Séries que estrearam em Novembro/2015

Que tal começarmos esse post falando sobre meu dom profético e o cancelamento de Wicked City? Pois é, ela foi a primeira baixa da Fall Season, e outras também estão no caminho do abismo, devendo ser canceladas em breve. Esse mês tivemos poucos pilotos, mas todos eles ficaram num nível bom para cima. Confira quais são eles e o que achei de cada um:

[divider size=”full”]

Master Of None (Netflix)  starstarstar

A vida pessoal e profissional do nova-iorquino Dev , um ator de 30 anos de idade.”  – Tudo que é da Netflix aparenta ser sempre ótima, mas não é tudo que  alcança isso não. MoN teve seus 10 episódios disponibilizados só que, como se trata de piloto, tenho que me basear somente no primeiro. Bem, a comédia que se tem na série não é das melhores, se não fosse pelo protagonista, Aziz Ansari (sim, o de Parks & Rec), eu teria parado na metade. O protagonista só quer ter a vida dele, mas tem medo de diversos fatores que pode encontrar pelo caminho, como ser pai. Os outros personagens não são tão memoráveis, tanto que já esqueci o nome deles enquanto escrevia aqui. O plot? Não é ruim. Vale a pena ver? Não sei, estou me baseando somente no piloto, mas acho que talvez valha.

[divider size=”large”]

Chicago Med (NBC)  starstarstarstar

“Um passeio emocional através do caos diário do hospital mais explosivo da cidade e pela equipe corajosa dos médicos que sempre se mantém unida. Eles enfrentarão novos casos únicos, inspirados por eventos da atualidade, criando relações eletrizantes no pandemônio que é a sala de emergência.” – É bem óbvio que isso é mais um spin-off de Chicago Fire, o qual também gerou Chicago PD. Não assisti nenhuma dessas duas, e confesso que iria ver essa por causa do Colin Donnel, mas acabou que gostei bastante. Realmente a maior parte dos casos nunca vi em outras séries do tema, o que deixa bem interessante. Ela só poderia ter mais correria ainda, como Code Black, mas é boa e vale a pena continuar. E, para quem vê Fire e PD, pode ter a certeza de que verá rostos conhecidos pelo Gaffney Chicago Medical Center.

https://www.youtube.com/watch?v=qXMKH6F3Qmo

[divider size=”large”]

Agent X (TNT)  starstarstarstar

Escondido da vista do público – e até do Presidente – existe um agente secreto que é treinado e pronto para sempre servir, mas apenas com o consentimento do vice-Presidente.” – A série começou bem, muito bem, as lutas que acompanham os seis primeiros minutos foram bem executadas e boas, porém a série falha com uma coisa: pequenos grandes erros técnicos – e eles são muito perceptíveis. Se tirarmos isso, realmente temos algo bom e com uma história boa, que dá para seguir um caminho bem longo. Se você gosta desse universo de espionagem, ação e suit&tie, Agent X é uma ótima aquisição.

[divider size=”large”]

Into The Badlands (AMC)  starstarstarstarstar

“Num futuro distópico, um poderoso guerreiro luta, juntamente com um garoto que salvou, contra os implacáveis barões feudais e tudo o que é controlado por eles.” – Um steampunk distópico com artes marciais e magia só pode dar coisa boa! A nova série da AMC teve a maior audiência em quesito piloto da Fall Season e já garantiu alguns fãs, sendo eu um deles. Mesmo tendo um roteiro meio previsível, ainda dá tempo de melhorar e a tornar mais incrível ainda! As cenas de luta, por exemplo, foram melhores que muitas que vi em filmes e em outras séries. Meu conselho para ela é: apenas assista.

[divider size=”large”]

Flesh and Bone (starz)  starstarstarstar

“Após se juntar em um companhia de dança em Nova York, Claire, uma talentosa bailarina, mas com problemas emocionais, logo se encontra no difícil – e muitas vezes cruel – mundo do ballet profissional.” – Ouvi comentários ótimos sobre a série, tanto que as notas dela por aí estão todas altas. Ela é boa, me lembrou um pouco de Mozart In The Jungle, pelo quesito ascensão de personagem. A história vai muito além do simples ballet, e por isso faz com que seja boa.

[divider size=”large”]

Jessica Jones (Netflix)  starstarstarstar

“Uma ex-heroína decide recomeçar a vida como detetive particular e, enquanto tenta superar seus próprios traumas, precisa parar um psicopata.” – Por mais que já tenha um review sobre ela, eu resolvi falar sobre o que achei do piloto. Bem, minha nota 4 foi só por causa do começo, o qual achei bem morno. Eu já estava esperando por isso, tendo em vista alguns episódios de Demolidor, mas achei que poderia ser mais eletrizante. A solução é ter fé e seguir em frente, ou seja, maratonar.

[divider size=”full”]

E isso foi o que ocorreu em novembro! Não tivemos nenhuma série ruim, porém foram as da Netflix que eu menos gostei. Segundo meu calendário, em dezembro não teremos nada novo, só que talvez role um Projeto Piloto especial com os melhores e piores do ano, o que acham?

Até lá.

Projeto Piloto | O que esperar da série Jessica Jones

Marvel’s Jessica Jones estreia no próximo dia 20 de novembro na Netflix, e tivemos a oportunidade de conferir os sete primeiros episódios da temporada enviados pelo serviço de streaming. Lembrando que o texto não possui spoilers, já que fomos orientados apenas a fazer uma pequena análise. Então, não se preocupem, o nosso texto completo estará disponível no dia 20.

Enfim, nos sete episódios iniciais, já fica claro que a intenção da Marvel é estabelecer na Netflix um cenário mais urbano, mais pesado, o que difere totalmente do universo do cinema e, até, de séries como Agents of SHIELD e Agent Carter.

O piloto é bastante eficiente e, para os fãs da HQ Alias, presta uma homenagem a Brian Michael Bendis, com algumas referências ao seu estilo de escrita. A roteirista e produtora Melissa Rosenberg (da série Dexter) foi a escolha certa para o programa, conseguindo trabalhar muito bem no desenvolvimento dos personagens.

Os episódios apresentam um humor sarcástico e com piadas bastante inteligentes com o universo dos quadrinhos (atenção, Nerds!). E sim, aquela cena polêmica tirada dos quadrinhos está lá.

Krysten Ritter apresenta uma Jessica Jones atormentada por erros do passado, o que a torna uma mulher longe de manter relações sociáveis,  até quando conhece o grandão Luke Cage (Mike Colter), que parece ter saído diretamente dos quadrinhos. Kilgrave é utilizado de maneira eficaz na série, e esperarem uma atuação não menos do que incrível de David Tennant (da série Doctor Who) no papel do vilão.

A cada episódio, Marvel’s Jessica Jones deixa uma interrogação sobre o que vai acontecer a seguir, obrigando que todos os episódios sejam vistos na sequência. Na contagem regressiva para assistir o restante da série no dia 20 de novembro.

 

Séries que estrearam em Outubro/2015

O segundo mês da Fall Season chegou, mas não com tudo. De comédias musicais até terror trash das antigas, tivemos vários temas diferentes. Confira quais foram os pilotos, e também o que achei de cada um deles.

[divider size=”full”]

Grandfathered (FOX)  starstarstar

“O solteirão Jimmy tem tudo o que sempre quis, um restaurante de sucesso, muita grana e mulheres em sua volta. Entretanto, sua vida começa a mudar um pouco quando ele descobre que, além de ser pai, também já é um avô” – Um ponto fraco meu, em qualquer série, é quando tem alguma temática de paternidade, e foi isso que me prendeu nessa série. Por mais que não seja uma comédia muito engraçada, o personagem principal me lembra um pouco o Barney de HIMYM, ou seja, continuarei assistindo.

https://www.youtube.com/watch?v=1V7u8Jdo63A

[divider size=”large”]

Code Black (CBS)  starstarstarstar

“Nesse novo drama médico, o Angels Memorial Hospital, em Los Angeles, é o Pronto Socorro mais movimentado do país. Um “Código Preto” ocorre quando há mais pacientes no hospital do que recursos, e é aí que você espera por um milagre, ou faz um.” – Acho que é meio difícil ter alguma série médica que seja ruim, elas sempre são de medianas para boas, e Code Black fica no quase boa. Acontece que é mostrado um plantão médico, mega corrido, ou seja, não há tempo quase para piscar – tanto eles, quanto a gente – pois dá pra se perder fácil. O piloto foi bom, mesmo tendo visto as mesmas situações em algumas outras séries (com doze temporadas de Grey’s, fica meio difícil algo novo). Para quem acompanhou e/ou está com saudade de E.R, garanto que essa nova série não irá decepcionar.

[divider size=”large”]

Dr. Ken (ABC)  starstarstar

“Um frustrado doutor adora manipular sua carreira, casamento e família.” – Sabe aquela série Guilty Pleasure? Que é bem ruinzinha, mas dá pra rir bastante com os clichês? Então….

[divider size=”large”]

The Grinder (FOX)  star

“Dean Sanderson é um um adorado advogado de TV. Quando sua série chega ao fim, após longos anos, ele se encontra em uma encruzilhada na vida e decide voltar para sua pequena cidade natal, pensando que ele tem a experiência para assumir o escritório de advocacia de sua família.” – Por mais que seja algo diferente e tenha uma ideia não clichê, apenas não dá para acompanhar e nem falar sobre ela. Sorry.

https://www.youtube.com/watch?v=9mybEO-Hb0Y

[divider size=”large”]

Crazy Ex-Girlfriend (CW)  starstar

Uma mulher abandona, não só o emprego ótimo em um escritório de advocacia, mas também sua vida de luxo em Nova York, em uma tentativa de encontrar o amor e a felicidade West Covina, Califórnia.” –  Eu já falei, em postagens anteriores, que não gosto de comédias com 40 minutos, acho que elas perdem a graça, deixando muito cansativo, e essa série falha com isso. Além de ter toda essa duração, ela também é um musical – não que eu não goste, bem pelo contrário, eu gosto muito disso. A protagonista até que é legal e engraçada, várias vezes me vi nela, com toda a parada de stalker e flop que ela tem. Por ser uma série CW, também já vemos, claramente, o triangulo amoroso da vez. Por fim, não foi o pior piloto dessa season, mas tá longe de ser a melhor.

https://www.youtube.com/watch?v=-ctFmXGm_yE

[divider size=”large”]

The Last Kingdom (BBC TWO)  starstarstar

O ano é 872, e muitos dos reinos separados, o que nós conhecemos como Inglaterra, foram domados por dinamarqueses invasores, deixando o grande reino de Wessex, que está sozinho e desafiador, sob o comando do rei Alfred. Neste contexto turbulento vive o nosso herói , Uhtred. Filho de um nobre saxão, ele é capturado pelos dinamarqueses e cresce como um dos seus próprios. Forçado a escolher entre o país de seu nascimento e as pessoas que o criaram, suas lealdades são sempre testadas. Em uma busca para recuperar seus direitos de primogenitura, Uhtred deve trilhar um caminho perigoso entre ambos os lados, desempenhando o seu papel no nascimento de uma nova nação e, finalmente, recuperar suas terras ancestrais.” – Cheguei a ler, um pouco antes de ver o piloto, que era “o verdadeiro Game Of Thrones”, e eu concordo. O piloto foi mais para apresentar o começo de tudo, juntamente com a infância do protagonista, mostrando sua vida adolescente/adulta só nos dez minutos finais. A série tem uns erros de roteiros e de sequência, mas talvez dê para acompanhá-la.

[divider size=”large”]

Truth Be Told (NBC)  starstar

“A comédia fala sobre a vida de dois casais que analisam tudo o que acontece em suas vidas.” – Prevejo que será uma das primeiras que NBC irá cancelar, tendo em vista que ela passa nas noites de sexta-feira. Ela não é ruim, porém não é necessária. Os personagens até são cômicos e diferentes, mas a “história” da série não prende em nada.

https://www.youtube.com/watch?v=32Giv-osN6c

[divider size=”large”]

Wicked City (ABC)  starstarstar

“Uma antologia onde cada temporada irá abordar sobre assassinos em série em L.A. A primeira temporada se passa em 1982, com um cenário “Sex, Drugs & Rock n’ Roll” na Sunset Strip. Alianças com diversos tipos de pessoas serão formadas, para que os detetives cheguem até o assassino” – Primeiro erro da ABC nessa Fall Season. A série até tem um clima legal, mesmo que esteja seguindo o estilo “Prenda-me se for capaz”. Creio que não passe dessa primeira temporada, tirando, totalmente, a “antologia” que haviam dito. É boa para assistir? É! Porém apenas não se aprendam nela, pois o Caminhão do Cancelamento deve recolher em breve.

https://www.youtube.com/watch?v=h4Iz3hwOh08

[divider size=”large”]

Ash vs Evil Dead (starz)  starstar

Ash passou os últimos 30 anos evitando a responsabilidade , maturidade e os terrores de Evil Dead, até que uma praga Deadite ameaça destruir toda a humanidade e Ash se torna a única esperança de todos.” – First things first: para quem é achando que é sobre Evil Dead (A Morte do Demônio) lançado em 2013, já aviso que está achando errado, pois a série é a continuação da triologia de 1981. Isso já me leva a outro ponto, pois nunca cheguei a ver esses filmes, e por isso digo que não gostei. Ela tem toda uma temática terror trash, onde as coisas toscas são propositais, porém não é aquilo que te faz mijar de rir – tirando uma ou outra cena, como a da boneca. Faltou apresentar um pouco os personagens, principalmente a policial que terá grande papel na série. Os mais velhos e/ou fãs dos filmes vão adorar (tanto que a série já foi renovada), mas, sinceramente falando, só ganhou duas estrelas pelo meu amor ao trash.

https://www.youtube.com/watch?v=unnLg1TPCYM

[divider size=”full”]

Sem nenhum cancelamento, ainda, essas foram os pilotos de Outubro. Por um pequeno milagre, não tivemos nenhuma estreia de investigação, e as comédias lideraram a TV. Talvez tenham sentido falta de Supergirl, mas a série já tem um Projeto Piloto, e você pode conferir aqui. Mês de Novembro temos poucos lançamentos, mas, entre eles, teremos a tão esperada Jessica Jones. Até mês que vem!

Séries que estrearam em Setembro/2015

Enfim chegou a Fall Season, período no qual a maioria das séries que assistimos estão voltando para uma nova temporada, e também período de séries novas, muitas séries. Mês de Setembro teve tanta série que, para não ficar muito grande o post, tive que deixar algumas de lado – mas elas entraram no post do mês que vem. De crime clichê até comédia “das antigas” , eis aqui grande parte das estreias.

[divider size=”full”]

Limitless (CBS)  starstarstarstar

“Após ingerir uma misteriosa droga, Brian Sinclar ganha a habilidade de usar toda a sua capacidade cerebral, fazendo com que mude a forma de ver as coisas e também sendo útil para o FBI.” – A série segue aquela velho plot do “tenha poderes ou habilidades e ajude a polícia a decifrar casos difícies”, como já visto em Forever, Blindspot, Chuck e etc., mas tem uma temática boa. Ela é mais uma série adaptada de filme, recebendo até o mesmo nome (aqui no Brasil, o filme chegou com o nome Sem Limites em 2011), seguindo a mesma linha da droga que permite acessar toda a capacidade do cérebro toda vez que ingerida. O elenco da série vêm de várias outras séries de investigação, como CSY, Dexter e Law&Order, tendo direito até a Bradley Cooper.

[divider size=”large”]

The Bastard Executioner (FX)  starstar

“Wilkin Brattle, um cavaleiro a cargo do Rei Edward I, troca sua espada por uma vida pacífica como agricultor. Até que a violência de seu passado o encontra novamente, obrigando-o a exercer o cargo mais sangrento de todos.” – Infelizmente, apenas mais uma série medieval, tendo tudo do mesmo de sempre: sangue, espadas, traição, sexo e um camponês bonitão que é um guerreiro forte. A história é bem confusa na maior parte do piloto (o qual é duplo) e não dá para saber onde eles querem chegar direito com a série.

[divider size=”large”]

Scream Queens (FOX)  starstarstar

“Vinte anos após um crime dentro da fraternidade Kappa House, uma série de assassinatos começam a ocorrer, amedrontando não só as novas moradoras da casa, como também todos da Universidade Wallace.” – Scream Queens foi uma das mais esperada estreias desse ano, talvez seja pelo elenco conhecido ou até mesmo pelo gênero que tem, mas ela não é essa coca-cola toda. Ela é daquelas comédias trashs, com personagens engraçados e ridículos e cenas bem idiotas. É um “Todo Mundo Em Pânico” moderninho, porém menos engraçado.

https://www.youtube.com/watch?v=-FtenR69qmk

[divider size=”large”]

Heroes Reborn (NBC)  starstarstar

“Após um ataque terrorista dizimar a cidade de Odessa, no Texas, culpando os EVO’s restantes passam a se esconder e/ou fugir daqueles que os querem extintos.” – Infelizmente, eles não conseguiram fazer algo agradável. Criei muita expectativas para o retorno de Heroes, pois foi uma série que gostei muito, mesmo ela tendo ficado bem ruim conforme as temporadas iam sendo exibidas. Eles erraram em colocar muitas informações para um piloto, sem mesmo dar uma “refrescada” na memória de quem assistiu, causando também desconforto para quem nunca assistiu e não chegou a conhecer os personagens e histórias antigas. Os efeitos especiais, que poderiam ser muito bons, estão ao estilo paint, deixando algo mais para Caminhos do Coração do que para Heroes. Burrice será a minha, que continuarei assistindo mesmo sabendo disso tudo.

https://www.youtube.com/watch?v=4FLHB2zB_cA

[divider size=”large”]

The Player (NBC)  starstar

“Um agente de operações especiais que se tornou um especialista em segurança, não consegue capturar o assassino de sua ex-esposa. Em busca de justiça, o caminho dele cruza com o de uma organização de elite obscura, chamada House, cujos membros apostam se ele pode ou não evitar crimes futuros.” – Espero, realmente, que seja a última série de “pré-crime”. Embora seja legal esse negócio de apostas, a série cai na mesmice. Dentre as que estão fazendo parte da Fall Season, ainda fico com Limitless quando o quesito é mistério/ação/policial.

[divider size=”large”]

The Muppets (ABC)  starstarstarstar

“Os adoráveis fantoches de nossa infância voltam para a TV nessa série de estilo mockumentary, seguindo a vida pessoal e profissional de cada personagem” – Eu sempre amei os Muppets – tanto que tenho um Caco (ou Kermit, mas eu prefiro o primeiro mesmo) de pelúcia até hoje – e, uma série com eles, me trouxe boas lembranças. Ela tem uma comédia mais adulta, como se tivesse o foco mais para esse público do que para crianças, mas não chega a ser algo forte. Não sei onde os produtores pretendem chegar com uma série assim, mas enquanto estiver ativa, eu irei acompanhar.

[divider size=”large”]

Life In Pieces (CBS)  starstarstarstar

“Uma comédia sobre o dia-a-dia de uma família, narrada por diferentes membro, formando histórias separadas em um único episódio.” – Tem uma pegada meio Modern Family, devido ao fato das diferentes narrações e alguns plots em um episódio só, mas, para uma série que tem apenas vinte minutos, vale a pena acompanhar. Tem uma história legal e cômica, e cada membro tem uma personalidade própria, se diferenciando das outras séries com o mesmo estilo.

[divider size=”large”]

Quantico (ABC)  starstarstarstarstar

“Um olhar sobra vida e o treinamento de jovens recrutados pelo FBI na base Quantico, em Virginia.” – Talvez o melhor piloto desse mês, na minha opinião. O episódio é bom em todos os sentidos, desde o elenco até o formato de como as coisas vão se passando, no caso temos cenas do presente, junto com cenas do passado – onde mostra o treinamento deles na base. Espero que a ABC aposte bem nessa série, para que possamos ter, pelo menos, um final adequado e excelente.

https://www.youtube.com/watch?v=iRnFFinkCFA

[divider size=”large”]

Blood & Oil (ABC)  starstarstarstarstar

“Um jovem casal, buscando enriquecer para pagar dívidas milionárias, se muda para Rock Springs, na Dakota do Norte, uma região que começou a prosperar depois da maior descoberta de petróleo já feita na história do país. Assim que chegam, percebem que, para chegar ao petróleo, terão que começar pela lama. Confrontados por um magnata implacável, eles apostam alto e arriscam tudo, incluindo o casamento.” – Quando penso que iria sentir falta de Revenge, o nosso novelão favorito, a ABC nos presenteia com isso. Para quem gosta desse tipo de série, Blood & Oil é uma ótima aquisição para a grade, pois tem tudo o que Revenge tinha, desde traições até festas milionárias. Os atores são ótimos, e a história, apesar de um pouco clichê e óbvia, tem tudo para levar para umas duas ou três temporadas. Ela fica em segundo lugar de melhores pilotos da Fall Season, perdendo só para Quantico.

[divider size=”full”]

Tive algumas decepções nesse mês, como, por exemplo, Scream Queens, achei uma comédia trash – o que já tava na cara, porém bem forçado, e a atuação deixa a desejar também. A série Hand Of God, da Amazon.Com, já teve todos os episódios disponibilizados e, por isso, tentarei fazer um Projeto Piloto separado. E, por fim, para aqueles que gostam de Neil Patrick Harris, recomendo assistir Best Time Ever, que é tipo um Programa Do Silvio Santos, só que com o Neil.

É isso, caso queira saber de séries que estrearam nos meses passados, basta clicar aqui.

Séries que estrearam em Agosto/2015

Agosto chegou finalizando a Summer Season, foram poucas as séries estreantes desse mês, nos dando direito também a alguns pilotos vazados, mas mesmo assim não deixei de assistir e vim aqui compartilhar minhas palavras. Quem acompanha as matérias, já sabe o fluxo: pequeno resumo da série, minha opinião/reação/crítica e a nota para o piloto. E, caso não tenha visto nenhuma das matérias, basta acessar aqui para conferira as estreias de Junho e de Julho.

[divider size=”full”]

Significant Mother (CW)  starstarstar

“Em Significant Mother, Nate, que está erguendo um Restaurateur em Portland, tem o mundo virado de cabeça para baixo quando descobre que seu melhor amigo (e colega de quarto) está ficando com sua mãe recém divorciada.” – Uma comédia da CW, será que rola? O episódio foi mais ou menos, pois leva o clichê que quase toda série da CW tem, até dá pra rir de algumas cenas, mas fica aquela série bem passatempo, que você só assiste quando não há nada para fazer. Por mais que a série tenha o “Mother” no título, to vendo que a história será mais centrada na amizade dos personagens e na paixão platônica do principal.

https://www.youtube.com/watch?v=9FHXiKYxdbc

[divider size=”large”]

Lucifer (FOX)  starstarstarstarstar

Cansado de viver no inferno, Lucifer resolve subir ao plano terrestre e viver a vida em Los Angeles, sendo dono de um clube noturno e aproveitando as luxúrias que o mundo o proporciona” – Estamos falando de um piloto vazado. E esse piloto vazado foi muito bom!!! A série não tem data definitiva ainda (parece que só em 2016), mas o piloto compensou muito. Curti o ator, curti a história, e já quero tudo em minha mesa o mais rápido possível.

[divider size=”large”]

Mr Robinson (NBC)  starstar

“A história acompanha a vida de Craig, um músico com comportamento rude que tenta se ajustar ao seu novo emprego: um professor de música de uma escola de classe média, onde ele precisa lidar com a política do local, crianças precoces e mães solteiras.”  – Vocês sabem o significado da NBC né? Caso não, NBC é abreviação de Não é Boa? Cancela – e é isso que eu vejo para essa série. Eu pensei que ela teria um estilo mais Glee, mas é só mais uma comédia pobre que dá pra ser substituída por outras.

https://www.youtube.com/watch?v=Z4McvrP_7js

[divider size=”large”]

Kevin From Work (ABC Family) starstar

“Comédia que mostra um jovem que declara seu amor através de uma carta para sua colega de trabalho, acreditando que nunca mais a verá novamente — ele arrumou um trabalho no exterior. No entanto, a oportunidade acaba indo por água abaixo, forçando Kevin a retornar ao antigo emprego.” – ABC Family e suas falhas. A série tem cara de que será cancelada logo, não vi tanto potencial e os personagens são bem clichês. Sobre ela ser do gênero de comédia, ficou faltando só uma coisa: comédia.

[divider size=”large”]

Blindspot (NBC)  starstarstarstar

Uma mulher é encontrada, dentro de uma mala, na Times Square. Com tatuagens misteriosas e complexas pelo corpo, ela não sabe quem é e nem como chegou ali.”  – Esse foi mais um piloto vazado e, novamente, um piloto bom, até porque tem Greg Berlanti na produção. A série tem como principal a [suspiro apaixonante] Jaimie Alexander, a maravilha Lady Sif de Thor, e só isso já basta. Provavelmente será uma série com muita ação, muita mesmo, e tem potencial. Mas vamos lembrar que é NBC, então melhor não se apegar pois pode ser cancelada mesmo todos amando.

[divider size=”large”]

Minority Report (FOX)  starstarstarstar

“Dez anos após o final do Pré-Crime em Washington DC, um dos três PreCogs tenta levar uma vida normal, enquanto ainda sofre com visões do futuro.” – Novamente, mais um episódio da FOX que foi vazado e, também, bom. Achei parecida com Blindspot, porém chega a ser mais original tendo em vista que o filme é mais antigo. Falando no filme, não é extremamente necessário assisti-lo antes da série, pois ela explica um pouco no começo o que aconteceu e tudo mais. Me falaram que não teria audiência, mas acho que tem potencial sim para seguir em frente, já que atores são bons e a história legal.

https://www.youtube.com/watch?v=_fLl-DMzxrk

[divider size=”large”]

Fear The Walking Dead (AMC)  starstarstarstar

Spin-off de The Walking Dead que se passa em Los Angeles, o qual acompanha novos personagens e como eles enfrentam o início do apocalipse zumbi” –  Bem, eu fui fã até um ponto de TWD e depois resolvi parar pois, além de vários personagens que gosto morrerem, achava a série um pouco tediosa. Assim é Fear The Walking Dead, tediosa. Temos pouquíssima ação – o qual tudo bem, tendo em vista que é o início de tudo – porém, poderia ter algo a mais. Achei os personagens fracos e não me apeguei a nenhum ainda, mas darei uma chance e tentarei ir até o fim.

[divider size=”large”]

Blunt Talk (Starz)  starstarstar

“Um apresentador britânico se muda para L.A, levando com ele suas tendências alcoólicas e vários casamentos fracassados, para ter seu próprio talk show” – Assim como Ballers e The Brink, Blunt Talk tem um ator de peso no elenco principal: Patrick Stewart. O piloto não me agradou muito, achei tudo bem mais ou menos, salvando só a atuação do Patrick. Tem um humor um pouco forçado, mas que chega a tirar umas risadas. Tentarei acompanhar mais alguns episódios, para ver se vale a pena ou não continuar com ela.

[divider size=”full”]

Essa foi a nossa Summer Season, galera. Claro que não tem tudo que foi estreado aqui, algumas porque não achei, outras porque foram tão péssimas que nem perdi tempo escrevendo (mas eu assisti) e outras que estão em matérias separadas. Tivemos várias séries boas com renovações garantidas, mas também tivemos alguns cancelamentos, como The Astronaut Wives Club e Complications, que mesmo sendo boas, provavelmente não tiverem público. A vida é assim mesmo, não nos perdoa nem nas séries que assistimos (não superei Forever ainda – #RIP).

O mês de setembro já começa como Fall Season que, juntamente com a volta de várias séries, teremos um mar de estreias, ou seja, mais Projeto Piloto para vocês – talvez alguns até especiais. Então, até mais!

Projeto Piloto | Filhos da Guerra

Já vimos, por aí, diversos filmes e séries sobre a II Guerra Mundial, sejam elas histórias reais, fictícias ou até mesmo paralelas. Fomos ao Rio de Janeiro essa semana, como convidados da Rede Globo, para assistir antecipadamente o piloto de Filhos Da Guerra, a nova aposta da emissora para as madrugadas, e trazer nossa opinião para vocês, nossos leitores.

A minissérie se ambienta em uma Alemanha nazista na sua busca de expansão territorial pela Rússia, no ano de 1941, e acompanha um pouco da vida de cinco amigos de infância que, em meio à serviços pelo país, se separam com a promessa de que irão se encontrar novamente. Dentro desse círculo de amigos há dois irmãos que estão numa mesma unidade e em frente a batalha, ou seja, combatentes de guerra. Temos o irmão mais velho que é um tenente (o que narra a história) e, o caçula, um simples soldado que está ali por obrigação, tendo em vista que era guerrear e ser morto ou não guerrear e ser morto – nossas aulas de História na escola já retrataram a rigorosidade da época e, portanto, sabemos como funcionavam as coisas no Nazismo.

A maior parte do piloto tem o foco nesses dois personagens, onde o irmão mais velho, Wilhelm (Volker Bruch), usa sempre sua patente para proteger o mais novo, Friedhelm (Tom Schilling), que tem algumas atitudes nada agradáveis, fazendo com que o mais velho tenha vergonha – mesmo não demonstrando, do caçula. É nesse cenário, também, que temos as cenas mais fortes e frases de peso, como quando Wilhelm diz ao seu superior que isso tudo é apenas uma guerra, e o mesmo responde “Essa não é uma guerra normal, mas sim uma ideologia” – retratando muito bem as intenções de Hitler.

Filhos da Guerra - Divulgação (5)

Para ser mais realista, os produtores usufruíram um pouco de imagens reais (gravadas na época da guerra) junto com o cenário montado para as filmagens. Toda a parte de tiroteio, de combate, são bem realistas para uma minissérie e o “clima” entre os combatentes chega a ser bem tenso, principalmente entre os alemães patriotas e Friedhelm.

Após o piloto, resolvi me aprofundar na minissérie, indo atrás, principalmente, das grandes críticas. Uma delas foi que “eles queriam apresentar os alemães mais como vítimas dos efeitos da guerra do que como responsáveis por ela”, mas eu não concordo com isso, pois toda história tem dois lados e nem todos querem participar dela. Eu iria ficar feliz se conseguisse achar pessoas que estiveram lá, alemãs ou não, para contar a experiência, pois, assim como o irmão mais novo, certeza que haviam muitos que não queriam guerrear.

Nos resta, agora, aguardar a exibição na Globo, que será feita todas as madrugadas, após o Programa do Jô, de segunda-feira, dia 31/08, até sexta-feira, dia 04/09. Provavelmente irá ficar disponível no Globosat Play, onde poderemos ter o formato de áudio original, que é em alemão.

Séries que estrearam em Julho/2015

Mais um mês que chegou e se foi, trazendo com ele vários outros pilotos e novas séries. A Summer Season desse ano tá com tudo, com muitas séries novas (coitado de mim na Fall Season) e boas! Eis que vamos para o Projeto Piloto de julho, onde teremos as estreias do mês de junho que não foram pro post passado (confira aqui) e também as desse mês. O esquema é o mesmo: pequeno resumo da série, minha opinião/reação/crítica e a nota final para o piloto.

[divider size=”full”]

Secrets And Wives (Bravo)  star

Todo mundo tem segredos, exceto este grupo de amigas e rivais muito ricas que sabem tudo sobre o outra. Entretanto, isso é apenas o começo do drama para este grupo emaranhado, de transições que mudam a vida até fracassos matrimoniais” – Não é ruim, eu só preferia apanha da minha mãe do que ter que rever isso. Essa é teve a estreia em junho e ainda não sei como está no ar e/ou foi cancelada, eu realmente passo essa série.

[divider size=”large”]

Becoming Us (ABC Family)  starstarstar

“Um drama improvisado ue mostra a história de Ben, um adolescente cujo o pai passa por uma mudança de sexo, se tornando uma mulher transgênera. A série seguirá Ben, sua família e seus amigos, mostrando como eles apoiam um ao outro através desta viagem inesperada, navegando num novo mundo, onde Charlie agora vive como Carly.” – O tema da série trata de um tabu que está na sociedade e tem uma premissa boa também, porém o formato que ela é gravada não me agradou muito (meio reality-show / documentário). Se vale a pena assistir? Depende só de você.

[divider size=”large”]

Odd Mom Out (Bravo)  starstar

“No mundo fantasticamente ultrajante das Mãezillas ultra-ricas da parte nobre de NY encontra-se Jill, uma mulher que vive com o marido Andy e os três filhos, e que tenta se manter fiel aos seus sonhos e personalidade.” – Achei uma comédia muito forçada e com muito clichê, e, parar piorar a situação, a série ainda tem 40 minutos!!!! Parece que a Bravo fez muitas escolhas erradas e vai ter um grande espaço para novas programações…

[divider size=”large”]

Another Period (Comedy Central)  starstarstarstar

“Passada em 1902, a história apresenta a vida dos Bellacourts, uma família importante que vive em Newport. Lillian e Beatrice são as filhas do prefeito de Newport que só se preocupam com a aparência, festas e fama.” – Se tornou meu guilty pleasure! A série é muito tosca, porém as piadas, as situações e as cenas são de sair mijado de tanto rir. Adorei as filhas e como tudo é muito louco, inclusive os empregados da casa que são os que mais roubam as cenas.

[divider size=”large”]

Scream (MTV)  starstarstarstarstar

“O que começa com um vídeo do YouTube logo se torna viral e leva problemas para os adolescentes de Lakewood, servindo como catalisador para um assassinato e trazendo a tona o passado violento da cidade.” –  A tão falada série baseada num dos filmes thrillers de terror mais aclamado do cinema estreou e trouxe opiniões diversificadas. Por ser da MTV, tem toda uma pegada adolescente e moderna, citando desde o próprio filme até séries de emissoras diferentes, como se situasse no nosso cotidiano e passasse numa cidadadezinha qualquer. Não há o suspense tenso (quase um terror) como nos filmes, mas dá pra prender a respiração em algumas cenas sim. Logo de cara você já começa a suspeitar de alguns personagens e descartar outros que podem ser o tão famoso mascarado.

https://www.youtube.com/watch?v=2zDydMGoUkY

[divider size=”large”]

Zoo (CBS)  starstarstarstar

Um jovem cientista pesquisa para descobrir o que está causando uma violenta onda de ataques animais contra os humanos no mundo inteiro.” – Fãs do escritor James Patterson podem reconhecer esse título, e sim, é baseado no livro dele (mesmo a obra ainda não chegando ao Brasil). É muito interessante uma história de animais se revoltando contra o mundo, querendo o que é deles de volta (amava quando Globo Repórter falava disso) e a série, mesmo tendo algumas cenas entediantes, é uma coisa totalmente nova e que eu nunca vi. Com algumas cenas de tirar o fôlego, tem cara de que pode ir pra frente. PS: Após assistir, pense duas vezes sobre deixar seu animal de estimação dormir com você.

[divider size=”large”]

Impastor (TV Land)  starstarstarstarstar

Buddy Dobbs é um preguiçoso agiota e golpista, que rouba a identidade de um homem e acaba numa pequena cidade onde se finge de pastor gay para poder fugir de pessoas e dívidas que deixou para trás.” – TV Land está surpreendendo este ano! Primeiro tivemos Younger com a Hillary Duff e agora temos uma outra comédia com nosso eterno Lex Luthor, Michael Rosenbaum. Vai demorar um pouco para eu me acostumar com ele de cabelo, mas que essa série tenha muitas e muitas temporadas pois é comédia das boas! Tem todo um elenco legal e bem humorado, mas Michael sempre ira roubar as cenas simplesmente por ser Michael! Pode até algumas partes de roteiro bem clichês, mas, dentre as comédias estreadas até agora, essa ficou como minha favorita.

[divider size=”large”]

Sex&Drugs&Rock&Roll (FX)  starstarstarstar

“Um ex integrante meia-idade de uma banda de Rock que deseja – desesperadamente – voltar a ser rico e famoso, mas, por enquanto, é somente um zero à esquerda.” – É uma série passatempo, ao meu ver. Gostei do piloto e não deixa a desejar nada, tem várias referências aos astros da música (até alguns aparecendo, como Dave Grohl) e provavelmente terá vários números musicais (diferentes de Glee, óbvio) pela frente. Como já está no título, se prepare para muita dirty things e não veja com seus pais na sala (ou veja, já que provavelmente viveram na Era Rock’n Roll).

https://www.youtube.com/watch?v=5m22nJT6_7E

[divider size=”large”]

Tut (SPIKE)  starstarstar

Explora o drama de poder, guerra e assassinato. Narrando a ascensão do rei Tut a glória, os seus esforços para governar um império caótico e o enigma em torno de sua morte.” – É quase um Game Of Thrones, só que egípcio. A minissérie tem só três episódios (todos já exibidos) e também já foi cancelada. Ela é até assistível, mas parece mais um filme devido a duração, cerca de 90 minutos cada episódio. Se você é fã de mitologia, assim como eu, recomendo assistir quando tiver um tempinho livre, caso contrário, melhor deixar pra lá.

[divider size=”large”]

Wet Hot American Summer: First Day Of Camp (Netflix)  starstarstar

Siga os conselheiros e os campistas em seu primeiro dia no Acampamento Firewood no verão de 1981.” – É uma comédia trash, igual ao filme de 2001. Não é necessário ter assistido o filme, porém bastante piadas são tiradas/referentes ao longa. Talvez não seja uma das melhores coisas que Netflix produziu, mas vale a pena tentar.

 

[divider size=”full”]

Essas são todas as séries desses dois meses que se passaram. Agora em agosto teremos a tão aguardada Fear The Walking Dead junto com algumas outras e, logo depois, começamos a Fall Season com novas estreias e a volta das nossas queridas séries. Estão preparados para mais um mergulho nesse mundo de séries? Bote seus pés de patos, sua touquinha e se jogue!

Séries Que Estrearam em Junho/2015

Mais uma Summer Season chega trazendo um nova leva de séries que irão nos prender, que iremos apaixonar, umas que odiaremos, outras que iremos dizer vários “WOW” e, também, as quais iremos torcer para que o Caminhão do Cancelamento passe e recolha. Seguindo a ordem cronológica de estreia e assistindo (quase todas) uma a uma, resolvi juntar os pilotos que começaram nesse mês de junho num post só,  onde teremos um pequeno resumo da série, seguida de minha opinião/reação/crítica sobre o piloto e também o tanto de estrelas que eu acho que ela mereça (numa escala de 1 a 5).

[divider size=”full”]

UnReal (Lifetime)  starstarstarstar

“Um olhar por trás do palco, nos mostra o caos em torno da produção de um programa de competição de namoro” – Imagine você vendo tudo que acontece nos bastidores de The Bachelor, é praticamente isso que a série apresenta. Ela nos mostra toda a manipulação que existe com as candidatas que estão no programa, assim como o que acontece também com os funcionários. A história apresenta a personagem Rachel, que volta ao seu trabalho após um surto que teve, quase arruinando a temporada passada do programa. Esse piloto em si me surpreendeu, achei que seria algo diferente, mas o jeito com que Rachel manipula as meninas e o programa todo é bem interessante.

[divider size=”large”]

The Whispers (ABC)  starstarstarstarstar

“Uma força invisível está manipulando os mais inocentes da sociedade – nossos filhos – para agir a favor de sua causa. Enquanto, inocentemente, as crianças ajudam esse inimigo desconhecido, o relógio faz contagem regressiva nessa corrida de suspense para salvar a humanidade” – Já estava ansioso há meses, só por ter Lily Rabe e Barry Sloane no elenco. O piloto dessa série é ótimo, já nos mostrando sobre o que vai se tratar e nos deixando curiosos para saber toda a trama da série e também quem/o que é Drill, o tal “amigo imaginário” das crianças, com as quais sussurra.

[divider size=”large”]

Stitchers (ABC Family)  starstarstarstar

“Uma jovem é recrutada por uma agência secreta do governo americano para trabalhar num programa em que é possível penetrar na mente de pessoas falecidas recentemente e, com isso, usar as memórias para investigar crimes” – É quase um IZombie só que sem os zumbis, por isso não me empolguei tanto. Gostei dos atores, gostei do provável casal principal e acho que a série tem futuro, mas não deu para engolir esse piloto justamente por ter uma série quase igual (sim, eu sei que existem várias séries iguais por aí), mas essa não desceu.

[divider size=”large”]

Dark Matter (Syfy)  starstarstar

“Uma tripulação de seis pessoas é acordada em êxtase dentro de uma nave espacial perdida no espaço. Sem suas memórias, eles não tem noção de quem são e de como chegaram na nave. A única pista é uma caixa com armamentos pesados e um destino: uma colônia de mineração que está para virar uma zona de guerra. Com a menor ideia de que lado eles estão, todos eles tem que enfrentar uma decisão fatal. Será que eles vão virar as costas para história, ou será que seus passados vão os alcançar?” – A série começa já cheia de ação, com dois dos tripulantes acordando para salvar a nave que está danificada. Então, um a um, todos os outros quatros vão acordando. O piloto é um pouco entediante e, por ser SyFy, até que os efeitos estão bom (acho que já acharam o Photoshop e pararam de usar Paint). Já vemos intrigas entre eles e algumas memórias começam a voltar. O episódio valeu a pena pelo final, quando a humanoide (uma robô que protege a nave) consegue descobrir quem cada um é e o que eles fizeram no passado.

[divider size=”large”]

Clipped (TBS)  star

“A série gira em torno de um grupo de pessoas que, mesmo pertencendo a grupo diferentes, estudaram numa mesma escola e agora trabalham junto em uma barbearia.” A primeira comédia que vi e logo me decepcionei, mesmo tendo Ashley Tisdale (vi piloto achando que ela estava na produção da série, assim como ela fez em Young & Hungry) não dei risada em nenhum momento. Cheia de cenas clichês, tenho certeza que será cancelada logo.

[divider size=”large”]

Humans (Channel 4)  starstarstarstar

“Em um presente paralelo onde o mais recente e moderno gadget que toda família ocupada possuí é o Synth, um servo robótico altamente desenvolvido que é tão semelhante a um ser humano real que está transformando a maneira como vivemos.” – Lembram aquele filme “Eu, Robô”? A história lembra um pouco isso. Eles possuem a mesma inteligência, porém são iguais aos humanos (pele, cabelo e tals), só que alguns desses tem um pequeno defeito: possuem sentimentos. O piloto é meio tedioso por não ter muita ação, e logo de primeira você já sabe de quais personagens vai gostar ou não.

[divider size=”large”]

The Astronaut Wives Club (ABC)  starstarstarstar

“Baseada no romance best-seller de Lily Koppel, a série se passa nos arredores dos anos de 1960, e conta a história das esposas que estavam ao lado de alguns dos maiores heróis da história americana durante o auge da corrida espacial.” – A rede ABC nunca é de falhar com suas produções, são poucos os casos de séries canceladas e, mesmo assim, as vezes a série foi boa (R.I.P Forever). The Astrounaut Wives Club tem cara de que pode ir longe, ela me lembrou um pouco de Agent Carter por ser de década e mal vi o tempo passar. Tenho certeza que as intrigas entre as mulheres serão ótimas, mesmo com o enorme companheirismo e empatia que há entre elas.

[divider size=”large”]

Complications (USA)  starstarstarstarstar

“John Ellison, um médico de pronto-socorro, encontra a sua existência transformada quando intervém em um tiroteio , salvando a vida de um garoto e matando um de seus atacantes. Quando ele descobre que o menino ainda está marcado para morrer , ele se vê obrigado a salvá-lo a qualquer custo e descobre que sua vida, assim como sua visão sobre a medicina, podem nunca mais ser a mesma.” – Tá aí um piloto que vi e que adorei, se mantém #1 de todos os pilotos que vi até agora. Apesar de ter uns pequenos errinhos de roteiro e um SUPER erro de sequência de cena, tem um trama ótimo e que pode se desenvolver bem. Se você gosta de série médica, essa com certeza vai te prender do começo ao fim.

[divider size=”large”]

Killjoys (Space)  starstar

“No Quad, um sistema planetário à beira de uma sangrenta guerra de classes interplanetárias, um trio de caçadores de recompensa tentam se manter imparciais enquanto caçam recompensas mortais.” – Outra série que se passa no espaço, porém bem mais fraca que Dark Matter. Tirando as cenas de ação que são legais, o que salva são as personalidades dos personagens principais, uma manjadora dos paranauê e um péssimo humorista.

[divider size=”large”]

Ballers (HBO) starstarstar

“Uma série de comédia e drama, centrada em torno de um grupo de jogadores de futebol (aposentados ou não) e suas famílias, amigos e negócios.” – Me lembrou Kingdom, mas com o foco em futebol. Não vi nada espetacular nessa série, mesmo tendo Dwayne Johnson no elenco, meio que ficou faltando algo nela, mas não sei o que.

[divider size=”large”]

The Brink (HBO) star

“Comédia política com humor negro sobre como uma crise geopolítica afeta a vida de três homens completamente diferentes e desesperados que tentam evitar a 3ª Guerra Mundial.” – Olha, tirando Tim Robbins, os outros dois caras não me agradaram apenas por serem Jack Black e Pornstache. Nunca vi graça em Jack e por isso não devo ter visto graça na série. Na minha humilde opinião, HBO falhou com suas séries de summer season.

[divider size=”large”]

Mr. Robot (USA)  starstarstarstarstar

“A história acompanha a vida de Elliot, um jovem programador de computador (e hacker) que sofre de transtorno de ansiedade – o que o torna meio anti-social. Ele é recrutado por um anarquista misterioso, o qual o objetivo é destruir várias corporações americanas, inclusive a que ele trabalha.” MELHOR.PILOTO.DA.TEMPORADA. Essa é a minha declaração sobre Mr. Robot! Apenas assistam!

[divider size=”full”]

Algumas séries, como Sense8 e Scream (MTV), vão ganhar matérias separadas e por isso não estão aqui. Já as outras, como Becoming Us, vão ficar para o post do mês que vem – mesmo que já tenham sido exibidas.

Agora é com você! Vai fazer que nem eu e mergulhar de cabeça em todos esses pilotos ou vai julgar o livro pela capa (no caso a série pelo trailer) e escolher apenas algumas?? Seja como for, boa diversão!

 

Projeto Piloto – Supergirl | O que achamos da estreia inesperada da série

Poucos dias após a CBS divulgar um First Look da tão falada Supergil – o qual deixou muitos fãs divididos – fomos presenteados com o episódio piloto da série que, o qual “foi vazado” (convenhamos que ninguém mais acredita em vazamento, e sim que isso é tudo uma jogada de marketing das emissoras para ver a reação dos telespectadores e ter um feedback sobre a série). Alguns já assistiram de imediato, outros aguardaram legendas, mas no fim a maioria deu o “verdadeiro First Look” e formou sua opinião sobre o que foi o piloto e sobre que rumos a série pode tomar. Pensando nisso, resolvemos criar essa nova coluna, onde iremos mostrar o que nossa equipe achou sobre os novos pilotos e onde você, leitor, poderá interagir e também dizer o que achou do episódio em questão. [CONTÉM SPOILERS]

TARSIS (Editor, Poltrona Nerd): Desde que eu soube que iriam produzir uma série centrada na Supergirl, eu me animei e logo fiquei empolgado. Porém, quando soube que Melissa Benoist foi escalada pra viver Kara, dei uma recuada e fiquei meio incerto sobre sua capacidade de interpretar uma heroína tão f*dona que nem a Supergil. Eu acompanhava a Melissa em Glee e achava ela meio “sem açúcar”, mas agora mudei 100% de opinião. Vendo o primeiro trailer, já havia depositado toda minha fé nela e na série – afinal, tem as mesmas “cabeças” de Arrow e Flash, e meu único medo era de a série mostrar mais uma personagem jovem do que uma guerreira. Eis que vi o piloto ~vazado~ e adorei. Achei ótimo o jeito que Melissa se dedica ao papel, achei ótima a atuação (não só dela, como de todos os personagens) e estou muito curioso sobre tudo o que virá a desenrolar em todo arco. Os efeitos foram dignos de um filme, desde a queda do avião até as explosões, mas ai chegou a visão de calor e eu pulei da cadeira de tão excitado que fiquei! Achei legal eles introduzirem um vilão principal, no caso vilã, que não existe nas HQ’s e tô curioso para o desenrolar de toda série. Agora só me resta aguardar não só novembro (para ver os outros episódios), mas também os possíveis crossovers com Flash e Arrow.

RENAN (Co-Fundador & Editor, Poltrona Nerd): Enquanto a Warner insiste que super-herói do universo DC Comics precisa ser sombrio, a CW demonstrou com The Flash e agora com Supergirl que é possível uma adaptação desse universo ser divertida e sem a obrigação de se levar a sério demais. Melissa Benoist absurdamente linda, carismática e soberba como Kara, e que pode representar um símbolo para as mulheres, agora com uma super-heroína para se identificar. O piloto me agradou e fiquei esperançoso em relação ao futuro. Espero que haja o crossover com The Flash e Arrow.

WELLINGTON (Co-Fundador & Editor, Poltrona Nerd): Supergirl conseguiu me deixar nostálgico ao lembrar das minhas maratonas de Smallville, apesar da grande diferença com seu primo, Kara é determinada e veste o traje já no primeiro episódio, o que a série da CW não fez em dez temporadas. O piloto da CBS conseguiu explorar uma menina que estava deixando o seu dom de lado, afim de ser normal ter uma vida cotidiana e pacata, até que sua irmã corre perigo, e no processo de salvá-la, em uma cena intensa e bem elaborada com o pouso forçado de um avião, ela lembra o quão bom é ser livre e poder ajudar aqueles que precisam. Kara se torna uma mulher forte, que não vai deixar homem ou padrões da sociedade definirem o que ela tem que ser. Com o episódio piloto “vazado” a série me deixou ansioso para continuar acompanhando as aventuras de Kara, mas espero que eles abordem também o passado da garota em Krypton.

KETHLYN LUIZE (Convidada do Poltrona Nerd) Eu achei legal a apresentação da personagem, o tratamento do lado feminino e o humor, mas a serie deixa a desejar por ser muito focada no publico teen, a chefe da Kara lembra muito aquela mulher ranzinza do Diabo Veste Prada. O público é diferente das outras series, diferente de Gothan e Arrow.