Há muito tempo tempo atrás estudar sobre mitologia era algo remetente à escola, que tornava o estudo obrigatório e monótono, além de engessado aos enormes livros didáticos de história. Para nossa gratidão e felicidade, autores como Rick Riordan, Tolkien e Neil Gaiman resolveram abordar o assunto de maneira informal e acessível, criando contos fantásticos envolvendo as lendas e personagens da antiguidade e transformando-as em algo discutível entre conversas de amigos. Apesar de muitos contos terem se perdido através das época, visto que alguns datam do início do século XIII, existe um grande montante que sobreviveu aos efeitos do tempo e hoje circula entre prateleiras de livrarias e até mesmo em telas de cinema.

Estamos todos cansados de saber que quando o assunto é Mitologia Nórdica, Neil Gaiman é uma das grandes referências da atualidade – e de antes também. Após o enorme sucesso de “Deuses Americanos” nas livrarias e mais recentemente nas telas, o autor publicou uma espécie de guia para Deuses Nórdicos e suas histórias; e se você assim como eu já leu outras produções da mesma temática – como “Magnus Chase”, de Riordan -, certamente sua memória irá despertar para alguns nomes conhecidos. Quando pensamos nos feitos heróicos, atrapalhados e egocêntricos dos Deuses, diversas são as vertentes que cada uma segue dependendo do país ou do narrador que os contam, entretanto, tudo sempre retorna aos objetivos principais das divindades: poder, adoração e mais poder. Independente de quantos anos você tem, Gaiman nos convida a conhecer a fundo um pouco desses mitos, além de nos introduzir com palavras simples e claras, temas tão complexos quanto os nomes cheios de consoantes presentes nos mesmos.

“Às vezes intensos e sombrios, outras vezes divertidos e heróicos, os contos retratam tempos longínquos em que os feitos dos deuses eram contados ao redor da fogueira em noites frias e estreladas.Às vezes intensos e sombrios, outras vezes divertidos e heróicos, os contos retratam tempos longínquos em que os feitos dos deuses eram contados ao redor da fogueira em noites frias e estreladas.”

Mitologia Nórdica é um coligado de quinze das mais famosas histórias do universo que dá nome ao livro, explicando inclusive alguns fenômenos naturais – como terremotos – como consequências de grandes batalhas. A trama segue uma ordem cronológica: suas primeiras páginas abordam o começo da vida, a gênesis do mundo e de todos os seres que nele vivem; em seguida conhecemos mais um pouco sobre a Árvore do Mundo Yggdrasil (a que está presente na capa de Deuses Americanos) e seus efeitos para a história dos Deuses; a partir daí temos capítulos destinados individualmente a uma divindade – iniciando claro com Odin, seguido de Thor e seu martelo Mjölnir, o astuto e perverso Loki, além de seus filhos monstruosos, Freya e muitos outros. O último capítulo remete ao Ragnarök, ou o fim da era dos Deuses, marcado por diversos eventos catastróficos que culminam na submersão do mundo pela água. Gaiman ainda nos explica no começo do livro sobre sua paixão pelo assunto, descrevendo o que o levou a escrever a obra e como personagens conhecidos (Thor, Loki e Odin) podem não ser tudo aquilo que os filmes da Marvel nos proporcionam.

Mesmo sendo um livro relativamente pequeno quando comparado ao anterior, todo o crédito deve ser dado a Editora Intrínseca por sua publicação, uma vez que Mitologia Nórdica tem uma encadernação maravilhosa de capa dura, com textura e fonte em relevo que irão destacar ainda mais o imponente martelo Mjölnir. Apesar do tamanho, a obra apresenta um conteúdo de imensa importância para o entendimento daqueles interessados neste ramo da mitologia, introduzindo novos assuntos, relembrando outros e esclarecendo histórias mal contadas durante os anos. Basicamente, Gaiman criou o livro didático mais legal que poderia existir em todos os 9 mundos de Yggdrasil.

Caso esteja procurando uma história densa e complexa – como as típicas do autor -, esse não é o livro para você. Escrito de maneira superficial, Gaiman não busca uma trama entrelaçada com um final feliz que irá te surpreender, mas apenas traz para o papel as informações que coletou durante todos os anos. Da melhor possível, Mitologia Nórdica flui diante dos olhos e desperta uma fome de aprender ainda mais sobre o imenso universo que é a mitologia, independente de onde e de quem ela fale sobre.

Divulgação/Intrínseca

Comentários

Notícias relacionadas