Star Wars: Episódio 9 ganha data de estreia

Hoje, dia 25/04, a Walt Disney anunciou finalmente a data de estreia do próximo filme da saga Star Wars: Episode IX, que irá concluir a trilogia iniciada em Star Wars: O Despertar da Força.

A data de estreia será no dia 24 de Maio de 2019 e terá a direção de Colin Trevorrow (Jurassic World) e o elenco do filme continua com o trio de protagonistas Daisy Ridley, John Boyega e Oscar Isaac.

O próximo filme da saga, Star Wars: Os Últimos Jedi, estreia dia 14 de Dezembro de 2017 nos cinemas em todo o país.

Confira o trailer abaixo:

Primeiras Impressões | Deuses Americanos pode não agradar a todos os públicos

Deuses Americanos é sem sombra de dúvida um dos melhores livros sobre mitologia já escrito, como foi falado em nossa resenha no Ler é Bom, Vai ! A trama possui momentos perturbadores e bizarros descritos à perfeição por Neil Gaiman. Logo que foi divulgado que a história seria adaptada em uma série de TV, os fãs ficaram ao mesmo tempo felizes e receosos por algo que não atingisse as mesmas expectativas da leitura, principalmente por conta dos tais momentos singulares. Uma coisa podemos garantir: quanto a isso vocês não irão se decepcionar!

Assistimos os quatro primeiros episódios da série e as opiniões entre a equipe não poderiam ser as mais diversas. Quem leu o livro (quem vos escreve) gostou e se surpreendeu com a veracidade das cenas e detalhes descritos nas cenas. Por outro lado, quem não leu achou confuso e até mesmo monótono em alguns momentos onde o absurdo predomina. Logo nos primeiros 30 minutos temos a clássica cena onde a deusa Bilquis – a Rainha de Sabá na Bíblia -, ingere homens através de sua vagina para sua adoração, e os diretores não economizaram em detalhes. Essas e outras situações são muito bem retratadas e satisfazem o leitor fã da obra original de Gaiman.

O personagem de Shadow (Ricky Whitle) ainda não me conquistou, assim como sua inspiração demorou alguns capítulos para cair nas graças do público. Shadow é um homem complexo e mesmo após chegarmos ao final temos dúvida de suas origens e personalidades. Whitle parece perdido diante de tanto conteúdo e personagens igualmente complicados, porém que marcam presença – como o caso de Ian McShane no papel de Wednesday. Shane interpreta exatamente aquilo que imaginei para Wednesday, com suas piadas irônicas, sarcasmo e principalmente carisma de sobra. O jeito mafioso do ator encaixou perfeitamente no lado mulherengo e sombrio do Deus, mascarando a personalidade apática de Shadow.

Assim como no livro, não podemos reclamar do detalhamento e dos efeitos pra produção de Deuses Americanos, que utiliza de todos os recursos possíveis para trazer o espectador para dentro das cenas. Seja chuva de sangue ou um passeio psicodélico pela tecnologia, a qualidade da exibição está ao nível do roteiro original – excelente. É a fórmula perfeita para algo de sucesso, mas que talvez não seja atrativa para quem chegou agora. A história parece partir do princípio que você já leu o livro e está apenas vendo seu conteúdo exposto nas telas, não se esforçando para explicar melhor todo o rebuliço que está acontecendo. Ainda não sabemos o que vem por aí, mas a existência do episódio 4 já parece ser uma espécie de “localizador” para quem ainda não conhece a história de Laura (Emily Browning) e pode ter perdido o fio quando tudo foi revelado.

Independente do resultado, não há como negar que as expectativas para Deuses Americanos são as mais altas possíveis e vai depender de cada um serem positivas ou negativas. A série tem fotografia e feitos visuais incríveis e um elenco tão enigmático quanto os personagens que representam. Nos resta esperar para ver o rumo que a trama irá tomar a partir do episódio 4 e torcer para que o trabalho de Gaiman seja honrado com a qualidade que merece. Tudo agora está na mão da emissora responsável pelo programa, a Starz.

Assista ao primeiro trailer de Kingsman: O Círculo Dourado

A FOX liberou o tão aguardado trailer de Kingsman: O Círculo Dourado, sequência que promete ser tão frenética quanto seu primeiro filme.

Kingsman: Serviço Secreto introduziu o mundo a Kingsman – uma agência de inteligência independente, internacional operando no mais alto nível de discrição, cujo objetivo final é manter o mundo seguro. Em Kingsman: O Círculo Dourado, nossos heróis enfrentam um novo desafio. Quando seu quartel-general é destruído e o mundo é mantido como refém, sua jornada os leva à descoberta de uma organização de espionagem aliada nos EUA chamada Statesman, que remonta ao dia em que ambos foram fundados. Em uma nova aventura que testa a força e inteligência de seus agentes até o limite, essas duas organizações secretas de elite se unem para derrotar um inimigo comum implacável, a fim de salvar o mundo, algo que está se tornando um pouco um hábito para Eggsy.

Colin Firth, Julianne Moore, Taron Egerton, Mark Strong, Halle Berry with Sir Elton John, Channing Tatum e Jeff Bridges estão no elenco da continuação.

Novamente dirigido por Matthew Vaughn, Kingsman: O Círculo Dourado, estreia em 29 de setembro nos EUA.

Crítica | Guardiões da Galáxia Vol. 2 é a prova de que menos é mais

Guardiões da Galáxia foi uma enorme surpresa para os fãs do Universo Cinematográfico da Marvel e, além disso, para os amantes de cinema. James Gunn conseguiu apresentar um novo grupo de heróis em um roteiro bem elaborado que mescla humor, ação e um ótimo desenvolvimento de seus personagens. O diretor conseguiu perpetrar um trabalho que conquistou os fãs e que angariou em um contrato para mais dois filmes dos heróis espaciais. A sequência, titulada de Volume 2, tem a missão de superar (ou igualar) as expectativas dos fãs e de trazer novidades a mais nova franquia da Marvel Studios.

A história mostra a equipe atuando em missões em torno da galáxia após seis meses dos acontecimentos do primeiro filme. Em meio a viagens em torno do universo, Peter Quill (Chris Pratt) encontra seu pai, Ego (Kurt Russel) e começa a aprender sobre o seu passado, como também sobre seus genes alienígenas. Gamora (Zoe Saldana), Drax (Dave Bautista), Baby Groot (Vin Diesel) e Rocket Raccoon (Bradley Cooper) acompanham o Senhor das Estrelas em sua jornada pessoal, além de contarem também com a ajuda de Yondu Udonta (Michael Rooker), Nebulosa (Karen Gillian) e Mantis (Pom Klementieff).

James Gunn não só mantém a base do primeiro filme, como também a exagera. Algumas decisões do diretor para sua sequência desagradam, sendo que duas delas foram as que mais agradaram no seu filme de 2014: o humor e a trilha sonora. O filme perde a sutileza e originalidade, embora consiga trazer boas risadas pelo ótimo timing do elenco. O diretor encaixa piadas e sátiras em praticamente todas as cenas de sua trama; umas são realmente engraçadas e outras não chegam perto disso. Drax, outrora engraçado por não entender metáforas e manter-se sempre com uma postura séria, agora virou o principal alívio cômico. As músicas eram encaixadas de forma sutil e acompanhavam perfeitamente o que determinada sequência nos mostrava, mas em sua continuação elas são extremamente forçadas. Os personagens do filme pedem a todo o momento alguma música, mesmo que ela de nada sirva para a ocasião (na maioria das vezes). Em outros pontos da trama existem explicações da letra de uma determinada canção para a história, subestimando o espectador a interpretar e encaixá-la dentro do contexto do enredo, como no primeiro filme.

Apesar desses erros específicos, o contexto da história acerta em fechar arcos importantes que envolvem Peter Quil e seu parentesco desconhecido; Gamora e a relação com sua irmã, Nebulosa; Yondu e seus motivos obscuros para não ter entregado Peter ao seu pai. Todos esses pontos são bem desenvolvidos e alcançam a sensação de continuidade e de que os personagens estão em evolução. Outro elogio que a produção merece é quanto à fotografia e a coreografia das cenas de ação. É indubitável que Thor: Ragnarok pegou como inspiração o visual colorido e vivo de Guardiões da Galáxia, sem contar no enorme trabalho visual que Steve Dikto e Jack Kirby deixaram nos arquivos da Marvel. Alguns momentos do filme parecem ter sido retirados do visual psicodélico de Doutor Estranho (2016, Scott Derrickson), trazendo à tona que James Gunn não tem medo de fazer filmes que sejam baseados em quadrinhos. Pelo contrário, o diretor (também roteirista do filme) homenageia e faz referências a eles sempre que possível.

Guardiões da Galáxia Vol. 2 não tem a mesma urgência do seu antecessor, tampouco o mesmo peso. James Gunn nos conta uma história que não tem a devida grandiosidade para o momento em que o Universo Cinematográfico da Marvel está, sem contar a terrível sensação episódica, que ao contrário do recente Star Trek: Sem Fronteiras (2016, Justin Lin), não é nada boa. O diretor repete a estrutura narrativa do primeiro e exagera onde acertou, trazendo um bom filme de comédia ao público, mas que não leva a lugar algum; prova de que menos sempre é mais.

Observação: o filme possui mais de duas cenas pós-créditos, sendo que algumas estão entre os créditos e outras depois. Permaneça até o final.

Na Prateleira | Timecop – O Guardião do Tempo: A excelente adaptação dos quadrinhos estrelada por Van Damme

Na década de 90 poucas foram as histórias em quadrinhos adaptadas com êxito no cinema. A melhor, embora desconhecida é, Timecop – O Guardião do Tempo (1994), filme inspirado na HQ de Mark Verheiden e desenhada por Phil Hester e Chris Warner, que apareceu na antologia de quadrinhos Dark Horse Comics.

Misturando ação e ficção científica, o longa foi dirigido por Peter Hyams e tem como protagonista o astro belga Jean-Claude Van Damme, que realiza aqui sua melhor performance. Foi nesse filme que o ator demonstra ser mais do que músculos e porradaria, dando personalidade e profundidade em seu personagem.

Na trama, quando a viagem no tempo é aperfeiçoada e pode ser utilizada com segurança, os criminosos se aproveitam dessa tecnologia para cometerem novos delitos. Um novo tipo de policiamento é criado para garantir que a invenção não seja usada de maneira abusiva. O policial Max Walker (Jean-Claude Van Damme), que trabalha nessa divisão, descobre que o político corrupto McComb (Ron Silver) quer usar a viagem no tempo para se tornar presidente. A perseguição começa quando o senador descobre que o policial esta em seu encalço para desmascara-lo.

Van Damme consegue unir sua eficiência nas sequências de ação com uma performance dramática nunca antes vista. Max Walker precisa lidar diariamente com a perda da esposa (Mia Sara), sabendo que pode recupera-la a qualquer momento se viajar no tempo e mudar os fatos que levaram a morte dela. Mas, ele tem consciência que a tecnologia não pode ser usada para benefício próprio. À medida que suas investigações se aprofundam, ele começa a perceber uma teia de episódios interligados em sua vida e na data da morte da esposa.

O sucesso de Timecop foi tamanho que em 1995 ganhou um game para o Super Nintendo. Em 1997, a ABC encomendou uma série de TV, que durou apenas nove episódios. Contudo, a esperada sequência estrelada por Van Damme jamais aconteceu, mas em 2003 um filme para DVD foi lançado intitulado Timecop 2: The Berlin Decision, estrelado por Jason Scott Lee.

Timecop pode ser encontrado em DVD e Blu-ray nas melhores lojas. Um filme que merece que estar na prateleira.

Novos Mutantes, Deadpool 2 e X-Men: Fênix Negra ganham data de estreia!

A 20th Century Fox anunciou as datas de lançamento dos seus próximos filmes do universo mutante. Novos Mutantes, derivado dos X-Men, chega aos cinemas em 13 de abril de 2018. Deadpool 2 estreia em 1º de junho de 2018, enquanto X-Men: Fênix Negra estreia em 02 de novembro de 2018.

Josh Boone (A Culpa é das Estrelas) dirige Novos Mutantes, que vai mostrar uma nova geração dos filhos do átomo afiliados e treinados na Escola Xavier.

Deadpool 2 será dirigido por David Leitch (John Wick) e terá o retorno de Ryan Reynolds no papel de Wade Wilson e Josh Brolin no papel do Cable.

X-Men: Fênix Negra ainda não tem diretor confirmado, mas Bryan Singer deve seguir no comando. O título confirma a adaptação de uma das sagas mais conhecidas dos mutantes escrita por Chris Claremont em 1976.

Os quatro próximos filmes de Avatar tem suas datas confirmadas

A 20th Century Fox e Lightstorm Entertainment anunciaram hoje (22) via Facebook as datas de estreia dos quatro próximos filmes de Avatar, ficção científica de James Cameron.

“Ótimo por estar trabalhando com a melhor equipe! Avatar toma vôo enquanto começamos a produção simultânea em quatro sequências. A jornada continua em 18 de dezembro de 2020, 17 de dezembro de 2021, 20 de dezembro de 2024 e 19 de dezembro de 2025!”

Além do comunicado oficial, uma foto do diretor e da equipe de produção foi publicada. Veja abaixo!

Sam Worthington, Zoe Saldana, Stephen Lang e Sigourney Weaver estão de volta ao elenco de Avatar. As sequências foram escritas por Cameron junto com Rick Jaffa e Amanda Silver, Josh Friedman e Shane Salerno. Cameron vai dirigir os próximos quatro filmes.

Dwayne Johnson e Jason Statham vão estrelar derivado de Velozes e Furiosos

De acordo com o Deadline, a Universal Pictures está desenvolvendo um derivado da franquia Velozes e Furiosos. O longa terá a presença do Agente Luke Hobbs e Deckard Shaw, respectivos personagens de Dwayne Johnson e Jason Statham.

O roteirista da série, Chris Morgan, assinou contrato para escrever o derivado, que ainda está em estágio inicial.  Enquanto isso, Velozes e Furiosos 8 alcançou a incrível marca dos $685 milhões em seu segundo fim de semana.

Segundo o site, uma cena entre os dois personagens teria sido gravada para aparecer nos créditos finais do oitavo filme, mas foi removida pela Universal.

A Universal Pictures já confirmou a data de lançamentos dos próximos filmes da franquia.  Velozes e Furiosos 9 chega aos cinemas em 19 de abril de 2019, enquanto Velozes e Furiosos 10 tem estreia marcada para 02 de abril de 2021.

Crítica | Apesar da mesma fórmula, Velozes e Furiosos 8 surpreende e supera os anteriores

Miley Cyrus fez uma participação especial em Guardiões da Galáxia Vol. 2

Miley Cyrus fez uma importante participação em Guardiões da Galáxia Vol. 2. A confirmação partiu da repórter Sarah Ruhlman, que conversou com o diretor James Gunn e Kevin Feige, presidente da Marvel Studios.

No filme, Cyrus é a voz do Mainframe, uma versão alternativa do Visão e conhecida por ser uma integrante original dos Guardiões que evoluiu para se tornar o sistema operacional de um planeta.

A trama continua as aventuras da equipe, enquanto atravessam os confins do cosmos. Os Guardiões devem lutar para manter sua família recém-descoberta juntos, enquanto eles desvendam os mistérios da verdadeira paternidade de Peter Quill. Antigos inimigos se tornam novos aliados e personagens favoritos dos fãs dos quadrinhos clássicos virão ajudar os nossos heróis, enquanto o universo cinematográfico Marvel continua a se expandir.

Chris Pratt (Peter Quill/Senhor das Estrelas); Zoe Saldana (Gamora); Dave Bautista (Drax); Vin Diesel (voz do Groot); Bradley Cooper (voz do Rocket); Michael Rooker (Yondu); Karen Gillan (Nebula); e Sean Gunn (Kraglin) reprisam seus papeis. As novidades no elenco são Pom Klementieff (Oldboy), Elizabeth Debicki (Evereste), Chris Sullivan (da série The Knick) e Kurt Russell (Os 8 Odiados).

Guardiões da Galáxia Vol.2 estreia em 27 de abril no Brasil. A continuação é novamente dirigida e escrita por James Gunn.

FOX encomenda mais 10 novos episódios de Arquivo X

A FOX anunciou hoje que encomendou 10 episódios para a 11ª de Arquivo X (X-Files).

David DuchovnyGillian Anderson reprisarão seus papeis como os agentes do FBI Mulder e Scully, respectivamente. O criador da série Chris Carter, retornará como showrunner e produtor executivo.

As filmagens da nova temporada devem começar durante o verão americano e a estreia pode acontecer entre 2017 e 2018.

Arquivo X fez sua estreia em 1993 e ficou no ar até 2002, se tornando uma clássico do gênero sci-fi. Em 2016, a FOX decidiu retornar com a trama e encomendou seis episódios.

Carmen Sandiego está de volta na primeira imagem da série animada da Netflix

A Netflix divulgou a primeira imagem da nova série animada de Carmen Sandiego. Veja na galeria abaIxo!

Também foi divulgado que Finn Wolfhard (Stranger Things, IT) será a voz do Player,  principal cúmplice e amigo de Carmen.

Na próxima série de animação produzida por Houghton Mifflin Harcourt, Carmen Sandiego está de volta e pronta para uma nova safra de golpes internacionais repleto de emocionantes aventuras e intrigas. Esta releitura apresenta um olhar íntimo no passado de Carmen onde os espectadores não somente seguirão suas escapadas, mas aprenderão também que quem no mundo é Carmen Sandiego e porque se transformou em uma super ladra.

Gina Rodriguez (Jane the Virgin) vai dublar Carmen Sandiego na série, que recebeu uma encomenda de 20 episódios (22 minutos cada) da Netflix.

Carmen Sandiego foi a estrela de uma série de jogos educativos, onde ensinaram às crianças geografia e história, matemática e inglês. O personagem apareceu em livros e outros produtos também. Carmen é uma ladra e considera seus crimes como um jogo. Nos anos 90, a personagem ganhou uma série intitulada Where in the World is Carmen Sandiego?.

Duane Capizzi (The Batman) é co-produtor executivo e showrunner da série, com CJ Kettler (The Tick) servindo como produtor executivo. O design visual é de Kevin Dart (Peabody & Sherman) e Chromosphere, e o estúdio de animação DHX Media. A série animada estreia em 2019.

Krypton | Série prelúdio do Superman ganha primeiro trailer

A emissora Syfy divulgou o primeiro trailer de Krypton, série prelúdio do Superman. Veja no player abaixo!

A trama segue o avô de Superman – cuja Casa de El foi ostracizada e envergonhada – enquanto ele luta para resgatar a honra de sua família e salvar seu mundo amado do caos.

Cameron Cuffe vai interpretar Seg-El, avô do Superman. O elenco também inclui Georgina Campbell como Lyta Zod, parte da equipe militar de Krypton e filha do General Alura Zod. Os dois estão no meio de um relacionamento secreto e proibido.

Krypton é produzido por David S. Goyer (Homem de Aço, Batman vs Superman: A Origem da Justiça, trilogia O Cavaleiro das Trevas). Damian Kindler (Sleepy Hollow) servirá como produtor executivo e showrunner; Colm McCarthy (Peaky Blinders) dirige o episódio o piloto. Krypton tem a produção da Warner Horizon Television e é baseado em personagens criados por Jerry Siegel e Joe Shuster, publicado pela DC Comics. A série estreia ainda neste ano.

Veja a primeira imagem de Lady Gaga e Bradley Cooper no remake de Nasce uma Estrela

A Warner Bros. Pictures anunciou o início das filmagens do remake de Nasce uma Estrela (A Star is Born) com a primeira imagem dos protagonistas Bradley CooperStefani Germanotta, mais conhecida como a cantora Lady Gaga. Veja na galeria abaixo!

Na trama, Cooper interpreta Jackson Maine, uma estrela da música country que está à beira do declínio quando descobre uma talentoso desconhecida chamada Ally (Lady Gaga). Enquanto os dois iniciam um caso de amor, Jack convence Ally a buscar o estrelado. Mas como a carreira de Ally rapidamente apaga a sua, Jack acha cada vez mais difícil lidar com sua glória.

Esta será a quarta adaptação ao cinema da história. William Wellman dirigiu a primeira versão em 1937 estrelada por Fredrick March e Janet Gaynor. Depois, em 1954 com a direção de George Cukor, e Judy Garland e James Mason como protagonistas, e a última em 1976 com a direção de Frank Pierson, e Kris Kristofferson e Barbra Streisand nos papeis principais.

Nasce uma Estrela estreia em 28 de setembro de 2018. Bradley Cooper dirige e escreveu o roteiro em parceria com Will Fetters e Eric Roth, baseado na história de William A. WellmanRobert Carson.

Crítica | Vida: com um toque de Alien, suspense traz uma caçada espacial frenética

Imagine só que uma equipe de cientistas da Estação Espacial Internacional consegue uma amostra de vida obtida diretamente de Marte. A primeira prova concreta que há vida extraterrestre pode ser o sonho de qualquer astronauta, mas para a missão de Jake Gyllenhaal, Rebecca Ferguson e Ryan Reynolds, ficou mais parecido com um pesadelo sem fim.

O suspense de ficção científica prende o espectador em uma caçada sufocante dentro de um pequeno espaço, em que a cada momento, um de seus personagens está em perigo evidente. Calvin, como é nomeada a amostra, é muito mais inteligente do que se pensava, mas precisa de um hospedeiro para se alimentar e, como podemos perceber, está faminto.

Gyllenhaal é o discreto e introspectivo Dr. David Jordan, Ryan Reynolds interpreta o temperamental membro da tripulação Roy Adams, que é um bom amigo do cientista-chefe Dr. Hugh Derry, vivido por Ariyon Bakare. Rebecca Ferguson interpreta a médica supervisora Miranda Norte, Hiroyuki Sanada é o responsável pela comunicação Sho Murakami e Olga Dihovnichnaya é outra cientista, Ekaterina Golovkina.

Pode-se dizer que os roteiristas de Vida, Rhett Reese e Paul Wernick (conhecidos por Deadpool), parecem ter ficado fascinados pelo drama de ficção científica Gravidade de Alfonso Cuarón, com suas cenas de astronautas solitários balançando fora da nave espacial. Cenas de silenciosa tensão que em nada aliviam a corrida frenética dentro da estação.

Calvin cresce a um ritmo alarmante em sua placa de Petri, como uma pequena medusa de dois braços, inicialmente do tamanho de uma moeda. Em seguida, já maior e mais forte, agarra a pequena espátula com a qual o cientista Hugh Derry a está cutucando, com surpreendente hostilidade. E ele continua crescendo. E é claro, muitas coisas começam a dar errado.

Um dos problemas de Vida é que ao longo de todo o processo de crescimento da amostra, não se explica nada. Só vemos Calvin ganhar força, inteligência e tamanho sem saber como tudo isso aconteceu e à medida em quese torna cada vez maior e mais engenhoso, o filme parece estar sempre ecoando ao som de portas e escotilhas sendo fechadas, bem em tempo – ou tarde demais. E aí, torna-se aquele tipo de filme agitado, no qual se torce para que ao menos um personagem sobreviva e mesmo sabendo que Calvin é uma mistura de alien com anaconda, você mantém a esperança de que ao menos a Terra ficará segura.

Se durante toda a trama você não se sentiu desconfortável e ansioso pela tensão, a sequência final definitivamente vai te fazer pular da cadeira com uma surpresa que pode até sugerir que outro filme está por vir, afinal, a vida se renova e se adapta sempre. Estreia dia 20 de abril nos cinemas brasileiros.