3% da Netflix é a série não-inglesa mais assistida nos Estados Unidos

3%, primeira série nacional da Netflix, que não foi tão bem recebida pelos brasileiros, acaba de entrar para o topo da lista das séries mais assistidas da língua não-inglesa do catálogo americano do serviço de streaming.

Considerando por horas assistidas, 50% da audiência de 3% vem de outros países sem ser o Brasil. A produção estreou em novembro do ano passado em mais de 190 países!

O vice-presidente de produções originais da Netflix, Erik Barmack disse que o sucesso de 3% prova que sempre existe público para grandes narrativas, independente de onde no mundo elas são produzidas.

“Os incríveis produtores, diretores e elenco brasileiros de 3% construíram uma série atraente que questiona a dinâmica da sociedade ao colocar os personagens em um processo de sobrevivência cruel para chegar ao ‘outro lado’, e isso criou uma empatia com públicos do mundo todo. O sucesso da série em todo o mundo nos levou a confirmar a segunda temporada assim que a série foi lançada.”

Além disso, 3% já tem segunda temporada garantida. O anúncio foi dado pelo elenco, durante o painel da série na Comic-Con Experience que aconteceu em São Paulo.

Assista as nossas considerações sobre a primeira temporada de 3%:

Netflix confirma segunda temporada de 3%

Durante o painel da Netflix na Comic Con Experience – CCXP 2016, foi anunciado que a série nacional 3% terá uma segunda temporada.

O anúncio pegou os próprios atores de surpresa. Bianca Comparato, Rodolfo Valente, Michel Gomes, Rafael Lozano, Viviane Porto e Veneza Oliveira não esperavam que, após os pedidos de “renova, renova” do público, era que ele fosse concretizado tão rápido: o VP de marketing na América Latina Vinny Lozato invadiu o painel e confirmou a boa notícia. A data de estreia ainda não foi confirmada.

3% se passa num mundo pós-apocalíptico, depois de diversas crises que deixaram o planeta devastado. Num lugar não especificado do Brasil, a maior parte da população sobrevivente mora no Continente, um lugar miserável, decadente, onde falta tudo: água, comida, energia. Aos 20 anos de idade, todo cidadão tem direito de participar do Processo, uma seleção que oferece a única chance de passar para o Mar Alto, onde tudo é abundante e há oportunidades de uma vida digna. Mas somente 3% dos candidatos são aprovados no Processo, que testa os limites dos participantes em provas físicas e psicológicas e os coloca diante de dilemas morais. Morar em Mar Alto, no entanto, não é o objetivo de todos os candidatos: alguns têm outros planos.

3% | Primeiras impressões da série brasileira da Netflix

A Netflix liberou dois episódios (o primeiro e o quinto) do thriller pós-apocalíptico que se passa no Brasil em um futuro não muito distante. No primeiro episódio, bem introdutório, somos apresentados aos protagonistas, que tentam o acesso ao Maralto, lugar em que vive apenas 3% da população. Podemos ver também a situação precária em que vive os 97%, com fome e falta de todas as necessidades básicas.

Sabemos que não é uma trama inovadora, pois há algum tempo produções que visam debater a sociedade por meio da distopia pipocam por aí, como Jogos Vorazes, Divergente e Elysium, mas ainda assim, é interessante acompanhar como isso se desenvolverá no Brasil.

Para acessar a vida perfeita, as pessoas passam por um rigoroso processo seletivo quando chegam aos 20 anos. Ezequiel (João Miguel) é o responsável pelo processo que decide a vida dessas pessoas.

Como em toda sociedade desigual, em 3% surge um grupo de rebeldes que questionam a ordem vigente e no processo seletivo, conseguem infiltrar um deles. Uma pena que pude sacar logo quem era a pessoa infiltrada, gosto muito quando a trama surpreende e ainda não foi o caso.

O quinto episódio é melhor do que o primeiro, porque é um recorte da história,  buscando profundidade e pano de fundo para um dos personagens, ali já é possível fazer uma reflexão sobre essa sociedade em que muitos são deixados para trás em nome da perfeição.

Houve pequenos incômodos, como algumas atuações que ainda não me convenceram e a trilha sonora, forçando uma brasilidade em cenas em que a música não se encaixava em nada.

Mas no geral, é uma série que vale a pena acompanhar pra ver no que vai dar, pois a produção e fotografia não deixam nada a desejar.

Dirigida por César Charlone – de O Banheiro do Papa e diretor de fotografia de Cidade de Deus -, a primeira temporada, com oito episódios, vai ao ar no mundo inteiro nesta sexta-feira (25).

3% | Elenco está otimista para estreia mundial da série

Admirável Mundo Novo (1932) de Aldous Huxley e 1984 (1949) de George Orwell, foram as inspirações de Pedro Aguilera, criador e roteirista, quando ainda era estudante de cinema da USP, para desenvolver um universo distópico ao lado dos colegas Dani Libardi, Daina Giannecchini, Ivan Nakamura e Jotagá Crema. Lançaram um piloto sobre uma terra arrasada, onde os habitantes têm uma única chance na vida de escapar para uma espécie de paraíso. E apenas 3% da população passa no teste. O grande sucesso no Youtube chamou a atenção de uma gigante do streaming e não qualquer gigante.

Na onda da distopia, com a alta das discussões da sociedade atual com os exageros que geram identificação, como em Black Mirror, a Netflix comprou a ideia e decidiu produzir a primeira série totalmente brasileira do streaming.

E se depender da confiança do elenco da série, 3% tem tudo para se tornar o próximo sucesso mundial. Na coletiva de imprensa, que aconteceu nesta segunda-feira (21) em São Paulo, todos estavam com boas expectativas, principalmente por levar a imagem de uma produção nacional para o mundo.

Netflix 3% S1, Press Coference 2016. (Pedro Saad / Netflix) Viviane Porto e Michel Gomes
Netflix 3% S1, Press Coference 2016. (Pedro Saad / Netflix) Viviane Porto e Michel Gomes

Viviane Porto que vive Aline na série, destacou a importância e o orgulho de fazer uma ficção em língua portuguesa para todo o mundo. “O que eu gostei foi o fato de ser uma produção da Netflix, pelo jeito que é feito. Eu sou público da Netflix, a louca da maratona”, brincou. João Miguel (Ezequiel) foi atraído por seu personagem, “um personagem sistemático, que traz essa coisa de poder, corporativo, é muito diferente do que já tinha feito”.

Bianca Comparato intérprete de Michele, uma das protagonistas, enfatizou que a discussão política presente na história foi a primeira coisa que chamou sua atenção. Ela afirmou ainda que “o Brasil é uma grande distopia, então intelectualmente (a história da série) faz sentido”. Michel Gomes que vive o cadeirante Fernando, afirmou que a série é científica mas não está muito distante da realidade.

Netflix 3% S1, Press Coference 2016. (Pedro Saad / Netflix) Bianca Comparato
Netflix 3% S1, Press Coference 2016. (Pedro Saad / Netflix) Bianca Comparato

Um destaque na produção é a posição de minorias em evidência. “Uma coisa que sempre quis, era retratar o Brasil na série. A gente achou que seria interessante de que a sociedade já tivesse superado os problemas atuais como racismo e machismo. As camadas que não estão no poder hoje, lá (na série) estão em posição de poder”, disse Aguilera. Vaneza Oliveira (Joana), destacou ainda que “fugir do estereótipo e preconceito, ajuda a entender as múltiplas facetas das personagens”.

Netflix 3% S1, Press Coference 2016. (Pedro Saad / Netflix) Vaneza Oliveira
Netflix 3% S1, Press Coference 2016. (Pedro Saad / Netflix) Vaneza Oliveira

Dirigida por César Charlone – de O Banheiro do Papa e diretor de fotografia de Cidade de Deus-, a primeira temporada, com oito episódios, vai ao ar no mundo inteiro nesta sexta-feira (25).

Veja o trailer de 3%, primeira série original brasileira da Netflix

A série distópica apresenta jovens sem perspectiva que têm apenas uma oportunidade de melhorarem suas vidas.

3% se passa num mundo pós-apocalíptico, depois de diversas crises que deixaram o planeta devastado. Num lugar não especificado do Brasil, a maior parte da população sobrevivente mora no Continente, um lugar miserável, decadente, onde falta tudo: água, comida, energia. Aos 20 anos de idade, todo cidadão tem direito de participar do Processo, uma seleção que oferece a única chance de passar para o Mar Alto, onde tudo é abundante e há oportunidades de uma vida digna. Mas somente 3% dos candidatos são aprovados no Processo, que testa os limites dos participantes em provas físicas e psicológicas e os coloca diante de dilemas morais. Morar em Mar Alto, no entanto, não é o objetivo de todos os candidatos: alguns têm outros planos.

Escrita por Pedro Aguilera (Copa de Elite, Os Homens São de Marte E É Pra Lá Que Eu Vou) e produzida pela Boutique Filmes, a série contará com 8 episódios em sua primeira temporada e sua estreia está marcada para o dia 25 de novembro.

3% | Primeira série nacional da Netflix ganha teaser trailer

Depois de meses após o anuncio do inicio da produção, a Netflix liberou o primeiro teaser trailer de 3%. Confira:

3% se passa num mundo pós-apocalíptico, depois de diversas crises que deixaram o planeta devastado. Num lugar não especificado do Brasil, a maior parte da população sobrevivente mora no Continente, um lugar miserável, decadente, onde falta tudo: água, comida, energia. Aos 20 anos de idade, todo cidadão tem direito de participar do Processo, uma seleção que oferece a única chance de passar para o Mar Alto, onde tudo é abundante e há oportunidades de uma vida digna. Mas somente 3% dos candidatos são aprovados no Processo, que testa os limites dos participantes em provas físicas e psicológicas e os coloca diante de dilemas morais. Morar em Mar Alto, no entanto, não é o objetivo de todos os candidatos: alguns têm outros planos.

Escrita por Pedro Aguilera (Copa de Elite, Os Homens São de Marte E É Pra Lá Que Eu Vou) e produzida pela Boutique Filmes, a série contará com 8 episódios em sua primeira temporada e sua estreia está marcada para o dia 25 de novembro.

3% | Netflix inicia filmagens da primeira série original brasileira

A Netflix iniciou em São Paulo as gravações de 3%, sua primeira série original brasileira que irá estrear exclusivamente no serviço ainda este ano. Escrita por Pedro Aguilera (Copa de Elite, Os Homens São de Marte E É Pra Lá Que Eu Vou) e produzida pela Boutique Filmes, promove o encontro de atores consagrados e jovens talentos, que ganharão exposição global pela Netflix. A série contará com 8 episódios em sua primeira temporada e será filmada inteiramente no Brasil com tecnologia Ultra HD 4K.

image007 (1)
Da esquerda para a direita: Rafael Lozano, Mel Fronckowiak, Michel Gomes, Bianca Comparato e Vaneza Oliveira

3% está sendo dirigida pleo indicado ao Oscar® Cesar Charlone (Cidade de Deus, Ensaio sobre a Cegueira, O Banheiro do Papa) com interpretações de Bianca Comparato (Avenida Brasil, Sete Vidas, Irmã Dulce), João Miguel (Estômago, Xingu, Felizes Para Sempre?), Zezé Motta (Xica da Silva, Chiquinha Gonzaga), Nicolau Breyner, além de Mel Fronckowiak, Rodolfo Valente (Chapô, Sítio do Picapau Amarelo, Malhação), Vaneza Oliveira, Michel Gomes (Cidade de Deus, Última Parada 174, Salve Geral), Rafael Lozano (Sessão de Terapia) e Viviane Porto (Babilônia, Garotas do ABC).

Nós apoiamos o talento brasileiro e continuamos reconhecendo o interesse que ele gera ao redor do mundo.  Nossos assinantes ao redor do mundo vão poder desfrutar dessa história incrível com personagens complexos e distintos e que dificilmente seriam retratados, mas que encontrou na Netflix a sua casa”, disse Erik Barmack, vice-presidente de Originais Internacionais.

Este é um marco para o mercado brasileiro. Com essa série nós temos a oportunidade de ter um alcance global. Estamos orgulhosos de fazer parte desta primeira vez da indústria brasileira”, afirmou Tiago Mello, Diretor da Boutique Filmes.

3% é um thriller pós-apocalíptico que se passa no Brasil em um futuro não distante, onde alguns poucos são aceitos a integrar uma sociedade privilegiada após passarem por um processo intenso e competitivo.

Criada e escrita por Pedro Aguilera, 3% traz Cesar Charlone como diretor geral da produção, que conta ainda com os diretores Daina Giannecchini, Dani Libardi, Jotagá Crema, e produção executiva de Tiago Mello. Eduardo Piagge é diretor de fotografia e Valdy Lopes, o diretor de arte.

3% | Confirmada a primeira série brasileira produzida pelo Netflix

A Netflix, anunciou hoje sua primeira série original brasileira “3%”, que começa a ser gravada no início de 2016 e estreia com exclusividade na Netflix no final do próximo ano. Produzida pela Boutique Filmes, a primeira temporada será dirigida pelo indicado ao Oscar®, Cesar Charlone (Cidade de Deus, Ensaio sobre a Cegueira), e protagonizada por João Miguel (Estômago, Xingu, Felizes Para Sempre?) e Bianca Comparato (Avenida Brasil, Sete Vidas, Irmã Dulce).

A série é um thriller que retrata um mundo dividido entre progresso e devastação. A única chance de passar para “o lado melhor” é por meio de um processo cruel – e nem sempre justo – onde somente três por cento dos candidatos são aprovados. “Em última instância, a série traz à tona questões sobre a dinâmica da sociedade que impõe constantes processos de seleção pelos quais todos nós temos que passar, gostemos ou não”, comenta Cesar Charlone.

3% estreia em 2016, só na NetflixAgora é oficial: vem aí 3%, a primeira série brasileira Original Netflix.

Posted by Netflix on Quarta, 5 de agosto de 2015

Escrita por Pedro Aguilera e produzida pela Boutique Filmes, 3% será filmada em Ultra HD 4K.