Que tal começarmos esse post falando sobre meu dom profético e o cancelamento de Wicked City? Pois é, ela foi a primeira baixa da Fall Season, e outras também estão no caminho do abismo, devendo ser canceladas em breve. Esse mês tivemos poucos pilotos, mas todos eles ficaram num nível bom para cima. Confira quais são eles e o que achei de cada um:

[divider size=”full”]

Master Of None (Netflix)  starstarstar

A vida pessoal e profissional do nova-iorquino Dev , um ator de 30 anos de idade.”  – Tudo que é da Netflix aparenta ser sempre ótima, mas não é tudo que  alcança isso não. MoN teve seus 10 episódios disponibilizados só que, como se trata de piloto, tenho que me basear somente no primeiro. Bem, a comédia que se tem na série não é das melhores, se não fosse pelo protagonista, Aziz Ansari (sim, o de Parks & Rec), eu teria parado na metade. O protagonista só quer ter a vida dele, mas tem medo de diversos fatores que pode encontrar pelo caminho, como ser pai. Os outros personagens não são tão memoráveis, tanto que já esqueci o nome deles enquanto escrevia aqui. O plot? Não é ruim. Vale a pena ver? Não sei, estou me baseando somente no piloto, mas acho que talvez valha.

[divider size=”large”]

Chicago Med (NBC)  starstarstarstar

“Um passeio emocional através do caos diário do hospital mais explosivo da cidade e pela equipe corajosa dos médicos que sempre se mantém unida. Eles enfrentarão novos casos únicos, inspirados por eventos da atualidade, criando relações eletrizantes no pandemônio que é a sala de emergência.” – É bem óbvio que isso é mais um spin-off de Chicago Fire, o qual também gerou Chicago PD. Não assisti nenhuma dessas duas, e confesso que iria ver essa por causa do Colin Donnel, mas acabou que gostei bastante. Realmente a maior parte dos casos nunca vi em outras séries do tema, o que deixa bem interessante. Ela só poderia ter mais correria ainda, como Code Black, mas é boa e vale a pena continuar. E, para quem vê Fire e PD, pode ter a certeza de que verá rostos conhecidos pelo Gaffney Chicago Medical Center.

https://www.youtube.com/watch?v=qXMKH6F3Qmo

[divider size=”large”]

Agent X (TNT)  starstarstarstar

Escondido da vista do público – e até do Presidente – existe um agente secreto que é treinado e pronto para sempre servir, mas apenas com o consentimento do vice-Presidente.” – A série começou bem, muito bem, as lutas que acompanham os seis primeiros minutos foram bem executadas e boas, porém a série falha com uma coisa: pequenos grandes erros técnicos – e eles são muito perceptíveis. Se tirarmos isso, realmente temos algo bom e com uma história boa, que dá para seguir um caminho bem longo. Se você gosta desse universo de espionagem, ação e suit&tie, Agent X é uma ótima aquisição.

[divider size=”large”]

Into The Badlands (AMC)  starstarstarstarstar

“Num futuro distópico, um poderoso guerreiro luta, juntamente com um garoto que salvou, contra os implacáveis barões feudais e tudo o que é controlado por eles.” – Um steampunk distópico com artes marciais e magia só pode dar coisa boa! A nova série da AMC teve a maior audiência em quesito piloto da Fall Season e já garantiu alguns fãs, sendo eu um deles. Mesmo tendo um roteiro meio previsível, ainda dá tempo de melhorar e a tornar mais incrível ainda! As cenas de luta, por exemplo, foram melhores que muitas que vi em filmes e em outras séries. Meu conselho para ela é: apenas assista.

[divider size=”large”]

Flesh and Bone (starz)  starstarstarstar

“Após se juntar em um companhia de dança em Nova York, Claire, uma talentosa bailarina, mas com problemas emocionais, logo se encontra no difícil – e muitas vezes cruel – mundo do ballet profissional.” – Ouvi comentários ótimos sobre a série, tanto que as notas dela por aí estão todas altas. Ela é boa, me lembrou um pouco de Mozart In The Jungle, pelo quesito ascensão de personagem. A história vai muito além do simples ballet, e por isso faz com que seja boa.

[divider size=”large”]

Jessica Jones (Netflix)  starstarstarstar

“Uma ex-heroína decide recomeçar a vida como detetive particular e, enquanto tenta superar seus próprios traumas, precisa parar um psicopata.” – Por mais que já tenha um review sobre ela, eu resolvi falar sobre o que achei do piloto. Bem, minha nota 4 foi só por causa do começo, o qual achei bem morno. Eu já estava esperando por isso, tendo em vista alguns episódios de Demolidor, mas achei que poderia ser mais eletrizante. A solução é ter fé e seguir em frente, ou seja, maratonar.

[divider size=”full”]

E isso foi o que ocorreu em novembro! Não tivemos nenhuma série ruim, porém foram as da Netflix que eu menos gostei. Segundo meu calendário, em dezembro não teremos nada novo, só que talvez role um Projeto Piloto especial com os melhores e piores do ano, o que acham?

Até lá.

Comentários

Escrito por:

Apaixonado por séries desde a primeira exibição de LOST na TV brasileira. Tudo começou com um blog sobre a saga Harry Potter e hoje administra grandes portais de notícias do entretenimento nerd.


Notícias relacionadas