter o nome Barden Bellas na universidade: vencer o campeonato mundial de coral a capela. Isso tudo porque, como já mostrando no trailer, Fat Amy (Rebel Wilson) mostra muito mais que sua voz e sua personalidade numa apresentação em homenagem ao aniversário de Barack Obama, no Kennedy Center.

Vi muita gente dizendo por aí que dormiu com o começo do filme, que achou chato e que foi uma continuação desnecessária. Eu discordo dsso. Eu gostei sim do filme, mesmo ele se perdendo em alguns momentos. As piadas – na verdade mais as de Fat Amy – estão pouco engraçadas e o clima não é tão contagiante quanto ao primeiro, porém dá para assistir o filme tranquilamente.

Acontece que, agora, temos algumas histórias secundárias, como exemplo a Beca (Anna Kendrick) já visando seu futuro pós-faculdade e tomando esporro do novo chefe de trabalho – ela quer ser produtora, mas tudo que faz é pegar algumas músicas e fazer mashup (coisa que até New Directions fazia) e acaba recebendo um sermão de que precisa ir além disso. Temos também a novata Emily (Hailee Steinfeld) que, por conta de sua mãe ser uma ex-Bella, quer continuar com o legado dela – e é o que a leva a ter esse apelido, Legado. Tudo isso se perde um pouco em algumas trocas de cenas que acaba confundindo o espectador.

Por conta de tudo isso, as Bellas acabam “perdendo sua voz” e vão para um retiro, que é onde já vemos mais uma personagem do primeiro filme retornando, Aubrey (Anna Camp). Lá, após algumas músicas e algumas tarefas, elas acabam não só encontrando sua voz, mas também acabam se abrindo (elas não se conhecem há 4 anos?) e dizendo o que cada quer para o futuro.

Cena onde, para “se encontrarem”, elas precisam dividir até a mesma barraca.

Praticamente todos os personagens do primeiro filme voltaram e, alguns, com mais destaque que outros. Como, por exemplo, Bumper (Adam Devine) que se destaca mais que Jesse (Skylar Astin) – o namorado de Beca. Eles apagaram totalmente o romance de ambos para mostrar o novo romance (entediante) de Bumper e Fat Amy.

Falando em personagens, uma que ainda consegue tirar gargalhadas da gente é Lily (Hana Mae Lee) com seus movimentos ninjas e frases que só com legenda para entender. Também temos uma latina, a [agora desenha uma] Flo (Chrissie Fit), que, por conta dos jeitos e das falas, nos faz lembrar muito a Glória (Sofia Vergara) de Modern Family.

O grupo rival das Bellas nesse filme é uma versão alemã de Vocal Adrenaline, os Das Sound Machine, e esses caras conseguem nos deixar de boca aberta, tanto em quesito voz quanto quesito performance. Até mesmo no Riff-Off (o momento que mais gosto dos filmes) quando pegam alguns outros grupos e botam para batalhar, cada um por si – é um dos pouco momentos de destaque dos Treblemakers, o grupo rival do primeiro filme.

A última parte do filme se concentra no campeonato internacional que é realizado em Copenhagen (Dinamarca), onde temos apresentações de corais do mundo todo, contando até com participação especial do grupo Pentatonix, representando o Canadá. (não sei dizer se eles estavam representando eles mesmo, mas provavelmente não). Com DSM sendo o penúltimo a apresentar (e muito bem), chega a vez das Barden Bellas, as quais fazem uma apresentação fantástica, com um elemento surpresa muito legal.

Barden Bellas se apresentando no campeonato mundial.
Barden Bellas se apresentando no campeonato mundial.

Com um terceiro filme confirmado, as Barden Bellas voltarão! Anna Kendrick, Rebel Wilson e Hailee Steinfeld já confirmaram que estarão presentes na continuação. Resta apenas saber como será, tendo em vista que, tirando a Legado, agora todas elas estão formadas. Resta aguardar até julho de 2017, quando o terceiro filme for lançado.

PS¹: Senti falta dos ACA da vida, que nos fez ficar aca-falando tudo com aca-aca na frente das aca-frases.

PS²: Fiquem até o fim, pois a cena pós-créditos é simplesmente hilária.

pitch2
Formandas de 2015.